Confesso: Eu ainda assisto desenhos de vez em quando!!


Tem muita gente ainda que não tem coragem de dizer abertamente que assiste desenhos até hoje. Falo dos classificados pela medicina como em estando em idade adulta. Confesso: até hoje, com 28 anos na cara, ainda ssisto desenhos de vez em quando. Não são os desenhos de antigamente, dos quais sinto muitas saudades.

É sim!! Tá rindo do quê?? Você…É, você aí!! Você também tem suas manias, que eu sei! Se bem que ver desenhos pra mim não seja uma mania, não necessariamente. Na minha visão, manias são hábitos que interferem ou atrapalham no andamento normal e saudável de suas atividades rotineiras. Ver desenhos, de vez em quando, pra mim, é apenas um hábito que cultivo em horas de lazer, quando não tenho nada melhor para fazer.

Tenho preferência, hoje, por dois gêneros de desenhos: em primeiro lugar, os saudosistas, ou seja, os mais antigos, que ainda são exibidos na TV, e outros (que pena!!) dos quais não tive mais notícias. São vários os que posso citar. Os que mais gosto são:

  • Muppet Babies –>> filhotes de animais ou bebês que pretendiam agir como adultos e o faziam apenas na imaginação. Eram cuidados pela Babá, da qual só conhecemos até os joelhos e a suas meias de guria doida, com listras horizontais brancas e verdes. Sua dubladora, pela voz, deveria ser gostosa (digo, na época em que dublava a Babá, que já deve estar comendo mingau e dormindo no sofá, na hora do Jornal Nacional).
  • Ursinhos Gummy –>> Sempre se davam bem. Invariavelmente. Não assistia por eles mesmo, que achava que faziam muita média e que não eram nada sem o Suco de frutas Gummy (o qual foi um símbolo e inspiração, com certeza, para os grandes monopólios e políticas protecionistas do séc. XX, mas que ajudaram a dar lucro para as empresas que registram propriedades intelectuais). Assistia mesmo por causa do Gargamel e do seu gato azarado. Tinha que ver alguém se dando mal. Como sempre, o Gargamel se dava mal, e o gato (não adianta, não consigo me lembrar do nome!!) se ferrava no final. Apanhava que nem cachorro, apesar de ser um felino.
  • Pica-pau –>> Bem, esse legítimo f.d.p. dispensa apresentações. Têm outros elementos também que eu adorava ver se ferrar no desenho dele: Leôncio, Zeca Urubu e o Willie Jacaré. O cavalo do Pica-pau na era do Velho Oeste, o Pé-de-Pano …até que eu ia com a cara dele, mas sofria também.
  • Eek, the Cat –>> Acho que o título não poderia ser mais sem-vergonha e sem sentido. Claro que é um gato!! A não ser que seja um desenho para nossos irmãos com deficiência visual. Mas como no mundo de hoje eles ainda não são valorizados, acho que o cara que escreveu o roteiro foi um idiota na hora de escolher o título. Primeiro, porque o nome soa como se o gato vivesse soluçando de encher a cara de cana…iiicc!! Afff!! E o resto já sabem né!! Mas o desenho é legal sim. Gosto do desenho em que alguém sempre têm que suar pra não se dar mal. Um gato que têm tudo pra se dar bem na vida, namorando uma gata desastrada, a Annabel, que (pasmem!!) tem como animal de estimação um tal de Shark, um cão com cara de tubarão (mais uma redundância estúpida!!).
  • Garfield –>> Bem, esse também é um ícone da boa vida dos cartuns clássicos! Sou fanzaço do cara!! Eu simpatizo mesmo com a figura do gato. É um arquétipo. Uma referência…sei lá! O animal (o gato) é limpo (na medida do possível), inteligente, não compra briga dos outros, não aceita dividir a sua fêmea (“se a querem, que venham pegar!!”), não é adepto da poluição sonora, como os cães ( a não ser quando está “acasalando”). Se fosse eu adepto do Xamanismo, diria que meu “animal de poder”, provavelmente, é um felino. Como todo gato, o Garfield têm ciúmes do dono. Como todo gato, é capaz de suportar a convivência com um cão, mas nunca vai considerá-la imprescindível “à salvação de sua alma”.
  • Timão e Pumba –>> Ratu-na-matata!! Virou slogan de gincana escolar, no máximo. Mas que inspira uma certo sentimento ecológico, ah inspira sim!! Nos moldes das “xanxadas” americanas, do tipo de “O Gordo e o Magro”, que sempre têm um cara mais esperto, porém menor, e um corpo mais avantajado, mas um pouco “lerdo”. conquistou muitas crianças e adolescentes. Se achasse um canal na TV aberta que ainda exibissem eles, com certeza, ainda assistiria.
  • Pinky e Cérebro –>> Nos mesmos moldes de “Timão e Pumba”, concorrendo Pumba e Pinky para ver quem perde pra tartaruga na resposta de “quanto dá 2+2?”. Bem, se eu, ao invés de sair e gastar uma grana com bereja, eu fizesse como o Cérebro, ficasse “pensando em como conquistar o mundo”, talvez já estivesse melhor de vida.

Têm muitos outros desenhos, até mais atuais, ou mais antigos, que poderia comentar, e que eu assistiria comendo pipoca de microondas de sabor bacon ou queijo. Cito Bob Esponja, Pernalonga, Papa-léguas, os Smurffs, Caverna do Dragão, SheRa, HeMan, Thundercats, etc., mas que já são de conhecimento mais do que público. Talvez volte a falar deles, quem sabe, numa possível futura seção voltada aos viciados e melancólicos “desenheiros“, como eu.

Eek, The Cat

Cérebro e Pinky

Timão e Pumba

Muppet Babies
– Da esquerda pra direita, Fozzy, Gonzo, Skitter, Caco, Ralph e Animal. Faltam nessa foto a Piggy e o Skuter.

Ursinhos Gummy

E claro!! Esse é o cara!! Garfield!!

Anúncios
Categorias Memórias

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close