De que vale a vida em meio à covardia??
De que vale ela sem um pouco de poesia??
Se a mesma Vida é a Grande Mãe-Musa
Dos homens cegos e dos de mente obtusa!!

O que somos nós para ti, ó Primeira Vida,
Nós, as crianças da Luz interna abafada??
O que fazemos por vós, ó Mãe Incriada,
Se não formos corajosos, de vida destemida??

Em meu peito incendeias uma brasa infinita,
E em minha Língua, Palavra de Amor bendita,
Para a renovação do velho coração dormente!!

Ó Vida, se a língua mata o Amor, quando mente,
Se o homem, quando ama, não diz o que sente,
Fecha minha boca, e corta minha língua maldita!!

– Sob inspiração das palavras de Gemária Sampaio, amiga querida, comentando o
post
O
Barroco é Pop?? (por Clóvis Bulcão)

2 comentários em “Vida Destemida

  1. Mas é o que penso também:

    Ó Vida, se a língua mata o Amor, quando mente,
    Se o homem, quando ama, não diz o que sente,
    Fecha minha boca, e corta minha língua maldita!!

    Mais uma pérola que saiu desta concha!

    Beijosss

    Curtir

    1. Pois então, minha querida Vera,

      É com esse espírito corajoso e resoluto que sinto-me dever enfrentar a Vida. É linda, cheia de desafios, cheia de vestígios do Amor Universal, ainda nos deixando amar, em particular, as pessoas.

      BJs, minha amiga!

      Curtir

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s