É certo que não moro no Rio de Janeiro, nem mesmo estive alguma vez no Rio, nem de passagem. É certo também que ninguém melhor há para falar do que está acontecendo no Rio do que alguém que lá more.
O Rio está em festa, por um lado. pelas Olimpíadas de 2016. Mas, há muito tempo, semanas e dias seguidos, vive de luto por aqueles inocentes que morrem. ora pelas mãos da Polícia corrupta ora pelas do tráfico. Ficamos perplexos, todo o Brasil, pelas barbaridades que aconteceram na última semana. Fico mais perpelexo ainda por ver estampada no Rio uma realidade que sempre os governantes costumam negar: o Governo do Rio de Janeiro não exerce mais a soberania sobre todo o terrotório carioca.
É isso aí!! Bem-vindos ao recém-proclamado ‘Estado Paralelo’ do Rio de Janeiro!! Seu território compõem-se de enclaves nas zonas montanhosas urbanas da região metropolitana do Rio, nos moldes das cidades-Estado gregas, autõnomas em relação Às vizinhas, em constante atrito, mas com governadas por forças com interesses em comum.
E que interesses são esses??
  1. O domínio completo e irrestrito dos territórios da periferia carioca;

  2. O monopólio em suas atividades econômicas mais importantes: comércio de entorpecentes (traficantes), roubos e assaltos de grandes cargas, cobrança de altas taxas pela “segurança” que fornecem aos habitantes (milicianos).

  3. Enfrentamento e vitória sobre as forças de resistência do Governo dos territórios em poder do Brasil.

Sim, disse forças de resistência. As Polícias não enfrentam, resistem. Não combatem, se defendem. As zonas controladas pelo tráfico não possuem fronteiras nem barreiras, por isso os traficantes não podem impedir a passagem da Polícia. Mas ações da Polícia são muito tímidas, se considerarmos a ameaça à soberania do Estado sobre essas áreas. Os traficantes agem claramente por técnicas de guerrilha, atacando, por escaramuças. e se escondendo. Sem contar que, em muitas comunidades, os traficantes, pela falta da presença do Estado (e portanto, de seu domínio), são aclamados como verdadeiros “padrinhos” e salvadores da pátria, provendo saúde, remédios, ajuda financeira, “trabalho e emprego”.
O Governo, de fato, não manda nessas áreas. Desconfio, olhando de fora, que os políticos negociam com os traficantes para que não espalhem mais ainda o terror por todo o Rio, a troco de não atrapalharem seus negócios. Tenho a impressão de que, se os traficantes quisessem, poderiam atacar muitas áreas do Rio sem que a Polícia pudesse sustentar uma reação consistente, ou pela má-vontade de políticos corruptos e/ou coniventes, ou pelo total despreparo da Poícia, evidenciada nos últimos dias, para lidar com situações de tensão e caos social. Não é novidade pra ninguém que o aparato policial, pela corrupção ou pelo sucateamento, não tem condições de resistir a um ataque articulado dos traficantes, com ordens emitidas, inclusive, de dentro das cadeias, que chamo de colônia de férias de gente da laia de Fernandinho Beiramar e Marcola.

É, realmente, muito triste a situação deplorável que vive a cidade do Rio de Janeiro. Rio, com toda uma mística, umatônica diferente, centro das atenções e das admirações de todo o mundo, ora para festejar e se encantar, ora pra lamentar e chorar… chorar os mortos, os vivos que choram mortos, a situação dos que ainda vão nascer em meio a essa guerra.

Choro por esse Rio de samba e de pólvora, por esse Rio de lágrimas, tantas vezes palco de revoluções, de espasmos culturais, berço de estrelas, capital do Brasil por séculos, e agora capital do deboche de criminosos miseráveis, e que deu nascimento a uma escória de bandidos da pior laia.

Se o Brasil chora, eu também!!

Força e ânimo a todo o Povo Carioca!!

Abraços fraternais de Ebrael Shaddai.

Infelizmente, como está, só nos resta uma solução!! E acho que a maioria das pessoas não concordará comigo, e até eu não gosto da idéia. Mas a Polícia, esta que está aí, está longe, muito longe de estirpar os traficantes do mapa. Só uma intervenção e sítio das Forças Armadas para expulsar e purgar o Rio dos traficantes.
E depois disso, é claro, a ocupação pelo Estado e cumprimento de seus atributos constitucionais: provimento de educação, saúde, habitação, saneamento básuco e segurança efetiva!!
Somente o Exército falaria a língua dessa gente maldita dos traficantes!!
Enquanto isso continua a ser uma utopia, seguimos assistindo o Rio sendo tomado em um grande assalto, de proporções metropolitanas. E os reféns são milhões de pessoas, de seres humanos, mães, filhos, jovens, idosos, trabalhadores.
Anúncios

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s