Rio de Janeiro, entre a Guerra e a Paz


Estava com os dedos coçando para discorrer sobre a crise de segurança no Rio e as consequentes reações da Polícia, mas não queria me decepcionar mais uma vez com um possível recuo e retorno da criminalidade. Acho que agora, sim, podemos falar à vontade sobre o assunto, já que, ao que parece, a resposta “decente”, e à altura, foi dada aos vagabundos traficantes!!

Logo após o ataque de domingo, 21, de traficantes a três veículos na Linha Vermelha, ficamos de novo com a sensação de que “o Rio não tem mais jeito”. Na cabeça da maioria, o que ocorria? Ocorria que a Polícia, ao tentar reagir, levaria chumbo e samba de todos os lados, com cabines sendo metralhadas e oficiais assassinados. Se um traficante morresse, teríamos que engolir algum toque-de-recolher compulsório em alguma comunidade, só faltando as honras de Estado ao ato do enterro.

Carros incendiados por traficantes na Linha Vermelha.

Mas, o que se viu foi o que todos os cidadãos cariocas de bem e do Brasil, inclusive aqueles moradores de bem das comunidades em questão, mesmo intimidados, queriam assistir: todas as Forças de Segurança do Estado, estaduais e federais, unidas em uma parceria contra aqueles vadios, assassinos e destruidores de famílias, que zombam da Constituição e da vida humana. Num ato de cooperação, deixaram todas as rivalidades institucionais e partiram para as ruas a assumir seus papéis de Garantidores da Lei e da Ordem. Quando há vontade, não há onde o Estado, que deve ser onipresente, não possa adentrar, desde que seja para salvaguardar a vida e o cumprimento da Lei.

 

Há ainda reacionários (como podemos ler no artigo de Plínio de Arruda Sampaio) que, demagogicamente, acusam o Estado de estar aproveitando a situação para criminalizar a pobreza. O Estado está para garantir a Ordem coletiva e o cumprimento da Lei. Se o mesmo Estado ainda é infestado por corruptos, é uma lástima, mas NÃO por ser ainda inepto em atingir nos flancos os maiores traficantes, os de colarinho branco, que o mesmo deixará de guardar nossas portas do perigo iminente e mais próximo.

É justo toda a sociedade pagar com medo e pavor, perigo às nossas portas, o preço da incompetência dos governos em fornecer educação àquelas populações?? Elas também não votam nesses governos?? Vamos defender-nos, sim, em primeiro lugar, do perigo mais imediato, sem dúvida. Somos humanos, antes de desejarmos ser mártires!!

Por toda a internet, em redes sociais (Twitter, Facebook, Orkut, etc.), blogues e comunidades, vê-se o apoio maciço da opinião pública brasileira às operações de combate e ERRADICAÇÃO dos traficantes. Não suportamos mais assistir o mesmo estado que sustentamos ser vergonhosamente desafiado por bandidos sem-mãe (eles têm mãe, mas não é o que demonstram).

Foi delicioso, mesmo, assistir os blindados da Marinha e do Exército acossando os vadios, passando por cima de todos os obstáculos, impondo a centenas deles todos uma derrota fragorosa e uma debandada em massa. Onde está o orgulho debochado dos marginais?? Onde estão as armas de guerra, as bazucas, as metralhadoras ponto 40?? Sabe, que a resposta seria imediata e fulminante…

BOPE na Vila Cruzeiro

Agora, nesta linda manhã de sábado, com a honra de cidadão brasileiro lavada, espero a invasão do Complexo do Alemão para o desalojamento e a prisão de todos os traficantes sobreviventes, todos em jaulas de circo. É subir e advertí-los:

EM NOME DA LEI – OU DESCEM E SE ENTREGAM, OU SUBIMOS E VOCÊS MORREM!!

Depois, Governo do Rio, ocupe as favelas, pacifique-as e proporcione uma educação decente às crianças, cultura àquele povo e uma infra-estrutura básica de saneamento a todos!!

Assistam aquilo muita gente tem chamado de cenas do Tropa de Elite 3:

 

Fontes das imagens:

  1. Superior: http://odia.terra.com.br/portal/rio/fotos/10/11/21_arrastao3_575.jpg
  2. Centro: http://www.diariodecuiaba.com.br/conteudo/2010/11/26/383860.jpg
  3. Inferior: http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=8&idnot=36149

A Pedra Angular


“A pedra antiga, outrora rejeitada pelos construtores, veio a tornar-se a Pedra Angular, a Pedra da Fundação” (Jesus Cristo)


Prometi a mim mesmo, sem sucesso, que me absteria de escrever por uns tempos para sossegar meu coração e me adaptar, forçosamente, a uma nova ordem. Foi em vão, como já disse? E por quê? Guardar nossas ansiedades para nos mesmos quase nunca é saudável. Resolvi, então, continuar refletindo e postando…

Os construtores passam, as pedras são polidas, mas a Pedra Angular permanece a mesma. Os tempos correm velozes, os corações se alegram e sofrem, mas a Consciência persiste em seu trabalho de Iluminação, de harmonização com as Leis Universais.

Nossos Destinos se cruzam e se afastam, as Leis são cumpridas à nossa revelia, Deus continua sendo Deus não obstante nossos tolos conceitos acerca d’Ele. E nossa Alma prossegue em sua marcha, visando a nossa libertação da ignorância.

Como é triste não conhecermos os porquês daquilo que nos ocorre! Mas, estaríamos todos prontos a saber a Verdade, ou jogaríamos as pérolas aos porcos de nossa incredulidade? Não! Nada é por acaso, e nem um fio de cabelo nos cai da cabeça sem que seja contado!

 

A "Pedra" da Fundação

 

A Argamassa de meu sangue erige as paredes de meu Templo Interior. Dá sustentação ao Corpo de minhas provações. Mas a Pedra Angular de minha Alma, arrancada do Coração de Deus para sua glorificação, permanece impávida!

Os ventos das dores assolam nosso chão, mas nossa Fé na dureza da Pedra nos conforta, nos mantém cientes de nossa missão na Terra: vencer a ignorância, amar a Deus em todas as coisas e cumprir fielmente nosso Destino. Misericordioso é Deus que, cobrindo as faltas de seus filhos, lhes dá a Vida em plenitude de amor!

Tudo passa! Os ventos mudam, os construtores de nossos dias vêm e se vão, mas permanecem a Fé, a Esperança e o Amor! Permanecem para sempre, assim como as promessas relativas a esses três últimos pilares…