Estou aqui, a essa hora, para escrever um desabafo. Quem, afinal, não escreve ou nunca escreveu um desabafo? São 00h25 da manhã. Não consegui dormir, e depois de um diálogo difícil meu com meu ego, percebi que precisava exteriorizar alguns fantasmas.

Muitas pessoas falam que a luz para nossa escuridão existencial deve ser encontrada unicamente em nós mesmos. Mas,  o que elas esquecem é que somos cegos e imperfeitos. Quando, finalmente encontramos alguma luz, esta tende a nos cegar. Por isso, por temermos a luz, costumamos permanecer na escuridão, ainda que as tais trevas nos mantenham em dificuldades.

Costumamos, também, dizer que para tudo há um jeito, exceto para a morte. Eu diria, porém, que para tudo há, no máximo, um remendo possível. Um vaso quebrado, se colados seus cacos, nunca mais será o mesmo vaso de antes da queda. Um amor ferido, mesmo que restabelecido em seu lugar principal, não mais será o amor da inocência do primeiro encontro. Um amor não vivido, quando enfim encontrado pelas esquinas da vida, não terá mais o mesmo impulso, ainda que a vontade de voltar à virgindade (perfeição original) seja vigorosa.

Eis minha vida, que continua, mas cujos remendos, se poucos, se tornaram difíceis. Deixei minha mãe, segurando seu pranto de escorpiana e mãe divorciada, na porta de casa, e fui-me aos 16 anos, só com uma trouxa de roupas e alguns objetos pessoais, para uma aventura inconsequente, a qual me trouxe um filho. Foi a apoteose do meu orgulho adolescente, ávido por liberdade (ou por perder-se). Não escutei a voz da Razão na boca de minha mãe, e perdi longos 5 anos, passando fome, sendo devorado pela diabetes, desempregado, sem estudar e perdendo de vista todos os meus sonhos.

Para esses anos não há remendos possíveis. Isso mesmo, nem ao menos remendos!! Para esse tempo perdido não há abatimento ou indulto; a Vida cobrará o preço de minha soberba pelo resto de meus dias. E agora, o que me resta? Cuidar dos restos de mim? Sim, a Vida me foi ainda benevolente ao me conceder, a duras penas, um trabalho estável para que eu não passe fome e uma pessoa que me ature, talvez também por ter-se perdido em seu orgulho adolescente.

Com sorte, serei comido, bem devagarinho, pelo diabetes, que já mostra sua ferocidade. Com sorte, não entrarei em depressão ao me dar com uma exposição de fotografias ou numa notícia de descoberta arqueológica. Se possível, não sentirei inveja quando meu irmão mostrar seu carro novo, a cada reveillon, e nem mesmo quando um primo distante me reconhecer e dizer que não estudou nada, mas assim mesmo abriu mais uma filial de alguma merda por aí. Bem, também não fiz faculdade, mas continuo fudido! Motivo: covardia e mediocridade. Quem busca saltar muito alto, com vara de bambu, no máximo consegue alcançar o muro.

Bem, aos 40 anos já estarei morto sexualmente. Por isso, decidi não querer mais ter filho, já que, realmente, não sei que tipo de pai ele teria; impotente, deprimido e fudido. Meus órgãos internos já estarão deteriorados, ou comprometidos. Mesmo já tendo parado de fumar, continuarei com os mesmos problemas vasculares que já tenho aos 30 anos. Portanto, não sei se chegarei a jogar futebol com meu filho, já que bastaria um calo para que reaparecesse o perigo de amputação de um dedo, vários dedos ou até mesmo do pé ou perna inteiros.

Decidi não escrever mais crônicas ou poesias. São histórias contadas por mim que estão muito distantes de meus olhos, falam de coisas das quais só consigo teorizar e de sonhos que estão muito além da minha coragem ou possibilidade de vivê-los. Acho que, muitas vezes, escrevo para fugir do meu ego agressivo, já que ele é o flagelo que a Vida entranhou no meu pescoço para me fazer beber mais ainda dos meus erros, me incutir a culpa que vem do inferno e me desvirtuar ainda mais. Não escrevo mais contos, porque acho que aqueles personagens é que teriam habilidades suficientes para escrever uma tragicomédia a meu respeito. Mas não  o fariam, pois a tragédia já não é um gênero muito popular entre os leitores, e o romantismo de Shakespeare, no mundo de hoje, já caiu em desuso por achar-se deveras piegas.

O Ego é tão covarde como nós mesmos; o Ego bate num bêbado cego, que caiu por suas próprias pernas podres, e nós batemos em nosso peito, achando que existe um Deus bonachão, que figura em filmes de super-heróis e salva até os piores canalhas. Eu poderia ter sido tudo, se ousasse me controlar e subir um degrau por vez. Mas fui atraído pela beleza do precipício, e me lancei abaixo, louco de paixão por meu próprio orgulho. Minha vida se perdeu e nunca mais foi achada. Mas, – estranho – eu tenho consciência de que minha vida está perdida, deslocada no tempo, fora de sua órbita, tal como na história do mendigo Jeremias, alheio ao mundo, que pensa ter morrido e acorda numa poça de lama em mais um fim de tarde chuvosa.

Sinto que nossa vida se desvanece, como areia por entre os dedos. Mas nós a sentimos ainda, desvanecida. Essa propriedade humana de sentir, ter consciência, incomoda e dói muito, às vezes. Vemos, então, a Vida nos esfregando nas fuças, o tempo todo, que não somos nada mais que poeira sobre ossos, que não sabemos nem mesmo que horas são, já que o fuso horário é relativo. Tudo é absolutamente relativo, e esse é um paradoxo que, acho, nunca desvendarei.

Enfim, quero dizer que estou cansado. Acho que a velhice na alma está chegando, e isso já não me assusta. Só me persegue a sombra na alma, me dizendo que estou preso na própria jaula que forjei para minha libertação, que quis avançar no Tempo, e regredi muito mais.

Peço uma luz, um caminho!! Espero não ser tarde para reconhecer que estou precisando de auxílio divino. No entanto, sei que durante a Noite Negra da Alma estamos sempre sozinhos, em crise, nos deparando com nossas cicatrizes e abrindo-as ainda mais para ver porque ainda cheiram mal. É um momento de sentença que a misericórdia divina raramente interrompe. Se sobrevivermos, ótimo; a misericórdia nos busca e leva para outra paragem. Se não passamos na prova, nos levam os Habitantes do Umbral para um momento mais drástico, onde tomamos ainda mais Consciência do quanto paramos no Tempo. Existe castigo pior??

15 comentários em “Uma Luz, um Caminho!

  1. Oi, Ebrael.

    Ainda bem que você pode desabafar. Tem gente que nem isso pode fazer… por falta de coragem.
    Tenho profunda admiração e respeito por pessoas que reconhecem seus erros, que abrem o coração e falam sem medo. Isso é de extrema dificuldade, a gente sempre vê o contrário, pessoas se gabando de si mesmas.

    Bem, todos nós temos um lado obscuro, ninguém é totalmente luz, mas existem aqueles que pendem mais p/ as trevas. Esse não é o seu caso,ao contrário, por ser voltado p/ a luz você se sente assim, incomodado. Que bom! Tudo isso que você está sentindo só vai te fazer ficar mais forte.

    Não vou me alongar mais. Só quero dizer que você é um vitorioso, com todas as suas dificuldades. O que passou, já passou, agora é tocar a vida em frente, parece fácil, mas quem já passou por muitos tormentos sabe o que está dizendo.

    Meu muitíssimo querido amigo, um abraço bem forte dessa pessoa que te quer muito bem.

    Curtir

    1. Lita,

      Esse é um reduto de amigos, e me lembro que você foi uma das pessoas a quem tive a felicidade de conhecer, há uns 2 anos e meio, eu acho, que foi quando instalei a internet aqui em casa. Estava começando num blog doido no Google, e você foi a primeira pessoa que passei a segui, pois me encantava suas citações e fotografias, misturadas às poesias.

      Tocar a vida em frente deve significar acreditar em milagres, pois como dizia Paulo em suas cartas, “me foi colocado um espinho na carne” para me temperar. Sinceramente?? Bem, também não vou me alongar, para não ruminar o que escrevi na noite passada…

      Você sempre estará nos primeiros lugares na minha Casa do Coração! Bjs e muito obraigado!

      Curtir

  2. Bom dia amigo Ebrael
    Vc sempre me surpreende pela profundidade e intensidade de idéias; Entendi seu post como um desabafo, aquele momento em que se vê numa jaula e, pensa, não haver saída para tuas escolhas, elas te levaram pra onde estás. Seu diabete ferozmente lhe diz que há pressa, é preciso beber a vida, antes que ele te tome. Seu rasgo de liberdade abreviou algumas situações, mas trouxe-lhe outras e uma incrível necessidade de ter tudo bem estruturado, um trabalho estável, uma vida normal, e tudo no seu devido lugar, é a tua resposta ao jovem sonhador de trouxa nas costas; Digo a você, que tem uma mente privilegiada, suas escolhas lhe mostraram um caminho, a tua própria jaula, e todo o ser humano tem a sua e nela vivemos, poucos podem se dar ao luxo de viver seus sonhos. E, estes não devem ficar presos,sua alma deve voar, mesmo achando que sua vida será breve, volte a estudar, luta com a força que tens dentro de ti pra construir algo, não se deixe levar pela sensação de “nada a fazer”, vc está vivo e há meios de manter a tua saúde, e além disso faça tudo para ser feliz, seu filho precisa saber como é ser feliz. Um abraço e minha admiração por vc.

    Curtir

    1. Seu rasgo de liberdade abreviou algumas situações, mas trouxe-lhe outras e uma incrível necessidade de ter tudo bem estruturado, um trabalho estável, uma vida normal, e tudo no seu devido lugar, é a tua resposta ao jovem sonhador de trouxa nas costas; Digo a você, que tem uma mente privilegiada, suas escolhas lhe mostraram um caminho, a tua própria jaula, e todo o ser humano tem a sua e nela vivemos, poucos podem se dar ao luxo de viver seus sonhos.

      Soninha, é exatamente o que penso. Por ter-me deixado levar a um extremo, a compensação foi ir ao extremo oposto, seja por reação automática seja por necessidade. Só que me pergunto: quanto tempo a bolinha para de se debater entre as paredes de uma quadra de squash?? Parece que as paredes da quadra se aproximam, e os extremos estão cada vez mais contíguos, mais necessitados um do outro, embora ainda essencialmente antagônicos.

      Poucos, realmente, podem se dar ao luxo de viver seus sonhos. Sabendo disso, talvez, as abelhas tenham percebido que seu trabalho de fertilização da natureza e adoçamento da vida está se tornando difícil…e estão sumindo!

      Vou me virar! Bjs e obrigado!

      Curtir

  3. Tinha tempo que eu não passava por aqui, mas hoje me deparei com o meu tipo de post preferido…desabafo. Eu escorpiana como vc adoro escrever os meus e vc sabe bem disso. E hoje especialmente, acordei fazendo um daqueles balanços da vida e com uma sensação de tristeza. Depois de ler seu desabafo só o que posso te dizer é que admiro sua coragem, sua força. Hoje não estou muito inspirada pra escrever mas queria te deixar um beijo 😉

    Curtir

    1. Nem todo mundo consegue enfrentar suas quimeras. O que me assusta não é a feiúra das minhas, mas a possibilidade de não conseguir me libertar delas, principalmente se for em nome de um bem maior! Bom balanço então! Se houver rombo nos relatórios, role a dívida; é o que faço sempre! Bjs também e obrigado pela visita!

      Curtir

  4. Olá Ebrael

    Li e reli seu post várias vezes. Refleti ao máximo e estudei minuciosamente cada parte de seu desabafo.
    Tem uma frase ultra famosa e muito dita ultimamente que cabe muito pra ti: “ninguém pode fazer um novo começo, mas podemos realizar um novo final”.

    Entendo perfeitamente sua colocação e a “revolta” por deixar-se sempre ser vencido pelo ego, pelo orgulho. Porém acho que tens o pensamento muito negativo.

    Deus é capaz de fazer milagres e a força do pensamento e das palavras são imensuráveis. Começe a dizer que sua vida viva poderá se prolongar por mais 50 anos e conseguirá fazê-lo.

    Nossa, são tantas as reflexões sobre o que escrevestes, que se eu resolvesse comentar tudo aqui, meu comentário seria maior do que o próprio post. Portanto, concluo que você pode sim fazer com que tudo (ou quase tudo) mude daqui para a frente. Só depende de você!

    Tens apenas 30 anos. Estude, batalhe e cuide de sua saúde. O restante deixe com que o tempo se encarregue de providenciar 😉

    Pense nisso!

    Curtir

    1. Deus pode tudo,mas escolheu não fazer tudo por nós, já que ele quer nos ensinar a ser verdadeiramente semelhante a Ele. Ele decidiu não nos carregar no colo sempre, pois assim seus filhos seriam perfeitos…ineptos! Ele pode nos esperar na metade da ponte, mas não pode fazer com que iamos ao encontro d’Ele. Primeiro temos que abrir os olhos.

      Obrigado mesmo pela força e pela presença!

      Curtir

  5. Caramba! Não sabia que tem diabetes! Mas voce pode se cuidar!
    Ela é controlável e escorpiões são vaidosos, se cuide!

    Voce faz bem desabafar, falar a verdade é sempre bom. Afinal, nesta ilha chamada mundo, vivemos cheios de pessoas ao lado da gente e ao mesmo tempo nos sentimos tão sós. Se abrimos a boca para desabafar, todo mundo sai de perto, ninguem quer ser “amigo”. Amizade, eu já disse a minha irmã, anda muito “interesseira”.

    Receba o meu carinho, o abraço que gostaria de lhe dar. Cada um tem uma historia de vida, umas melhores e outras que ninguem sabe. As lutas, as vitorias e as derrotas. A vontade de gritar, de sorrir e de chorar.

    Voce sempre foi meu amigo, sempre veio com palavras generosas, sempre me apoiou e procurou me levantar. CORAGEM! E desabafe… assim, não forçará o musculo da vida, seu coração.

    Sobre minha postagem, sobre língua afiada de um escorpião: “Isso deve ser nato! Pode acreditar que minha filhota de 10 aninhos também articula bem as palavrinhas?! É escorpiã! rsssss”

    Bjs

    Curtir

    1. Simone, minha maninha!

      Eu estava precisando mesmo! Estava precisando colocar meus fantasmas a correr, para não ficarem mofando, lá no fundo da sala de minha alma… Mas, é como digo: vivemos como dá! Isso tudo também é pra você ver que aquele cara que ama te dar força, que é seu amigão, também chora, como você disse. Ele também conhece as dores. Por isso te digo, que as dores e as alegrias são passageiras, menos os traços que deixamos delas ao lado de nosso nome!

      E escorpianos são assim mesmo: não negociam, mandam! Não baixam a cabeça, mas também não ficam de papo pro ar! Não planejam executam! Não pensam muito, reagem com o estômago (e com o pâncreas, como foi meu caso!).

      Seu abraço sempre será muito bem-vindo! Bjs, minha linda!

      Curtir

  6. A gente não se fala muito né moço? Mas você sempre reaparece vez ou outra nos meus blogs, twitter, deixando um rastro de sorriso.
    Eu não sou boa em medir ou medicar a dor alheia, ainda não aprendi a digerir a minha.
    O que vejo é um garoto amedrontado, perdido. Um homem inteligente, bem humorado, mas incapaz de se perdoar. Há momentos que o desânimo toma conta da alma, mas é só uma nuvem passageira nublando seu sol.
    Você pode superar as dificuldades da diabetes e ter uma vida longa, você é inteligente e sabe que isso é possível.
    É humano e saudável desabafar, mas é preciso reagir, por seu filho, sua mãe e principalmente por você.

    Fica bem meu querido

    Um grande beijo

    Curtir

    1. Sim, eu não me perdôo, e quem não consegue se perdoa não tem mais condições de se aventurar, pois isso exige a leveza, a insustentável leveza do ser de Kundera, que impele todos à frente, ao Incógnito e Improvável!
      Obrigado pelas palavras suaves ! Bjs também!

      Curtir

  7. Olá amigo Ebrael,
    É bom ter amigos para ler e compreender nossos desabafos.
    Coisas erradas todos fazemos, mas devemos tirar proveito.
    Se você não tivesse passado pelo que passsou não seria esta
    pessoa maravilhosa que é hoje.
    O sofrimento apromora a alma e melhora os homens(ditado popular),
    acho que isso é verdade. ÁS vezes fazemos escolhas, as quais nos
    arrependemos depois. Se você tivesse seguido por outro caminho,
    não teria a mesma personalidade, seria uma pessoa diferente, menos
    na apatrência. Gosto deste Ebrael.
    Se fosse possível muda algumas coisa no meu passado, eu não mudaria
    nada, já pensou uma Claudine fresca, dondaca e metida a besta que
    sorria á toa e não queria ter responsabilidades?
    Prefiro eu como sou agora.
    Na vida tudo passa, o que fica é o aprendizado.
    Deus te abençoe.
    Te cuida.
    Bjs.

    Curtir

    1. Sim, talvez a soma de minhas experiências (dramáticas, principalmente) se por acaso tivesse feito escolhas diferentes divergisse um pouco da soma de hoje. Talvez não escrevesse poesias, mas talvez projetos de edifícios ou petições judiciais. Mas, nada, nada mesmo, teria apagado o desejo ardente de encontrar meu Destino, que me persegue sempre na retaguarda, nunca me deixando ver sua face…

      Também prefiro você assim Claudine! Amanhã, dou uma passada no teu blog, que tenho guardado.

      Bjs!

      Curtir

  8. Como disse a você, nossa dor sempre se torna menor quando vemos que não estamos sozinhos. Ainda que não possamos, às vezes, oferecer nosso ombro em dado momento, podemos interagir dessa forma, dividindo dores e somando alegrias e AMOR!

    Escreva sim, serei o primeiro a estar lá, reescrevendo e te segurando!

    Bjs em vc!

    Curtir

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s