É sempre assim: tomar decisões que envolvam pessoas e sentimentos (incluindo a nós mesmos e nossos sentimentos) é vestir a túnica do algoz e empunhar o machado do carrasco!

A liberdade de escolha implica, muitas vezes, a arte de cortar a cabeça a um só golpe, o que nos qualifica ao título “honorífico” de carniceiros. Sempre, e a qualquer momento, muito frequentemente, somos chamados a escolher um caminho, tendo que conviver com a dúvida acerca do que teria sido caminhar pela outra vereda. A Razão fala: prefira o certo! O Coração grita: tente um novo caminho! E nós perguntamos por quê o certo é certo pra nós, e por quê o novo é novo…

Matamos uma opção pra fazer sobreviver outra; soterramos um projeto para reviver um sonho antigo. Cortamos a cabeça de Maria Antonieta para elevar os Jacobinos ao Poder Supremo de nossa fantástica revolução. Afinal, Maria Antonieta é inocente ou criminosa? Os Jacobinos nos salvarão da mediocridade ou nos mergulharão em terror noturno? Não há vencedores ou vencidos; há apenas preferidos e preteridos, e enquanto uns morrem em seus intentos, outros festejam triunfantes, sejam de qual lado forem. O Vencedor vence, e o vencido é renegado. Um aparece em seu brilho ofuscante de Eleito e o segundo é banido, então.

Carrasco de Sonhos
Escolher ou não escolher?? Decida e mate uma opção!

Não há bons samaritanos. Não há meio termo: a Vitória de Um será sempre um golpe na Vida do outro, a Alegria de um se tornará no Inferno do outro, tormento infindável até que renasça o Sol da Esperança.

Se retiro a ti a Esperança, e ela não morrerá jamais, é porque a certeza já cedo aparece, a certeza do Amor sem culpas, sem vencedores nem vencidos, o Amor Livre e sem peso inútil…

15 comentários em “A Alegria de Um é o Inferno de Outro

    1. Esperança não no sentido de falsas expectativas, mas no sentido de Vida nova que nasce (e renasce). Amar é sempre esperar por algo ou alguém, seja no fim do dia, À porta, ou por toda uma Vida, na entrada do Coração, em meio a um jardim de rosas…

      Abçs!

      Curtir

  1. Mesmo que a mente insista em colocar as coisas assim entre pesos e medidas, acredito, fielmente, não existir isto. Como esta expedição, a vida é uma aventura, onde pessoas de todo jeito passam por nós. As escolhas são inerentes. Muitas ficarão sem respostas e mesmo assim, farão parte da gente. Como vc mesmo diz – e muito bem – não há vencidos. Apenas vida. Esta é a vida. Nem sempre a gente escolhe. Nem sempre acerta. Mas não é um jogo. Não é uma balança entre céu e inferno. Então, o que nos resta? Eu escolho pensar que tudo tem algum sentido. É o que chamo de esperança. Um sentimento que nos eleva, nos impulsiona a ser íntegros no nosso caminhar, fiel as nossas expectativas e forte diante dos avessos. Porque numa hora dessas, isto tudo valera a pena. Que Deus te cuide e te guarde. Possa Ele abençoar a sua caminhada.

    Curtir

    1. Agradeço a bênção e te retribuo com a minha também! Você acrescentou um novo significado à Esperança: a Razão de viver, o sentido e direção do Caminho. Havendo este Sentido, tudo passa a ser nítido e menos enevoado! Obrigado pela visita!

      Curtir

  2. Ebrael,

    Algumas vezes, como disse, matamos uma opção pra fazer sobreviver outra. Mas isso também é uma opção de ação e de sentimento. Eu procuro não me envolver e entregar a este tipo de “jogo”, porque prefiro não ferir, para entao poder evoluir. Levantar mágoas e rancores é muito ruim, é como uma sombra. Contudo, nada impede que façam isso conosco. É assim no amor, na amizade e no trabalho.

    Quanto a esperança, precisamos dela, quando a chama apagar, é que morremos, começando por dentro.

    Bjs

    Curtir

    1. O essencial é sermos fiéis à nossa Natureza, porque de boas intenções o “inferno” tá cheio, e nos frustarmos com elas, descobrindo o erro inerente aos paliativos da Vida, talvez seja tomarmos para nós um “inferno” purificador que não nos cabe!
      Bjs!

      Curtir

  3. Olá Ebrael

    Seria bom se as pessoas parassem de confundir o amor e a paixão, esse é um tema que eu insisto muito. Antigamente as pessoas agiam muito pela paixão, casamentos eram arranjados, mas não casavam sem amor, casavam sem paixão.

    Agir por paixão é agir por impulso, decisões importantes devem ser analisadas, já que envolvem mais de uma questão.

    Em outros caso, é preciso seguir as palavras do velho sábio: Na dúvida, faça a coisa certa.

    Algumas verdades nos levam ao chão, machuca, mas no fim temos que aceitar a dura realidade, a de estarmos vivendo na mentira, comportamento típico de latinos passionais.

    ABS

    Curtir

    1. No final das contas, o Amor é bem-querer, e não há nada que façamos que apague esse nosso bem-querer pelos outros. Se fazer a coisa certa for manter uma mesma postura, renegando nossas vontades, ilusórias ou não, então nunca faremos aquilo de que temos vontade. Uma decisão anterior será então irrevogável. As pessoas mudam, nada é garantido nessa vida, e o Amor é algo com bem mais alcance que a simplesmente restrito a uma casa. As pessoas não são objetos de contrato. Na dúvida, faça o queres, pois amanhã, realmente, poderá ser tarde, já que nem sabemos se acordaremos no mundo dos vivos!

      Abçs!

      Curtir

    1. Mesmo que sejamos os primeiros, sempre seremos atormentados por sabermos que podemos ser destronados. Apenas aquele que está em segundo (de dois) não teria nada a perder. Quem está em primeiro não tem como subir mais, e o segundo não tem mais o que descer…o destino do Vencedor é segurar sua cabeça, e a do segundo lugar recuperar uma cabeça que talvez nunca teve…
      Se você encarar o maniqueismo como doutrina do dualismo irrecuperável, então somos aprendizes de maniqueismo, pois muitas vezes nao conseguimos nem ver nosso nariz, quanto mais enxergar outro nariz estranho….

      Obrigado pela visita e um abraço!

      Curtir

  4. Olá Ebrael
    Existe um dualismo em todos nós.
    É preciso discernir conscientemente o que nos refaz ou nos divide.
    Seja lá o que for a nossa escolha deve prevalecer.
    Aí está a grande chave que temos em mãos: O Poder do Livre Arbítrio!
    Beijos

    Curtir

    1. O problema é que quanto maior nossa consciência do Poder da Liberdade de Escolha, maior o medo incutido nele, pois somos ainda Crianças, fundamentalmente. Ainda não sabemos manipular esse Poder de forma segura!
      Grande abraço!

      Curtir

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s