No limiar da maldade


Esta semana, estive em uma sessão espírita da casa de Umbanda que frequento, entre idas e voltas, há uns 16 anos. Lá, a mãe Terezinha, sentada no “toco” da Vó Luiza, nos contava sobre um fato que ainda chocaria a muitos de nós. E me chocou, mesmo! Ela falava que na semana anteriior, ela descobriu que colocaram o nome dela dentro da boca costurada de um gato que foi seviciado (torturado) e cozido num caldeirão de magia negra.

Sacrifícios de animais: um crime contra a Natureza e renúncia à Razão!

Esse fato, obviamente, me revoltou. Senti uma repulsa imensa, uma tristeza lacerante, uma náusea que demorou a passar. Essa imagem em minha mente já causara um nojo tremendo, imagine o que não suscitaria o fato em si, e o sofrimento do animal. Para quem não sabe, tenho dois amigos gatos que crio. por aí, já vê-se como eu me senti…  Continue Lendo “No limiar da maldade”