Querem justiça social?


Há alguns dias atrás, às vésperas do Natal, vadios membros de movimentos sociais invadiram uma filial de uma rede de hipermercados em Belo Horizonte. Exigiram 300 cestas básicas para que saíssem e deixassem o local.

Quer dizer: fazem propaganda dos métodos de confisco fora-da-lei, e ainda querem ganhar a simpatia do povo por causa das cestas básicas? Quem não sabe que são esses mesmos movimentos que apoiavam os Black Blocs que vandalizaram e aterrorizaram cidades do país inteiro?

Vem com essa conversinha de Justiça Social? Sim, vamos conversar, mas com quem trabalha, com quem tem mais o que fazer, mesmo que seja estudar, melhorar para conseguir um trabalho. Com vadios, o Brasil não deve negociar, muito menos com essas hordas de ladrões e criminosos (financiados por facções de partidos esquerdistas) nem com a parte vadia dos universitários.

QUEREM O QUE? JUSTIÇA SOCIAL?

No tempo do meu avô, essa “justiça” fazia-se com relho de cavalo e surra de facão! Como complemento “justo”, imergia-se o “injustiçado” em banheira com água, sal grosso e vinagre! Após a recuperação do “pobre coitado”, dava-lhe como prêmio uma enxada ou foice para carpir e uma cacetada nas pernas a cada vez que acordasse tarde.

VAGABUNDOS!

Anúncios

6 comentários em “Querem justiça social?

  1. Essa sua frase final foi totalmente desnecessária, louvo a Deus que o tempo de seu avô já não mais existe. Embora você tenha mostrado que amou e sente falta daquela época… Deus é bom, o diabo é quem não presta.
    Não sou simpatizante do que esse homem propulsionou, mas exagero de sua parte lembrar com orgulho os banhos de sal para lombos castigados injustamente . Ahhh, quem acordava tarde naquela época certamente eram os netos, que mais tarde faziam “cavalinho” nas costas dos injustiçados.

    Curtir

    1. Sim, foram os corretivos de meu avô que colocaram limites em seus 14 filhos, e sozinho, dos quais nenhum saiu a vagabundo. Hoje, dão tudo e muito mais nas mãos desses vadios (escola de graça, cotas, Bolsas-Esmolas, conselhos tutelares a proteger deliquentes) e o que eles fazem? Será que é falta de amor dos pais ou é o Estado que impede os pais de hoje exercerem a autoridade que antes forjava pessoas honestas??

      Esses marmanjo, sim, merece uma surra. Não por crueldade, mas porque ele procura alguém que bata de frente, decerto porque os “corações de manteiga” e o Estado ataram as mãos de seus pais. Merece para que sinta o peso da autoridade, ausente nas famílias de pais frouxos, de mães superprotetoras e num Estado revolucionário que nos quer ver intimidados.

      Curtir

  2. Meu amigo, isso é uma vergonha para nosso País. As pessoas perderam o respeito e a honra pelo próximo, os partidos políticos se aproveitam das manifestações para apoiarem a baderna. Esse movimento começou aqui em Natal com o aumento das passagens. Não sou contra a luta por direitos, o que não admito é que os partidos se infiltrem e ameacem as pessoas. Você tem razão ao falar no tempo de seu avô, isso jamais aconteceria.

    Curtir

    1. Claudine, bom dia! 😀

      O que pega é que não há luta sem que os partidos organizem e monopolizem o discurso. Sabe por que? Porque o povo não estuda, não tem consciência cidadã, nem mesmo no que consiste os estudos de Política. Se o povo não se dedica a formar seus próprios líderes, com conhecimento das necessidades e consciência política, como vai poder derrubar o discurso daqueles que chegam com um discurso pronto, entregue pelas elites? Assim, se alienam; preferem se deixar conduzir sem perder a aura de boemia do que se esforçar e ir atrás de instrução. A massa brasileira é atrasada sim, infelizmente.

      Um abraçoe ótimo ano de 2014 pra você!

      Curtir

  3. Júlio, você está certíssimo! Surra em malandro, sal grosso etc. tudo isso é muito bom, pois, vagabundo só entende a linguagem da dor por ser rude demais. Olha aí os tempos de hoje, onde protestam as correções dos filhos, alimentando as vontades desde criança. Isso dá em que? Em jovens ricos, como aconteceu aqui em Brasília, botando fogo no corpo de um indígena somente por divertimento. E o que aconteceu com eles? NADA! Se tivessem sido corrigidos de criança em suas vontades abusivas, se tivessem sido criados COM LIMITES, dariam coisa melhor do que deram. A maioria está perdendo completamente o fio da meada, o bom senso mínimo das coisas e passaram a achar trudo certo. O torto virou direito e o direito virou torto. É SALVE-SE QUEM PUDER E SE PUDER. Os meus procuro trazer com rigor, pois, somente assim darão gente que presta. E não é fácil colocar rigor, quando fora de casa a maioria está solta, pichando, drogando-se, fazendo sexo na rua, porque já se confundiram com os irracionais. Parabéns pela postagem e um 2014 de muita paz, saúde e alegria.

    Curtir

    1. Santo Agostinho dizia, há 1600 anos atrás: “Amoris modus est sine modo amor”. A medida do Amor é o Amor sem medida.

      Parece que os sujismundos do Inferno já descobriram que isso também vale para os vícios. Entre eles, a acídia (preguiça, vadiagem, ócio desmedido, etc.). Querem mais sem nada fazer, e ainda são suficientemente cínicos para justificar sua vadiagem, horrenda e imunda, como “luta” pelo povo. Se o povo for mesmo o povo, põe esses vadios pra correr. Agora, se o povo for gado, o máximo que ouviremos do povo serão mugidos e ruminações de vermes.

      Boa noite, e Deus nos ampare nessa hora triste do Mundo! :/

      Curtir

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s