Hoje, republico o último de dois depoimentos de seminaristas católicos, que alertam para o esquema exógeno, nada aleatório, montado para subverter todos as instituições de Ensino Religioso e de Formação Católica a partir de dentro delas. O primeiro depoimento pode ser lido aqui.

O presente foi extraído de uma matéria do site Amor Mariano e cita a carta de um seminarista bem formado, conhecedor da doutrina, que entrou num seminário porque desejava ser sacerdote. Vejam o que ele encontrou lá:

 Coisas que vejo dentro do Seminário

Bendito seja Deus por ter suscitado tantos leigos autênticos que amam a Santa Igreja Católica Apostólica Romana, fiéis ao Papa Bento XVI [1] e que lutam pela Ortodoxia da Fé, que nunca deveria ser mudada.

Dizia já Sua Santidade, Paulo VI, no livro Iota Unum de Romano Americo [2]: “A Igreja se acha numa hora inquieta, de autocrítica, dir-se-ia melhor, de autodemolição. É como uma reviravolta aguda e complexa que ninguém teria esperado depois do Concílio. A Igreja como que golpeia a si mesma. (…) Também na Igreja reina este estado de incerteza. Acreditava-se que depois do Concílio viria um dia de sol para a história da Igreja. Veio, em vez disso, um dia de nuvens, de tempestade, de escuridão. (…) Por algum lugar, a fumaça de Satanás entrou no templo de Deus”.

 Na audiência de 13 de agosto de 1986, sobre a queda dos anjos rebeldes, Sua Santidade, João Paulo II, afirma: “Estamos no meio de uma luta entre as forças obscuras do mal e as forças da redenção”. Por outro lado, Sua Santidade Paulo VI foi incisivo ao afirmar que “o cristão deve ser militante, vigilante e forte”.

Como é necessário tornar realidade as palavras do papa nestes últimos tempos! Pois, deveras, a Igreja está vivendo o seu Calvário. É a provação final por qual ela deve passar. Como cristãos, urge tomarmos decisão, “pois os indecisos são os primeiros a tombarem no combate” [3].  Neste seminário onde estudo, para tornar-me sacerdote (se esta for a Vontade de Deus) existe, infelizmente, uma verdadeira escola modernista, com ensinos que são um verdadeiro atentado à Fé genuína e imutável da Igreja. Desde quando era criança, senti o chamado à Messe para entregar-me ao Senhor e colaborar para a Salvação das almas. Quando cheguei ao seminário, imaginava encontrar um lugar puro, calmo, de oração, meditação, tranquilidade. Um local onde realmente fosse estudar a Palavra do Senhor e o Catecismo com espírito acolhedor e de respeito.

Triste engano! O que vi foram padres cantando “vamo s’imbora prum bar bebê, caí, levantá (sic)” e outras músicas mundanas nos quartos dos seminaristas. O que vi foi o padre consagrando a hóstia sem fazer a genuflexão. Muitos seminaristas assistindo a Santa Missa sem piedade. Ninguém se ajoelha na [hora da] Consagração. O padre, cantando na distribuição da Sagrada Comunhão, sem dizer “o Corpo de Cristo” ao comungante, etc.

Em muitas dioceses há padres bons, autênticos, mas são jogados onde “o diabo perdeu as botas”. Para ilustrar, na diocese de Pelotas, o conhecido padre Léo Persch, grande divulgador do Fim dos Tempos, foi mandado ser capelão no Asilo de Mendigos, onde poucas pessoas da sociedade vão ouvi-lo.

As decisões do Santo Padre, o Papa, não são postas em pratica por aqui. É sabido que o Papa condena a Teologia da Libertação, mas esta diocese está mergulhada nesta teologia maldita. Há pouquíssimos que condenam e mostram o que é essa teologia barata e ridícula, infiltrada pelos mestres da “inculturação, dos seguidores dos tempos”! Mas nenhum deles dá aula no seminário. O que se vê ainda por aqui são padres com camiseta do MST. Numa ordenação presbiteral, a bandeira do MST e do PT eram partes do ofertório.

Dias atrás perguntei a um padre se ele havia mudado a fórmula de consagração da Santa Missa conforme determinação do papa e ele afirmou que não, pois não tinha conhecimento desta orientação de Sua Santidade. Ele é um padre bom, fiel aos bons costumes de sempre, e ao providenciar o documento da Santa Sé para ele, ficou muito feliz e disse que procurará pôr em prática, mas antes consultará o bispo, pois estranhou que nunca ninguém houvesse lhe alertado sobre tal documento, e já se passaram 5 (cinco) anos desde que ele foi publicado em 2005 [4]. Cadê o bispo? Não era imperativo que ele divulgasse o documento  ao Clero?

Hoje, posso afirmar que o seminário está uma loucura. Cada seminarista diz o que pensa em questões de teologia, pois como dizem, não há uma só verdade, mas muitas [verdades] a partir de pontos de vista diferentes. Muitos padres ostentam a bandeira do MST em seus aposentos, calendário do PT na cozinha e livros de Leonardo Boff (!!) em suas cabeceiras de cama. Por que tanta desobediência ao Papa?

D. Wilson Tadeu Jonck, Arcebispo de Florianópolis, em procissão com espíritas, para homenagear Bezerra de Menezes, propagador do Espiritismo.

Como fico triste ao ver a Igreja cambaleante, cheias de falsas teorias, pensamentos estranhos ao Cristianismo, heresias diabólicas do Modernismo! Como fico triste ao ver o reitor do seminário dizer que é bobagem ajoelhar-se no momento da Consagração, pois para proclamar alguma coisa devemos estar de pé, argumenta, ninguém proclama nada ajoelhado ou sentado! Como fico triste ao ver formadores modernistas ridicularizando as Escrituras Sagradas, afirmando que nada nelas é de caráter literal, mas sim tudo alegórico, com figuras de linguagem, além de conter muitas discrepâncias, contradições e mitos [5]. Um professor daqui, por exemplo – que por sinal doutorou-se em Roma – afirma que o Gênesis é um mito baseado em lendas antigas, e foi redigido por sacerdotes no tempo do Exílio da Babilônia.   Provém de várias fontes diferentes, sendo a Sacerdotal, a Javista, a Eloísta e a Deuteronomista, com acréscimos posteriores, mas que pode haver trechos que são anteriores ao Exílio. Moisés nunca escreveu nada, na época dele nem havia ainda escrita hebraica. Dá-se também a mesma explicação ao restante do Pentateuco. Assim, Adão e Eva nunca existiram, a Serpente não existiu, Noé não existiu, o Dilúvio muito menos, a Torre de Babel é história da carochinha e por aí vai. Também os livros de Judite, Tobias seriam novelas sem fundamento histórico. O profeta Jonas não foi engolido por uma baleia, senão que o texto quer nos mostrar que não devemos fugir de nossas responsabilidades.

Quanto à Criação, afirmam os doutos daqui que as coisas vieram a existência por geração espontânea, e devemos crer nos relatos científicos atuais, que sugerem que a evolução realmente foi um fato histórico. A Igreja antiga não conhecia a ciência e por isso ensinou muitos disparates hoje totalmente superados [6]. Devemos ter constante abertura para o novo, para acolher de bom grado as inovações e desenvolvimento científico, por isso é mister que estudemos as obras de Charles Darwin, que foi um grande homem que contribuiu muito para o desenvolvimento da ciência natural e da humanidade. Também, de similar importância é que estudemos Freud, pois ele enriqueceu nosso auto-conhecimento como o conhecimento do outro. Para completar, entre tantos outros livros recomendados para estudo e leitura está Marx, o grande teórico do comunismo. Dizem à nós que ele foi um “homem santo”, que se preocupou com os problemas sociais e quis que a humanidade saísse do obscurantismo religioso da época, cheia de superstições. Daí ele ter afirmado que “a religião é o ópio do povo”.

Dizem ser teologia da libertação necessária, eficaz e eficiente (essas duas últimas palavras são distintas: uma refere-se aos meios usados e a outra aos fins alcançados) pois grandes contribuições tem trazido para amadurecer a fé e o comprometimento do povo na construção o Reino de Deus. Pude notar que todos os padres e seminaristas aqui no seminário, indistintamente, aderem a esta teologia ou com ela simpatizam . E eles não aceitam ser objetados e reagem com fúria se tento explicar [a incompatibilidade dela com a Tradição e com o Magistério].

Subversão Seminários

Percebi que o seminário não corresponde mais às minhas expectativas, embora eu pretenda ainda ser sacerdote. Mas aqui me sinto perdido em meio a tantas especulações, vãs filosofias e teorias do pensamento humano. Ser ortodoxo e conservador é ser quase um herege aos olhos dos outros com quem divido esta casa. Consideram-me fundamentalista, fanático…

As capelas do Santíssimo que existem aqui são uma verdadeira solitária para Nosso Bom Senhor. Jamais vi alguém [além de mim e alguns pouquíssimos] dentro delas rezando, a não ser na hora da Santa Missa [pois ainda é obrigatório] e na hora de Completas [7], quando ocorre. Não raro, presenciei – e é só o que vejo nos momentos de recreio – seminaristas no Orkut, MSN, na internet. E, pasmem, esses dias surpreendi um [seminarista] assistindo, descaradamente, vídeos pornôs.

Quanto aos paramentos usados pelos padres na Santa Missa, só a túnica e a estola, quando o Direito Canônico [8] exige que haja obrigatoriamente o uso de alva, amito, estola, cíngulo, casula e o manípulo. A permissão para usar apenas túnica e estola se restringe a quando a celebração for feita fora do Recinto Sagrado, isto é, Igreja ou oratório. (Cf. CNBB, 11ª Assembléia Geral, determinação aprovada pela Santa Sé em 31 de maio de 1971, fonte não averiguada).

Mas o que mais me chamou a atenção foi Sua Eminência, o senhor bispo, usar para confessar o povo, no Tríduo Pascal, a sua roupa esporte, sem nada que o caracterizasse como representante de Cristo, ou seja, foi um individuo comum! Nem camisa de clergyman usava. Outro padre, em certo dia, confessou vestindo uma camiseta de time de futebol, embora estivesse com a estola por cima. [Isso não é afronta grave à Igreja? Não deveria ser essa ralé repreendida publicamente e perder sua mamata dentro da Igreja?]

Creio que para ser sacerdote e seguir os conceitos, opiniões, teorias e vãs filosofias destes daqui da equipe de formação, vou ter antes que deixar de ser cristão! Ou então desistirei do sacerdócio – um formador até me disse que padre como eu, fundamentalista, faria questão de não ter em sua paróquia – mas agora é que vou continuar! Pois o sacerdote que eles desejam formar aqui deve ensinar o que eles ensinam (diga-se: heresias), fazer o que eles fazem (incitar os sem-terra a invadir fazendas, matar, pilhar, destruir), falar o que eles falam (por exemplo: Jesus não voltará, de uma forma gloriosa, pois ele já volta todos os dias na Eucaristia; o Evangelho não tem caráter histórico, suas narrações não passam de recursos de linguagem).

Acho uma aberração, um sacrilégio e mesmo apostasia a maioria das coisas que se passa aqui dentro. Como por exemplo, quando vão rezar chamam Deus de Pai e Mãe Nosso, também sincretizam o Nome de Nosso Deus Verdadeiro com os deuses das nações, divindades pagãs que são demônios. Assim ao invocar Deus Pai, dizem junto, oh Allah, Jeová, Javé, Brama, Xiva, Exu, Oxalá, com cujo nome vai nos salvar. E Nossa Senhora é invocada junto com outros demônios como Oh Nossa Senhora, Mãe Iemanjá, Iansã, Xangô, Ogum, junto do preto velho e guia desencarnado. Coisas abomináveis!

Muitos usam um anel preto no dedo, a qual chamam de anel de tucum, e dizem simbolizar o compromisso assumido com o povo, com a Mãe-Terra, etc. Outros usam um T com cordão em volta do pescoço e chamam de Tau, o Tau franciscano.

D. Manoel João Francisco, bispo de Chapecó/SC, posando para foto com seu anel de tucum, sem nenhuma vestimenta episcopal.

Dizem não haver sincretismo, mas “diálogo interreligioso” [puro eufemismo para paganismo tosco]. O ecumenismo é a “onda” do momento. “Todas as religiões têm parte da verdade, não há uma única verdadeira Igreja de Cristo, ele mesmo disse que era para todas as religiões serem uma só” (vejam como distorcem as palavras do Senhor!). Não podemos criticar a religião dos outros, pois “todos têm suas razões para escolher o que lhe aprouver, importa é querer fazer o bem e ser amigo e acolhedor com todos, pois Deus é um só e todos somos filhos de Deus”. Usam as passagens onde Jesus acolhe a mulher adúltera, a do filho pródigo, e dizem que Deus salva todos, não importa de qual religião.

Muitos aqui são parafrênicos, arrogantes, não vivem o Amor ágape, são modernistas [9] ao extremo. Os assuntos existentes são sobre a CF, que graças à Deus já passou seu tempo, economia, problemas sociais, política, as festas e os casamentos que tem que ir, as atividades e compromissos sociais da paróquia. Um padre piedoso, que é o orientador espiritual do seminário estava aqui esta semana, e caminhava pelos corredores rezando o terço, quando foi abordado por um grupo de seminaristas e interpelado do motivo de estar rezando orações decoradas e antiquadas, sem valor algum. Disseram que valores obsoletos não são mais bem-vindos na Igreja, assim como aparições de Nossa Senhora. Mensagens que ela supostamente passou a confidentes, não passam de desvarios mentais e psicológicos dos videntes em questão. Que não precisamos prender-nos a ritualismos, pensando alcançar favores de Deus. Que não precisamos ter medo de fazer as coisas pensando que Deus castiga, pois Deus é Amor e não pode castigar. Não pode haver medo de viver a vida intensamente pensando que Deus vai condenar ao inferno. Para eles, o Inferno não existe. Quem fica pregando um Deus que castiga não é cristão, quem fica pregando que é necessário sofrer não é cristão, pois todas as nossas dores foram carregadas já por Cristo na Cruz, por isso cabe a nós agora desfrutar.

O Concílio Vaticano II é a nova Igreja da qual servimos. Tudo anterior ao Vaticano II não vale, fui superado, dizem. A Igreja antes do Vaticano II tinha valores obsoletos que foram superados. Vê-se que a atual igreja latina aqui está a passos de fazer um cisma com Roma, pois os absurdos afirmados dentro desta casa fariam um gato morto miar ou os ossos dos santos corcovearem nos túmulos memoriais. Isso vem cumprir a profecia bíblica seguinte [10]:

“Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação; mas. levados pelas próprias paixões, tendo comichão nos ouvidos para escutar novidades, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências. E desviarão os ouvidos da Verdade, voltando-se às fábulas”.

Há seminarista e padres aqui que não tem aptidão nem vocação nenhuma ao sacerdócio, são verdadeiros apóstatas blasfemadores, que não aceitam o Catecismo da Igreja, que não aceitam o que diz Bento XVI, que não suportam a sã doutrina, que não creem na literalidade histórica do Evangelho.

Seus livros de cabeceira são os grandes teólogos hereges modernistas como Leonardo Boff (principal responsável pela dispersão da fumaça de Satanás na Igreja do Brasil, a Teologia da Libertação), Hans Küng (crítico ferrenho de Bento XVI), Carlos Mesters (que criou um método de interpretação modernista, esquerdista e que privilegia a visão libertária da Bíblia, infestando de podridão doutrinária a mente de todos os catequistas do Brasil nas suas escolas de formação em todo o território nacional) [11]. Também o que não falta aqui é seminarista lendo Pe. Libânio, Pe. José Bortolini (que chegou a negar que Cristo é Deus) [12], Pe. Fábio de Melo (que se perde em explicações esdrúxulas sobre a Eucaristia, dando a entender, segundo certos estudiosos, que nega a Transubstanciação e a Ressurreição, no livro Cartas entre Amigos) e seu comparsa, “doutor” em Teologia, Pe. Joãozinho, que se usando da fenomenologia, diz que as obras literárias da Bíblia são vistas como um objeto simbólico e as várias interpretações são aceitas como “verdadeiras”, admitindo, assim, a evolução dos dogmas (ao invés de seu correto desenvolvimento), a dúvida quanto à Ressurreição de Jesus e a Transubstanciação, etc. Esses 4 (quatro) são teólogos modernistas no Brasil [13].

Quanto a José Bortolini, ele é quem escreve os roteiros homiléticos na revista Vida Pastoral, que é distribuída em todas as paróquias do Brasil praticamente (se não for em todas!) e serve de estudo para os padres fazerem suas homilias e os catequistas ensinarem seus catequizandos.

Missa campal em Florianópolis para adeptos do Candomblé, que benzeram o Altar da comunhão com seus incensos.

Outros hereges modernistas, cujos livros ou ideias são muito estudadas e defendidas aqui são:

  • Cardeal Henri de Lubac (que afirmou que “o Concílio Vaticano II representou a vitória do protestantismo no interior do catolicismo” [14]);
  • Pe. Bouyer, Pe. Zundel, Cardeal Walter Kasper (que nega ser Jesus o Filho de Deus, além de negar sua Ressurreição e seus Milagres [15]);
  • Pe. Dupuis, Marxsen, Barth, Bultmann, Loisy, Karl Rahner, Lehnmann (que não crê na Igreja, mas em Deus!);
  • Urs Von Balthasar, Schillibeecks, Congar, Chenu;
  • D. Pedro Casaldáliga (modernista, que teria dito: “Chega de fazer de nosso Deus o único Deus verdadeiro!” [16]); 
  • Pe. Oscar Quevedo (do ultra-racionalismo da parapsicologia, negando também muitos dogmas da fé como a atuação e presença do Demônio no mundo, as aparições de Nossa Senhora, a prática do exorcismo, etc); 
  • D. Demétrio Valentim (da TL), D. Arns (da TL), Herbert Haag (que não crê na existência do Demônio e noutros dogmas da Fé); 
  • D. Tomás Balduíno (bispo comunista da Pastoral da Terra da CNBB) [17], entre outros.

Outros absurdos, hereges e abomináveis ensinamentos que os formadores nos passam aqui são que:

  • as promessas feitas aos santos, a piedade popular, andar de joelhos nos santuários, medalhas milagrosas são verdadeiros sentimentalismos sem valor nenhum que só escravizam o ser humano preso numa mentalidade das trevas;
  • não existem aparições de almas ou santos;
  • não existe o Lmbo;
  • não existe atuação do Demônio no mundo;
  • os exorcismos são coisas de alguns padres de “cabeça dura” que não querem compreender a ciência moderna e aceitar as inovações provadas cientificamente;
  • se Deus está com você, mesmo no Inferno você será feliz; 
  • Deus foi tão bom que desceu ao inferno para trazer os maus a salvação;
  • a eutanásia é válida em alguns casos preestabelecidos;
  • o importante é ser feliz e gozar a vida;
  • a fenomenologia determina que cada um pode ter a experiência de Deus em sua vida conforme a atuação do Espírito e que, portanto, todos têm Deus e um conceito de Deus, que embora possa ser diferente, é correto, pois o que vale é a expe riência pessoal;
  • na Bíblia, há mais mitos do que verdades historicamente prováveis;
  • é preciso ouvir o povo, ver seus desejos, devemos ser padres para servir o povo e fazer a sua vontade e não fazê-lo correr da Igreja com a doutrina do medo, do castigo e repressão;
  • Deus é Espírito, é dinâmico, exige movimento, devemos transformar a Missa num festival;
  • todos são iguais e têm direitos, não podemos proibir uma mulher de abortar, mas podemos aconselha-la a não abortar, sem nunca obrigá-la a seguir nossas orientações e convicções; 
  • evangelizar é tornar ecumênico, fazer todos participarem juntos, cada um com sua manifestação particular de fé que enriquece e faz Deus ser tudo em todos;
  • devemos cuidar da natureza, pois ela também é Deus, como diz o salmista, se subo nos céus ou desço no Inferno lá estás;
  • nossa Igreja está no mesmo nível que todas e não têm nada de melhor;
  • o deus de cada religião pode ser diferente em seu conceito e apresentação, mas isso deve-se à experiência coletiva que determinado povo teve de Deus, conforme o seu entendimento;
  • todos têm a verdade;
  • o ecumenismo é aceitar e acolher o que tem de bom nas outras religiões;
  • devemos amar a Deus e igualmente todas as coisas;
  • não devemos condenar os satanistas, mas abraçá-los fraternalmente pois todos são livres de consciência, e filhos de Deus;
  • a masturbação e o sexo antes do casamento são apenas pecados veniais e não levam alguém ao inferno, pois isso é natural da adolescência;
  • não devia haver propriedade provada, pois tudo é de todos;
  • não há só uma verdade;
  • o Novo Testamento foi escrito por um grupo de pessoas em suas comunidades conforme sua experiência de fé, e elas decidiram em reuniões diversas, o que colocar e o que não colocar nos seus escritos, desta forma chegou-se ao que conhecemos hoje como Novo Testamento;
  • a religião tem origem puramente humana, o homem é que criou um “ente espiritual transcendente” para si;
  • o dogma pode evoluir;
  • o corpo que ressuscita não é o mesmo que morre, este vira pó, mas ressuscita outro similar e glorioso;
  • os relatos aparentemente miraculosos do Antigo Testamento são compostos de lendas com fundo moral;
  • muitos personagens bíblicos jamais existiram, tais como Noé;
  • jamais caiu fogo do céu, como diz a Bíblia (referindo-se a destruição de Sodoma e Gomorra);
  • a chave para compreender as Escrituras é o método histórico-crítico, a razão, a arqueologia, a ciência e suas ferramentas;
  • Deus não é autor da Bíblia, mas o autor se disse guiado por Deus para que os outros dessem crédito a sua mensagem;
  • Cristo morreu por todos e se uma pessoa não se salvar é porque ela não aceitou aquele sangue derramado por ela;
  • não sabemos e nem precisamos saber o que é o Céu, o importante é a vida aqui e agora;
  • não haverá outro Reino de Deus aqui na terra;
  • o mundo nunca acabará;
  • este sistema durará para sempre;
  • o inferno não é sofrimento mas apenas distancia de Deus [flagrante contradição, pois como não configurar sofrimento o afastamento do Sumo Bem que é Deus?];
  • o Reino de Deus já está no meio de nós;
  • Jesus quis igualdade, por isso devemos lutar contra o status quo;
  • todos têm Espírito Santo, mesmo não sendo cristão;
  • existem pontos de vista diferentes, logo não há o falso;
  • Deus é Pai e Mãe.

Essas são algumas das coisas que nos foram ensinadas e que tive a diligencia de copiar no caderno para testemunhar a todos quantos deste relatório lerem, sobre a formação que nós, seminaristas, recebemos e creio ser igual em muitas dioceses do Brasil.

Talvez algum item tenha se repetido, pois eu copiava as citações de meu caderno de estudos, e as vezes as mesmas declarações dos formadores eram repetidas em aulas diferentes. Pode-se observar também que há muitas divergências de conceitos, uns até contraditórios em relação a outros, mas isso tudo seria explicável pela fenomenologia, onde todas as ideias são aceitas como parte da verdade, muito embora elas possam ser contraditórias. Não obstante, as únicas ideias que não são aceitas são aquelas que Nossa Igreja sempre ensinou através do infalível e Sacrossanto Concílio de Trento. Para estes hereges, essas sim são ideias antiquadas e devem ser esquecidas para dar lugar ao “novo”.

Sua Santidade, São Pio X, dizia que o Papa deve “guardar, com todo desvelo, o Depósito da Fé, transmitido aos Santos, repudiando as profanas vaidades de palavras e as oposições de uma ciência enganadora” [18].

Todavia, aqui ninguém obedece às ordens do Papa. Preferem o modernismo, a teologia da libertação, o comunismo, assistir o BBB, as novelas ou um filme mundano qualquer. Por esses dias, obrigaram-me a assistir um, pois era instrumento de avaliação, deu-me náuseas – ainda se fosse sobre a vida de algum santo como Santo Padre Pio, antes fosse! Mas eles preferem essas coisas a ficarem uma hora em vigília junto do Santíssimo. Talvez nunca lhes passe pela cabeça ler os escritos de Santa Margarida Maria de Alacoque ou de outros santos e místicos da Igreja. Certamente, pois o Demônio não lhes iria deixar.

Quero que saibam, irmãos, que todas essas podridões e aberrações doutrinárias foram condenadas pela Encíclica Pascendi Dominici Gregis de São Pio X, 1907, e outras do Sagrado Magistério da Igreja.

A Santa Igreja viverá e Pedro será vencedor!

Pois bem, mas é a hora de chegar a uma conclusão.

***

NOTAS

[1] O depoimento aqui reproduzido foi veiculado no ano de 2011, quando Joseph Ratzinger ainda ocupava a Cátedra de São Pedro, como Bento XVI.

[2] Discurso de S.S. Paulo VI, datado de 29 de junho de 1972, citado por Romano Americo em seu livro Iota Unum, p. 8 (Milão: Ricardo Ricciardo, 1985).

[3] Cf. Apocalipse III, 16.

[4] Carta do Card. Arinze aos Presidentes das Conferências Episcopais, em nome da Congregatio de Cultu Divino et Disciplina Sacramentorum , Prot. N. 467/05/L, apud Catholic Culture (artigo em inglês), 18 de novembro de 2006. Disponível em < http://shar.es/1Hu8oL >. Acessado em 30 de dezembro de 2014.

[5] Vide o artigo “No hay fuego en el infierno; Adán y Eva no son reales”, expone el Papa Francisco”: Mundo Historia (online), 22 de janeiro de 2014. Disponível em < http://goo.gl/FJAdyT >. Acessado dem 30 de dezembro de 2014.

[6] A presença de propaganda darwinista (nem neo-darwinista ela é) no seio dos seminários católicos mostra o quão ideologizada está a práxis da Formação Católica. Enquanto o darwinismo sofre derrotas, uma após a outra, e cai em descrédito vergonhoso mesmo no meio científico, ainda os ideólogos marxistas o propagam como se fosse a flor do conhecimento científico. Isso só vem a atestar o fato de que, além de hereges, tais infiltrados na Igreja estão ultrapassados e carcomidos pela obsessão materialista. Para entender melhor esse contexto, será útil ao leitor ler a postagem A Igreja Católica e o Darwinismo, do blog “Design Inteligente”, disponível em < http://goo.gl/lMHJPz >.

[7] Completas (do grego, πλήρης), também chamada de Oração da Noite, (ou Orações ao Fim do Dia) é o serviço da Igreja da fase final (ou Ofício) do dia na tradição cristã das horas canônicas. Mais detalhes em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Completas >.

[8] SANTA SÉ. Código de Direito Canônico, cânon 929, p.167. Arquivo (online, formato PDF). Disponível em < http://goo.gl/wD8vhi >. Acessado em 31 de dezembro de 2014.

[9] Modernismo, em suma, é uma corrente de pensamento heterodoxo radical que pretende adaptar a Tradição Católica às práticas profanas, tornando o homem o centro da Religião, relativizando todos os dogmas e estimulando a paganização dos ritos sagrados. Seus adeptos estão ligados, eminentemente, a setores desobedientes da hierarquia e do Clero, dominando quase por completo a Cúria Romana atualmente, e por eles sendo acobertados em suas ações pró-aborto, pró-homossexualismo, pró-marxismo e materialistas.

Encontra sua condenação mais contundente na encíclica Pascendi Dominici Gregis (1907), de autoria do Papa São Pio X, disponível em < http://goo.gl/bPAhCi >.

Para saber mais sobre o Modernismo, leia a entrada a seguir, na Enciclopédia Católica, c. 1910 (em espanhol): < http://goo.gl/4u0uEv >.

[10] Cf. Segunda Carta de São Paulo a Timóteo, IV, 3.4.

[11] FEDELI, Orlando. Uma parábola infame. Associação MONFORT (online). 18 de julho de 2008. Disponível em < http://goo.gl/lt4Y56 >. Acessado em 31 de dezembro de 2014.

[12] FEDELI, Orlando. Texto publicado pela Editora Paulus nega explicitamente a Divindade de Cristo. Associação MONFORT (online). 29 de dezembro de 2005. Disponível em < http://goo.gl/9cMjTK >. Acessado em 31 de dezembro de 2014.

[13] FEDELI, Orlando. Padres moderninhos aplicam a hermenêutica da ruptura: ainda sobre Padre Fábio de Melo e Padre Joãozinho. Associação MONFORT (online). Disponível em < http://goo.gl/ktGTOX >. Acessado em 31 de dezembro de 2014.

[14] LUBAC, Henri de. O verdadeiro Concílio e quem o traiu. Apud: SOCCI, Antonio. Il Quarto Segreto di Fatima, p. 213. 5ª ed. Milano: Rizzoli, 2007.

[15] KASPER, Walter Card. Jesus le Christ. Pp. 129-30, 212, 219, 381 (nota n. 69). Paris: Éditions du Cerf, 1976.

[16] FEDELI, Orlando. Carta escandalosa de Dom Pedro Casaldáliga. Associação MONFORT (online). 26 de janeiro de 2010. Disponível em < http://goo.gl/MEZ57b >. Acessado em 31 de dezembro de 2014.

[17] AZEVEDO, Reinaldo. Os amores e os ódios de Dom Balduíno, este estranho “homem de Deus”. VEJA (revista, online). 25 de janeiro de 2013. Disponível em < http://goo.gl/NuafBb >. Acessado em 31 de dezembro de 2014.

[18] PIO X, PP, São. Pascendi Dominici Gregis, sobre as doutrinas modernistas. Encíclica: Introdução, p.1. Cidade do Vaticano, 8 de setembro de 1907. Disponível em < http://goo.gl/UnmLRE >. Acessado em 31 de dezembro de 2014.

10 comentários em “A Subversão instalada dentro dos Seminários Católicos (2)

  1. FANTÁSTICO MATERIAL PARA ESTUDO E PROFUNDA ANÁLISE. NÃO ME APRESSO A SER CONTRA OU A FAVOR, MAS SIM EM PERCEBER O
    CHOQUE CULTURAL E DE VALORES PELO QUAL PASSOU ESSE JOVEM SEMINARISTA. É PARA DERRUBAR QUALQUER UM QUE TENHA ENTRADO NO SEMINÁRIO EM ESTADO DE PUREZA E INOCÊNCIA TAL QUAL UMA CRIANÇA QUE CRÊ EM PAPAI NOEL.

    PELO VISTO NÃO TINHA AINDA ENTRADO EM CONTATO COM AS CRENÇAS POPULARES, AS CRENÇAS MITOLÓGICAS, O SIGNIFICADO DO ECUMENISMO PARA OS DIAS DE HOJE. NÃO PASSOU PELA FASE DE FAZER-SE ALGUNS QUESTIONAMENTOS ANTES DE ENTRAR PARA O SEMINÁRIO. ENTROU PURO COMO UMA CRIANÇA, O QUE TORNA SUA PASSAGEM POR LÁ MAIS VALIOSA AINDA.

    CHEGO A CONSIDERAR BRILHANTE A FORMA COM QUE LISTOU AS CRENÇAS APRENDIDAS, E DESCONSTRUÍDAS. PENSO QUE ESSA EXPERIÊNCIA DEVA SER TRAZIDA PARA CADA UM DE NÓS, NÃO IMPORTA A QUE RELIGIÃO PERTENÇAMOS, PARA REVERMOS NOSSOS VALORES, NOSSAS CRENÇAS, POIS TUDO A NOSSA VOLTA ESTA CAINDO, DESPENCANDO. A IMAGEM DA BABEL.

    CONSIDEREI ESSE MATERIAL MUITO VALIOSO, SEM ENTRAR EM DISCUSSÕES DE CERTO OU ERRADO, VERDADE OU MENTIRA. É UM NOVO PARADIGMA A SER EXIGIDO PELA ATUALIDADE. EXISTE DOR NO PROCESSO, CLARO. ALGO SE ROMPE DENTRO DE NÓS. OU ENLOUQUECEMOS OU PASSAMOS POR UMA ILUMINAÇÃO, POIS O VÉU ESTA CAINDO,PERMITINDO QUE ALGUNS PERCEBAM QUE AS COISAS NÃO SÃO EXATAMENTE COMO NOS CONTARAM.

    É TEMPO DE REVELAÇÃO. TUDO O QUE ESTAVA OCULTO, NÃO FICARÁ POR MUITO TEMPO. DE FORMA ACELERADA, O PLANETA PASSA POR PROFUNDAS MUDANÇAS, QUE ESTÃO INTIMAMENTE LIGADAS COM O NOSSO ESTADO DE CONSCIÊNCIA. NÃO VIVEMOS MAIS NA IDADE MÉDIA. PARTICULARMENTE, CREIO NO SOBRENATURAL DE DEUS. CREIO EM MILAGRES. CREIO NO DESCONHECIDO. DEUT. 29:29

    ESSE SEMINARISTA, ROMPEU DENTRO DE SÍ COM ALGO QUE ESTAVA FECHADO EM VIDROS NUMA EXPLOSÃO DE QUESTIONAMENTOS, QUE SÓ O TEMPO E A CALMA TRATARÁ DE COLOCAR CADA COISA EM SEU DEVIDO LUGAR…ESTA SENDO UMA RICA EXPERIÊNCIA

    Curtir

    1. Eu acho que você não entendeu da maneira certa o espírito da carta. Ele quer dizer, em miúdos: “Fui a uma sorveteria para tomar soverte, não para ver gnomos”.

      Ora, é normal que esperemos encontrar sorvete na sorveteria. Lá é o local onde deveríamos encontrar sorvete. Gnomos deveriam estar restritos à literatura de maconheiros e pagãos, certo?

      Mas, eis que presenciamos a invasão de gnomos por toda parte. Elfos, ondinas e salamandras, além de malandros, sovinas e bambies! Não era pra ser assim.

      Lugar de crenças populares não é o seminário católico. Lá é local de formação de sacerdotes católicos, dentro da Doutrina e Tradição bimilenar católica, e não laboratório de experimentos antropológicos ou de putaria mundana (dessas coisas às quais você chama de “outras visões”).

      Enfim, lamento discordar. Mas, cada um com sua “visão”, né, Leila?

      FELIZ ANO NOVO PARA VOCÊ E FAMÍLIA, NA PAZ DE CRISTO! 😀

      Curtir

  2. TALVEZ EU não tenha sabido me expressar, mas eu disse exatamente isso: O seminarista entrou para o seminário em estado de ignorância total e completa. CHOCOU-SE COM O QUE VIU LÁ, POIS NA VERDADE ESTA TUDO CONTAMINADO. O MUNDO JAZ INTEIRO NO MALIGNO. SEU GOVERNANTE É SATANÁS. JÁ DISSE INÚMERAS VEZES, ATRÁS DESSE SISTEMA, NÃO EXISTE NADA QUE PRESTE. O QUE DEUS FEZ FOI SEPARAR UM POVO PARA ELE, MAS ESSE POVO NÃO ESTA AOS POUCOS SAINDO DAS RELIGIÕES INSTITUCIONALIZADAS, POIS ATÉ AS IGREJAS, TIDAS COMO CRISTÃS, ESTÃO CONTAMINADAS, OU SEJA: COMO VOCÊ PREFERE DIZER: ENTRAMOS PARA COMPRAR SORVETES E ENCONTRAMOS GNOMOS. A ISSO CHAMO DE CONTAMINAÇÃO

    DEPOIS, COMENTO QUE ACHEI O RELATO DESSA EXPERIÊNCIA MUITO RICA, POIS ELE, LIVRE DO VÉU, PÔDE ENXERGAR AS COISAS COMO ELAS SÃO.
    ISSO TEM OCORRIDO NÃO SÓ NA IGREJA CATÓLICA, MAS EM TODAS AS IGREJAS PROTESTANTES E EVANGÉLICAS..TODAS FORAM CONTAMINADAS PELOS MAÇONS.

    SERÁ QUE AGORA, TROCADO EM MIÚDO, VOCÊ PODE CONCORDA?

    Curtir

  3. LEIA MAIS EM: NOSSA SENHORA PEDE PARA NOS CONSAGRARMOS AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS E AO SEU IMACULADO CORAÇÃO PARA EVITAR OS CASTIGOS: http://www.sacralidade.com/igreja2008/0178.castigos.html – Nossa Senhora já salvou o Brasil de dois ataques do comunismo (1935 e 1964). Em 1964 foram as mulheres brasileiras, com a reza do terço que enfrentaram o comunismo e o Brasil venceu. Naquela época tínhamos o apoio da Igreja e das Forças Armadas. E agora? Onde estão os bispos, os padres, os militares, as mulheres católicas do nosso País? Quando a CNBB sairá a público para defender o rebanho da ação maléfica do comunismo?
    Não nos devemos deixar ser enganados e para tanto termino narrando um fato assombroso: a infiltração do comunismo na Igreja Católica e em outras religiões. Já dizia Lênin, fundador do comunismo russo, nos anos 20, que infiltraria a Igreja Católica, particularmente o Vaticano.
    Recentemente tivemos a confirmação com Douglas Hyde, ex-comunista revelando que nos anos 30 os chefes comunistas enviaram uma diretiva à escalada mundial sobre a infiltração na Igreja Católica. No início dos anos 50 a Dra. Bella Dodd, advogada, funcionária de destaque do Partido Comunista Americano, deu informações pormenorizadas sobre esta infiltração. Ouçamos suas próprias palavras: “Nos anos 30 pusemos mil e cem homens no sacerdócio para destruir a Igreja a partir do seu interior”. Dez anos antes do Vaticano II ela declarou: “Nesse momento estão nos cargos mais altos da Igreja”. Afirmou ainda que aqueles infiltrados iriam provocar mudanças tão radicais que “não reconhecerão a Igreja Católica”.
    Na primavera de 1962, na cidade de Metz, na França, o cardeal Eugène Tisserant encontrou-se, nada mais nada menos, com o Metropolita Nikodin, da “igreja ortodoxa russa”, um conhecido agente do KGB e negociaram o que viria a ser conhecido como o Pacto de Metz, ou, mais popularmente, o Acordo Vaticano – Moscou. Este é um triste e irrefutável fato histórico. Dá-se a infiltração comunista na Igreja.
    Que Nossa Senhora Aparecida – Rainha do Brasil nos salve do perigo socialista, comunista. Que o padre Cícero e frei Damião, missionários nordestinos, que tanto combateram o comunismo, protejam e iluminem o sofrido e ordeiro povo nordestino.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Qual o nome deste seminarista, uma pessoa precisa se identificar quando quer passar credibilidade, tenho visto muita gente fake que só quer tirar proveito das pessoas de fé. Paz e bem.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Silvana, você deve convir que as pessoas que sustentam esse estado de coisas, que conspiram e infestam seminários católicos desta maneira, podem muito bem ter ligações estreitas com partidos políticos ou mesmo com sociedade secretas.

      Você acha mesmo seguro que esse seminarista se identifique? Não estaria correndo riscos demais? Bem, ele já teve um trabalho bastante grande para reunir essas informações. Ficar se prendendo a detalhes como “identificação” é desculpa esfarrapada para não sair da preguiça e ir diretamente conferir na fonte o que acontece. Ou, ao menos, aquele que duvida, sinceramente, deveria tentar investigar com outros internos de seminários sobre o que acontece dentro desses antros de sacanagem pseudorreligiosa.

      Um abraço!

      Curtir

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s