A maneira mais eficiente encontrada pela Elite para enfraquecer e anestesiar as massas humanas é lhes atochar cenas surreais que evoquem a Morte e a degradação. Como os seres humanos têm medo mesmo de morrer e tèm ojeriza às cenas degradantes (pornografia infantil, execuções e chacinas, roubo, tripas se esparramando pelos corredores de hospitais, etc.), nos enchem com elas.

Para quê? Para chocar, violentar. A violência é, antes de tudo, um instrumento de opressão psicológica. A violência faz mudar as mentes, reforça o sentimento de separação do indivíduo em relação ao Mundo, exacerba seu instinto de auto-conservação. E, finalmente, a contemplação da violência, essa realidade pura do Caos, nos faz adoecer, no corpo e na alma. De violência psicológica, passamos ao trauma psicossomático. Redunda-se em transtornos mentais, e esses são apenas as primeiras manifestações da espiral do delírio que nos arrasta, às vezes, sem que percebamos.

Tanto a Harmonia como o Caos nos separam para depois nos tornar a juntar: a primeira, nos diferencia nas qualidades que contribuem com os semelhantes e nos aproxima a todos pela Empatia; o segundo, nos separa pelo trauma e violência para, em seguida, nos tornar indiferentes num mingau de irracionalidade e palavras sem sentido.

De sociedades humanas, nos fazem aglomerados amorfos de zumbis. Chegará o tempo em que uma execução sumária, independente do executado, parecerá mais um fato natural e sujeito a pagamento de impostos. Lembram-se da indenização que senhores de escravos recebiam pela morte de cada um dos cativos? No futuro, cada carcaça humana abatida será passível de taxação.

***

Fonte: texto próprio deste autor, adaptado de comentário em postagem de Valéria Mello através de seu perfil no Facebook, sobre a Violência e nossa exposição a ela. Republicado como nota. Acesse e leia aqui.

Créditos pela foto do topo: Associated Press / Horst Faas. Encontrada em matéria do Huffington Post, “‘Vietnam: The Real War’ – Iconic Images Published In New Book By Associated Press (GRAPHIC PICTURES)”, publicada em 2 de outubro de 2013. Disponível em < http://huff.to/18NMvrQ >. Acesso em 6 de junho de 2015.

Um comentário em “Sobre a Elite e a Violência

  1. Bem analisado! Tudo isso que relatou sobre a violência é fruto do pensamento seco, que deixou de ser alimentado pela Natureza, em razão da mudança de fase nela ocorrida.
    Secando o pensamento, seca o sentimento, e a pessoa não sente mais o que faz. Mata, estupra, degola com a maior frieza.
    Todos precisam se aprofundar mais no assunto, que é muito sério.
    Houve uma mudança de comando no mundo invisível. E isso não é brincadeira!
    O mundo transcendental aí está com suas materializações no espaço, chamando à atenção toda a humanidade, para anunciar essa mudança, por eles minuciosamente e muito simplesmente explicada, para alcance de todos, em livros ditados por esse mundo superior.
    Uma hora, quando o sofrimento ultrapassar todos os limites de tolerância, não restando mais muleta alguma a se agarrar e que possa remediar o sofrimento, aí, sim, é provável que todos procurem levar em conta as advertências dos nossos irmãos extraterrenos, ditadas no Brasil e que se encontram nos livros Universo em Desencanto.
    PARABÉNS PELA POSTAGEM, JÚLIO! TEMOS MESMO QUE BATER NESTA TECLA PARA ACORDAR O POVO DO SONO DE PEDRA.
    Abraços com elevado carinho a você e família!

    Curtir

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s