Hoje em dia, quando ouvimos falar de microchip, logo nos vêm à mente aqueles crentes alarmistas e fanáticos que repetem, quase como em mantras, os horrores do Apocalipse bíblico. Porém, deveríamos prestar mais atenção, pois esses peões das seitas cristãs são usados justamente para incutir um aspecto ridículo a fatos que, para além de representarem fábulas, são perigosamente reais. Como diria o título de Sidney Sheldon, representam um perigo real e imediato.

Se você quer desacreditar uma denúncia incômoda (que você sabe que surgirá se você planeja implantar coisas muito graves), desgaste seu conteúdo, exponha exaustivamente o vulgo a ela das mais grotescas e escabrosas formas. Cansado do tema e vendo-o como improvável (a curto prazo), o mesmo vulgo não se aperceberá mais no caso de você resolver colocar tudo aquilo em prática. Afinal, hoje basta que você se defenda, dizendo que é pura “teoria da conspiração”, se alguém lhe acuse de querer implantar a tal marca da Besta em todos o rebanho humano para vigiá-lo. É o que parecem estar fazendo nos EUA. Mas, claro, isso não passa de “teoria da Conspiração”.

As pessoas hoje querem ser modernas, se integrar à teia da informação. É dessa forma que as pessoas querem estar updated, atualizadas. Ser livre, hoje, significa justamente o contrário. Estimulação contraditória [1] numa mistura com o desgaste das ideias mais sensíveis antes que estas sejam colocadas em prática. É como a ação de um vírus. A ideia, tal qual um vírus, é disseminada em ondas inertes até que a população esteja anestesiada diante de suas múltiplas imagens. Quando o vírus realmente efetivo chegar, o “corpo” do gado não se dará conta.

Passada essa primeira parte introdutória, vamos ao que temos de realmente substancial. Vamos aos fatos.

Conceitos

Em poucas palavras, de acordo com a Bíblia cristã, a marca da Besta é uma expressão presente no livro do Apocalipse [2] que refere-se ao dispositivo que marcará, no chamado “fim dos tempos”, os seres humanos que vão aderir a um governo totalitário e antiteísta, de alcance mundial, centrado na figura da Besta. Esta última viria representada por um homem que se fará adorar e seguir de forma absoluta e incontestável, primeiramente numa forma aparentemente benévola e, logo em seguida, brutal e impiedosa.

Ainda, segundo o Apocalipse, haveria dois poderes que regeriam esse processo: um poder político. na pessoa do sempre temido Anticristo, e outro religioso, capitaneado por um contemporâneo Falso Profeta.

Bem, sobre esses últimos, não cabem muitos comentários (que já não tenham sido proferidos). Poderíamos resumir seus conceitos, no entanto, dizendo que:

  • Anticristo é qualquer personagem que age ou agirá contra a ideia ou representação do Cristo (independente de como o concebamos), e;
  • Falso Profeta é qualquer suposto “mestre” que pretendeu ou pretende pregar em nome da Divindade Universal ou da deidade local (tutora deste planeta) sem, todavia, ter provado, pelos frutos de seus atos, a superioridade moral com a qual declarava (ou declara) ser investido pelo Alto. Existiram, e ainda existirão muitos que agem como se fossem autênticos avatares, bastando simples exames de suas doutrinas para captar-lhes as intenções capciosas.

Sobre as profecias

Não há uma causa pré-determinada sequer no Universo, mas somente os efeitos das causas já levadas a termo. Uma profecia nada mais é que uma ordem emitida, com determinada força, pela manifestação de um deus, a saber, a manifestação de uma consciência coletiva. Um deus é exatamente isso: a manifestação da consciência de uma coletividade em termos de efeitos visíveis. Então, esse deus “usa” um de seus possuídos (servos) para transmitir determinadas instruções e ordens.

Uma profecia, para ser realizada, deve ter uma causa, senão os efeitos “preditos” jamais se realizam. É uma lei universal (física e mental): ação e reação. Para que estes efeitos sejam possíveis, há que se ter um grupo coletivo que provoque essa causa ou leve outro grupo a engendrá-la. Por isso, são tão importantes os círculos internos (esotéricos e secretos, que “plantem”) e externos (exotéricos, para inglês ver, que “reguem”) nas religiões. E, absolutamente, todas as religiões os possuem. Inclusive as cristãs (ainda que conduzidos por elementos de outras “sociedades”).

Antecedentes

Acredito que, para os que leem minimamente as crônicas da História do Ocidente, fica patente que o fim dos Tempos ou o tal Juízo Final é aguardado desde os primeiros anos após a referida partida do Rabi Nazareno de nosso meio. Houve muitos eventos que prenunciariam o fim e que clamavam à Consciência das pessoas pelo arrependimento de suas loucuras.

Na verdade, sabemos todos, o que acomete a humanidade é o “complexo de rabo preso”, uma dor milenar na Consciência. Por isso, a histeria e a aflição por um “fogo eterno”. A saber, a conduta humana (antiga e atual) é tão repugnante que a humanidade acredita mesmo que merece tais castigos eternos. Felizmente, acho que a Deidade deste planeta (Cristo) não pensa dessa forma.

Porém, se a profecia está aí, é para que se cumpra. Vem um grupo de pessoas que, acreditando-se arautos do futuro, da modernidade, do mundo material sobre qualquer “fábula” teísta, decidem cumprir a profecia sem que ninguém perceba. Tão ridículo quanto o delírio de o homem pensar ser Deus, é ele pensar que pode ser o Diabo. Um deus humano é ridículo, mas ainda guarda algo de humano; um diabo humano é ridículo e perigoso. caminhando célere para a bestialidade, numa tal encarnação da Besta.

Se a Besta se tratasse apenas de um louco qualquer, um borra-botas, bastaria um headshot nos cornos, e pronto! Ninguém nem ouviria falar do tiro ou da “besta”. Porém, a analisar os fatos seguintes, poderemos constatar uma estreita articulação entre grupos sub limine (antes secretos, agora sem vergonha alguma) para instalar uma ditadura mundial sem precedentes, em nome de seus ídolos ou deuses aliens. Sendo reais ou não, as criaturas que inspiram esses grupos não têm nada de inofensivo ou filantrópico. Muito menos pensam em “direitos humanos”. Vejamos a seguir.

As Pedras-Guia da Geórgia

As pedras-guia da Geórgia [3] constituem um monumento misterioso que foi encomendado por um enigmático representante de “homens bons”, ou “sábios”, e erguido no condado de Elbert, na Geórgia (EUA). A construção é formada de seis pedras em 27 m³ de granito, pesando, ao todo, aproximadamente 108 toneladas, com 5,87 m de altura. Contém mensagens, dirigidas ao mundo, alegadamente para serem lidas “na ocasião de um evento-chave” do futuro próximo, quando a população mundial se veria reduzida drasticamente.

O tal homem se apresentou a uma firma da cidade (Elberton Granite Finishing) sob o pseudônimo de R. C. Christian, em 1979. Obviamente, a primeira impressão que se tem é que ele queria se passar por um agente rosacruz, ou Rosicrucian Christian (cristão rosacruz), a exemplo do lendário Christian Rosenkreutz. Lembrando: os rosacruzes consideram suas fraternidades como co-irmãs das potências maçônicas, tanto pelos rituais como pelas tradições históricas.

Abaixo, o texto das mensagens em português (grifos e comentários meus, entre parênteses):

  • Manter a humanidade abaixo de 500.000.000 em perpétuo equilíbrio com a natureza;
  • Controlar a reprodução sabiamente – aperfeiçoando as condições físicas e a diversidade (isto é, sob os auspícios da Eugenia);
  • Unir a humanidade com um novo idioma vigente (seria o Esperanto?);
  • Controlar a paixão – fé – tradição – e todas as coisas com razão moderada (sim, através da tal “religião filosófica de Lúcifer”, sei!);
  • Proteger povos e nações com leis e tribunais justos (substituir os tribunais e leis nacionais pela ONU);
  • Permitir que todas as nações regulem-se internamente, resolvendo disputas externas em um único tribunal mundial;
  • Evitar leis insignificantes e governantes desnecessários (ou seja, sem qualquer participação do povo);
  • Equilibrar direitos pessoais com deveres sociais (leia-se: ou Estado ou mais Estado!);
  • Valorizar a verdade – beleza – amor – procurando a harmonia com o infinito;
  • Não ser um câncer sobre a terra – Deixar espaço para a natureza – Deixar espaço para a natureza.

Várias são as iniciativas visando a cumprir esses ditames da egrégora [4] iluminista rosacruz e maçônica: o malthusianismo (que pregava até forjar guerras para reduzir a população), o liberalismo (onde bancos tomam tudo que não lhes pertence), o Socialismo (que exterminava até mendigos na URSS), o Nazismo (que fazia experiências com cobaias humanas), etc.

A marca da Besta

A marca é um distintivo. Simples assim. Nos tempos de alta tecnologia da informação em que vivemos, ela serve como meio de autenticação, pelo qual pode-se provar, por exemplo, que a pessoa é ela mesma. Ou seja, a marca é um “distintivo de identidade”. A pessoa é identificada com aquela que o distintivo representa. Ela pode, então, ser localizada, reconhecida e, com base nisso, sofrer sanções ou ser tolerada numa sociedade sob vigilância extrema.

Não nos enganemos: o Nazismo foi apenas um experimento, um ensaio para os métodos que ainda serão largamente usados para controlar e, conforme os ditames da Elite, eliminar os contingentes humanos considerados perigosos para os interesses dominantes. A elite americana jamais foi inimiga do Nazismo, mas sua real financiadora. Basta lembrarmos como Lehmann & Bros., Warburgs, IBM e outras grandes empresas e bancos americanos apoiaram, financeira e tecnologicamente, as operações nazistas. Aliás, como podemos ler neste artigo, as guerras ideológicas (Nazismo X Comunismo, Capitalismo X Comunismo, etc.) são inteiramente fabricadas para justificar a tensão mundial, a polarização de poderes e os lucros da Guerra.

Base da Marinha Americana, em forma de suástica “negativa”, ao estilo nazista, de Coronado Naval Amphibious Base (San Diego, California, EUA).

Após tantas manifestações histéricas dos crentes protestantes (de seitas como o Mormonismo, Testemunhas de Jeová, Igreja Batista, fundadas por maçons) quanto à marca da Besta e o desgaste deste assunto, a população imbecilizada dos EUA e do mundo inteiro mal consegue perceber o quão perigoso tem sido o avanço da internet sobre nossas vidas. Com a tal convergência digital, nossa privacidade já não existe, de fato. Para se ter uma ideia, o Google (que cede dados à CIA e à NSA) pretende, em cerca de cinco anos, colocar microfones e câmeras nas lâmpadas de postes de iluminação e dentro das casas para “facilitar o acesso às informações e aumentar a segurança da população”.

Barack Obama, um sujeito que, dizem, já ter participado até de missões secretas a Marte, além de não passar de um agente da Elite plantado na presidência dos EUA, leva ainda à frente a ideia de implantar chips em todos os cidadãos americanos como parte de seu Obamacare, o plano de reforma do sistema de saúde daquele país. Dessa forma, começariam a acostumar a população ao uso do microchip, sob as fracas desculpas de concentrar o histórico clínico dos pacientes e facilitar sua identificação quando do uso dos serviços públicos de saúde.

Microchip Besta

Obviamente, esse seria apenas um ensaio. Com a aprovação em massa das supostas facilidades, o uso se estenderia às transações bancárias (saques, depósitos, transferências, etc.), acesso à internet, ao transporte público, edifícios do governo, pagamento de contas, benefícios sociais e ajuda alimentar, entre outras. Apesar de muitos sites “livres” classificarem essas teorias como “conspiratórias”, todavia, temos fartas evidências, em documentos e publicações oficiais do governo dos EUA, de que grandes esforços estão preparando a “chipagem” em massa dos norte-americanos.

A lei aprovada em em 23 de março de 2010, que instituiu uma reforma do antigo sistema chamado de Medicaid/Medicare, agora conhecido como Obamacare, estabeleceu o uso de um novo “dispositivo de classe II, que é implantável” que armazenará e transmitirá dados pessoais e clínicos de todos os americanos usuários do serviço público de saúde. Veja:

HR 3200 on implantable devices

No site da FDA (Food and Drug Administration), agência americana análoga à brasileira ANVISA, encontramos postagens como essa abaixo:

FDA (2015). Smart Ways to Manage Health Need Smart Regulation. Entrada (online). FDA Voice. Publicada em 6 de fevereiro de 2015. (Clique na imagem para acessar a página.)
FDA (2015). Smart Ways to Manage Health Need Smart Regulation. Entrada (online). FDA Voice. Publicada em 6 de fevereiro de 2015. (Clique na imagem para acessar a página.)

Os trechos em destaque nos dizem: “Formas inteligentes para administrar a saúde necessitam Regulação inteligente (…). A miríade de sistemas que gravam, compartilham e usam dados pessoais e clínicos têm sido uma significativa ajuda ao dispor informações nas pontas de nossos dedos para usarmos quando e onde as julgamos úteis para promover um estilo de vida saudável”.

Abaixo, uma propaganda escancarada do modelo que será implantado em breve em todos os americanos, tão logo surja a ocasião de torná-lo obrigatório (caso não seja aceito, como é previsível):

A seguir, anúncios sobre a nova “identidade” (microchip por rádiofrequência) na TV americana. São anúncios que não deixam dúvidas. Obviamente, esses microchips transmitirão a localização do cidadão, em tempo real, para os data centers do Governo via GPS, permitindo que todo o gado humano seja controlado e, no tempo hábil e segundo as necessidades da Elite, abatido.

A Lei Marcial

Muita gente não sabe, mas o presidente dos EUA, nação que é modelo de “liberdade” para o Ocidente, tem mais poderes legais como Chefe de Estado que qualquer outro ditador do mundo possa deter de forma ilegal.

Para que serviu o atentado às Torres Gêmeas do World Trade Center, senão para justificar a expropriação de campos de petróleo do Iraque, enriquecimento da indústria de armas (às quais serve ainda a família Bush) e o cerceamento das liberdade civis dos americanos?

Do bando de atores financiado pela família saudita de Osama Bin Laden (treinado pela CIA, em 1979, no Afeganistão), veio o ataque propositalmente ignorado pela CIA, o qual deu o pretexto perfeito para a aprovação do PATRIOTIC ACT, a lei que deu superpoderes sem precedentes ao presidente americano. Estes incluem poder para ordenar a detenção, manutenção em cativeiro federal ou execução de qualquer cidadão sob “suspeita de terrorismo”, sem necessidade de processo ou autorização judicial (vide artigo do site Infowars). Isto seria útil, por exemplo, no início da vigência da Lei Marcial (estado de Guerra ou insegurança nacional).

Obviamente, quem está sendo espiado é o cidadão americano inocente, comum, e não os terroristas. Segundo o senador Russ Feingold, em 2008, o Departamento de Justiça norte-americano expediu 763 pedidos de quebra de sugilo de dados, mas apenas três deles tinham realmente a ver com investigações sobre terrorismo.

Outra medida, que acabará de vez com as chances de resistência da população americana ao golpe de Estado que se avizinha, é a insistência no desarmamento dos cidadãos, sob pretexto da diminuição da violência. Com os cidadãos desarmados e indefesos, ficará extremamente fácil, no caso de um estado de motim e subversão (incitado por operações da CIA), a evacuação e remoção forçada de grandes contingentes de prisioneiros para os campos de concentração da FEMA (sigla, em inglês, da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências), num total aproximado de 3.200 locais de detenção.

A FEMA, em conjunto com as Forças Armadas americanas, tem intensificado os treinamentos militares para evacuação rápida de populações e repressão a motins em cidades. Sendo vinculada diretamente ao Presidente dos EUA, através da Secretaria de Defesa do Interior, a FEMA tem prerrogativas especiais, inclusive, para desobedecer o presidente caso este falte com suas “obrigações”.

Quem nunca ouviu falar dos milhões de caixões herméticos que o Governo americano encomenda ainda hoje a empresas como a Polyguard? Para quem não sabe, tais caixões de fibra comportam até 4 cadáveres. Por que estariam encomendando tantos caixões? Se há expectativa de alguma catástrofe da qual se esperam milhões de mortes, por que não nos deixam a par? Ou será que pretendem matar milhões dessas pessoas em campos de detenção do Governo? Afinal, por que não nos deixam conhecer tais campos destinados a “possíveis refugiados”?

O mais aterrador foi descobrir, durante essa pesquisa, que esses campos já contam com, pelo menos, 30 mil guilhotinas para execução de seres humanos, tais como essa da imagem abaixo. Não, isso não é um boato. Na falta de munição para fuzilamentos, acredito que esse será o método mais “indicado” e preferido de alguns generais. Enfim, os iluministas poderão reviver seus fetiches revolucionários.

Guilhotinas como essa, nas instalações da FEMA, existem em número desconhecido.

Não é difícil perceber que os recentes incidentes de conflito racial e assassinatos em massa nos EUA são capitalizados na direção da vigilância sempre maior e cerceamento de direitos civis, sempre em favor de maior “segurança”. As próprias instituições da Nação americana, desde a mídia até os partidos políticos, passando pelo Judiciário, servem a interesses da Elite, que manda e desmanda sem resistências razoáveis.

E, assim, nos encaminhamos e nos preparamos para a Nova Ordem Mundial, onde o direito à Vida será solenemente proscrito. Aliás, ser humano não será muito mais do que ser um animal sem alma, pois que o que se seguirá será o Terror sem nome.

A Nova Ordem Mundial

Controlar, de forma onipresente, todo o planeta, se apossar de todas as propriedades, manter escravizada toda a população e, ainda, receber a anuência dessa população. Eis a grande Obra da Nova Ordem Mundial. Afinal, o que é essa tal “nova ordem”?

Diferente do que acontecia nos tempos antigos, obrigar uma população a pagar tributos ou exigir-lhe reverência não é algo muito fácil hoje em dia. Ainda mais se não se quer que ela saiba quem tenta fazer isso. Para conseguir seus objetivos, certos “senhores” estão unidos há alguns séculos para instaurar o que chamam de Nova Ordem Mundial, título equivalente ao adágio latino Novus Ordo Sæculorum, presente no verso da nota de um dólar. No centro da mesma cédula, há a pirâmide maçônica com o cume descendo sobre a mesma e sob o olho que tudo vê. O cume da pirâmide descendo sobre a base simboliza o advento, ao Poder supremo deste Mundo, da elite maçônica, representante da “Luz” de Lúcifer (chamado de Grande Arquiteto do Universo) sobre a Terra.

Todos os poderes políticos e hierarquias religiosas mundiais já estão dominadas pela Elite maçônica, especialmente a hierarquia católica, antes sua inimiga mortal. Com o Concílio Vaticano II e a substituição de Pio XII pelo comunista maçom João XXIII, veio o golpe fatal e a invasão maçônica obteve sucesso. Após isso, a Igreja começou a ser carcomida e demolida a partir de dentro dos templos pelo trabalho dos bispos maçons infiltrados. Enfraquecendo a disciplina, nomeando padres pedófilos e disseminando a palhaçada nos altares, os maçons começaram a dissolver a paganizada egrégora da Igreja de Roma.

O que podemos esperar? Com a população sem Fé, desunida, bestializada e confusa, as egrégoras maçônicas e similares se tornam cada vez mais fortes e caminham céleres para o cumprimento das profecias que eles mesmos se propuseram a anunciar, através de seus anticristos. No Martinismo, a N.O.M. chama-se Sinarquia (em grego, “convergência dos poderes”). Entre os rosacruzes, anseia-se pela Religião Única Mundial, braço da Besta, alternativa ao Governo Único Mundial.

Obviamente, muitas pessoas, em tempos de paz, se recusarão a ter implantado um chip em sua mão ou testa. Porém, sob os horrores de uma Guerra Mundial, colapso da economia, desaparecimento do dinheiro, dependência de rações em campos de refugiados, epidemias mortais, leis marciais, insegurança e catástrofes, poucas pessoas conseguirão ter força psicológica para resistir a ordens vindas de cima, tamanho será o estresse de tragédias e calamidades em escala mundial.

Em uma região em que milhões estiverem mortas, desaparecidas, presas ou tiverem sido removidas para locais distantes, o Estado poderá reivindicar a tutela e a expropriação de todas as propriedades, inclusive de outros países sem governo aparente. Os recursos serão tomados, o dinheiro será eletrônico, pois o papel-moeda deixará de existir após o colapso dos sistemas bancário e de emissão. Na falta de um padrão de valor intercambiável (pois não haveria propriedades particulares), seremos escravos a comer o que nos derem, sob o valor que determinarem.

Poderão nos matar quando quiserem, diretamente ou remotamente (se os chips carregarem cianeto e receber um sinal, por exemplo). Poderão nos enviar mensagens em microondas, pelos mesmos chips, como já acontece nas programações mentais à distância e possível indução de assassinos em massa (pesquisem sobre o Monarca e HAARP).

Haverá apenas um governo e um só gado. Uma só fé e um só deus (pois a Consciência coletiva terá sido uniformizada). Um planeta de lesados, vegetando e aguardando sua vez no abatedouro.

***

NOTAS:

[1] O psicólogo russo Ivan Pavlov (1849 – 1936) demonstrou que a estimulação contraditória é a maneira mais rápida e eficiente de quebrar as defesas psicológicas de um indivíduo (ou de um punhado deles), reduzindo-o a um estado de credulidade devota no qual ele aceitará como naturais e certos os comandos mais absurdos, as opiniões mais incongruentes. Isso funciona de maneira quase infalível, mesmo que os estímulos sejam de ordem puramente cognitiva e sem grande alarde emocional (frases contraditórias ditas numa sequência camuflada, de modo a criar uma confusão subconsciente). Mas é claro que funciona muito mais se o sujeito for submetido ao impacto de emoções contraditórias fortes o bastante para criar rapidamente um estado de desconforto psicológico intolerável. Para ler mais: SOFOS. Estimulação contraditória. Artigo (online). Sofos: Expressões Filosóficas. Disponível em < http://goo.gl/aqNGIy >. Acesso em 29 de julho de 2015.

[2] Apocalipse 13,17. || Outras referências à Besta no Apocalipse: 13,1-18; 14,9; 16,10.13; 17,8-16; 19,19.20.

[3] Para referência detalhada sobre as pedras-guia da Geórgia, recomendo o artigo da Wikipedia: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedras_guia_da_Ge%C3%B3rgia >.

[4] Egrégora: palavra derivada do verbo grego egeíro e que significa “vigilante”. No ocultismo, corresponde ao agregado coletivo de energia mental, pensamentos e crenças dos integrantes de um grupo, seja de que natureza for (religioso, político, acadêmico, etc.). Dependendo do poder, dos rituais, da força e da habilidade do líder, a egrégora pode se converter em uma criatura semi-consciente autônoma, invisível, alimentada pelas emoções dos membros do grupo, capaz de “vigiar e proteger” o grupo, confundida, por vezes, com um deus ou deusa (ou santo/a, no caso dos católicos) (N. do E.).

Anúncios

6 comentários em “[ESPECIAL] A Besta: Apocalipse, microchips, Lei Marcial e a Nova Ordem Mundial

  1. CONTINUA GROSSEIRO, PARA PIORAR, DESATUALIZADO.

    ESTE É O MELHOR SITE CATÓLICO QUE EXISTE SOBRE OS TEMAS OS QUAIS VOCE SE DESFAZ.

    http://www.rainhamaria.com.br/Secao/6/Nova-EraEm

    Rainha Maria
    http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/15296/Cardeal-Scola-diz…Em cache
    Rainha Maria. Artigos Apostasia no … feliz” em vista da próxima reunião no Vaticano entre o papa Francisco e o líder do … projetada pelo Governo da Nova Ordem …

    Rainha Maria
    http://www.imaculadamaria.com.br/Pagina/18241/Video-O-melhor…Em cache
    Rainha Maria. Artigos Apostasia no … Apostasia na Igreja e no Mundo. Nova Era e Nova Ordem Mundial. Artigos para Refletir. Combate ao demônio. A igreja Católica e ..

    Curtir

    1. Pessoa grosseira, sem a pretensa finésse dos nobres, é aquela que não sabe saudar alguém com bom dia/ boa tarde / boa noite onde quer que entre. Na ausência de tais bons modos de sua parte, deixo você com as respostas que lhe cabem.

      Primeiro: acho que você não tem elementos para me reputar como desatualizado. Você nem saberia me explicar qual a diferença do sentido literal para o simbólico do adágio Novus Ordo Sæculorum (Nova Ordem Mundial). Isso só para dar um exemplo a alguém que sabe apenas vomitar links sem fundamentar sua crítica. Se você, ao menos, pudesse justificar o que disse, eu não ficaria chateado.

      Segundo: quem disse que essa pesquisa é algo para defender posições católicas? Por que eu tomaria um site “católico” como referência? Verifique o conteúdo e retome, ao menos, um facho de luz de lógica. Dê-se ao trabalho de uma análise menos superficial. Assim, demonstrará dar algum valor ao meu esforço, ao invés de arrotar o que não comeu.

      Terceiro: complementando o segundo argumento, esse artigo pouco tem a ver com apostasia ou assuntos de uma religião em particular, mas com vigilância e ditadura. Isso não é novo nem estranho na História do Mundo em que os cristãos estão inseridos.

      Quarto: agora sim, bom dia pra você e volte sempre… com um pouco mais de educação e polidez! 😉

      Curtir

  2. Mano Júlio! Este, como todos os outros artigos seus, bem mostram a sua seriedade em estudar e pesquisar assuntos, deveras sérios, para melhor informar e inteirar à humanidade sobre a realidade vexatória do mundo em que habitamos, onde todas as controvérsias, brigas, guerras, para quem acompanha com atenção seus excelentes artigos, chega a uma só conclusão:A VAIDADE, A GRANDE VILÃ DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE, CAUSADA PELO DESINTERESSE DO POVO EM CONHECER AS COISAS COMO REALMENTE SÃO. Gratidão sempre, meu Irmão! Abraços de sua Irmã e Amiga Nágea. (Na Web Conferência para a qual lhe convidei no 1º de agosto pp, notei a presença virtual de um JÚLIO CÉSAR. Como convidei outro amigo do mesmo nome, gostaria de saber se era você. Se sim, ficam aqui meus mais sinceros agradecimentos pela presença. Se não, convido sua pessoa para a próxima no próximo dia 22).

    Curtido por 1 pessoa

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s