Apocalipse tupiniquim


O Brasil está perdido. O povo está perdido por ser desprezado e mal instruído. O Circo foi bem montado, a plateia se divertiu entre pipocas e gororobas ao longo desses últimos dois séculos. De repente, parece que a fumaça dos ilusionistas está a provocar um incêndio no Circo. Será o Apocalipse deste regime fraudulento, chamado República?

Quando digo crer que nada é por acaso, com isso não estou a tecer apenas injunções filosóficas. Acima de tudo, quero dizer que há um planejamento exemplar para que os fatos se encadeem perfeitamente, visando desdobramentos específicos a longo prazo. As chances de sucesso de um grupo político, que se lance a um planejamento estratégico a longo prazo, serão tanto maiores quanto menos pessoas detiverem as informações sobre os porquês das coisas serem como são.

Assim como um paciente com amnésia, um povo sem memórias autênticas não sabe de onde veio, como foi formado e para onde pode (senão mesmo, deve) ir. Logo, basta que se crie os problemas e se apresente, ao povo ignorante de si, as soluções mais convenientes ao grupo regente, sendo estas as únicas opções legais. Quando há outras opções legais, ou elas são desprezadas pelos educadores (responsáveis por repassarem as memórias ao povo) ou são denegridas pela mídia (responsável por formatar uma nova memória ao povo). Educadores, cujas mentes são formatadas pela mídia de sua adolescência, espalham o vírus da alienação e da distorção. A Mídia, essa megera, opera a mágica que transforma a memória de um povo em uma gelatina irreconhecível e intragável. (Nesse contexto, sugiro a leitura dos célebres volumes da História Secreta do Brasil, de Gustavo Barroso.)

A Educação, tanto a laica como a religiosa, hoje não passa de instrumento da fraude mais crassa e infame. Nesse cenário, destaco a vertente positivista e ecumênica da mesma, pela qual todo mito é considerado escroto e primitivo, bem como a espiritualidade é marcada subliminarmente com o brand de um “novo mundo”. Nihil novi sub Sole, já dizia o velho provérbio bíblico. Nada de novo sob o Sol! Nada de novo há a ser conhecido. Mas, até o que deveria ser re-conhecido é distorcido sob o cinismo de uns ladrões e sob a complacência de outros preguiçosos imbecilizados.

Neste Brasil feito colônia, sendo que jamais o terá sido; diante desta piada pronta, chamada democracia ocidental; diante da ostentação bisonha de uma ilusão libertária de seres animalizados; ao ver que, colônia feita, ladrões conduzem ladrões e os descartam como a fantoches, tendo em vista a consolidação da Sinarquia da Besta, não vejo outro fim que não a entrada do Brasil, por meio de seu Apocalipse nacional, nas teias da Nova Ordem Mundial.

Profecias não são previsões sobrenaturais na boca da maioria dos “profetas”. Profecias são, na verdade, ordens e instruções “superiores” do que deverá acontecer em um tempo distante no futuro. Cabe aos partidários da “profecia”, mais do que solidificarem uma egrégora poderosa para a consecução de tais acontecimentos, efetivamente darem ensejo à plena realização dos fatos “profetizados”, arquitetando-os através do uso espúrio das Leis Herméticas, principalmente o Princípio das Correspondências e das Polaridades.

Assim, quem poderia “profetizar” que o Mal. Castello Branco iria editar uma lei de desapropriação de terras ainda mais radical do que a do “comunista” Jango? Como poderíamos supor que os oniscientes magos da Inteligência do Exército deixariam fugir os cabeças dos revolucionários (Brizola, José Serra, FHC) e se contentariam em sumir com outros vagabundos de menor expressão? O Gen. Figueiredo já havia “profetizado” que a escolha de um governante de Esquerda seria a ruína do Brasil e que dar direito de voto a quem não sabia nem escovar os dentes era uma chacota com o país.

Lula surge dentro da CNBB, com patrocínio da Maçonaria comunista (embora de braços dados com banqueiros, seus agentes financeiros). Bate de frente com a Elite que o patrocinou, sem que ele mesmo soubesse. Não percebe o estuprador de cabritas de Garanhuns que, sendo ele um preguiçoso, oportunista, racista e burro, desonrava os milhões de pobres que não se alinhavam com sua laia imunda, assim como dava o ensejo perfeito para que, décadas depois, aqueles aos quais ele dizia combater (na maioria das vezes, apenas da boca para fora) pudessem voltar para completar a execução da hipoteca do Brasil. Ambos os lados do tabuleiro, Esquerda e Direita, são antros de idiotas fanáticos e de uma massa sacudida por sentimentalismos toscos e dividida por queixumes de comadres.

“A voz do Povo é a voz de Deus”, dizem. Pois, o PT (que, supostamente, deveria representar o Povo), se torna o eixo central de um vórtice medonho, no centro do qual giram, em velocidades cada vez mais assustadoras, as elites opostas que se refestelam nesse Puteiro Tupiniquim. O fim do PT está próximo, mas também se acerca a vergonha de muitos urubus carniceiros que se alimentaram, por mais de dois séculos, da vida e morte de todo o Povo Brasileiro. Será isso um indício de libertação? Eu diria que não, apenas uma acomodação drástica aos difíceis tempos que estão por vir.

Após Dilma, veio Temer, com seu sobrenome fértil em trocadilhos. Temer está eivado até a alma de relações com a trambicagem de seu partido mafioso e putanheiro. Após Temer, quem teríamos? Renan Calheiros, Eduardo Cunha? Em caso de novas eleições, veríamos que figurinhas: a de Marina Silva (evangélica abortista com cara de ET desnutrido) ou de Ciro Gomes (famoso camaleão cearense)? Fato: não temos pessoa alguma para governar o Brasil. O STF é uma instituição estranha e de pouca confiança, em minha opinião. Virão as Forças Armadas?

Eu, realmente, detesto a ideia de ter que baixar a bola para milico. O Poder é ocasião para paixões e não deve ser entregue a uma instituição que está fora do julgamento do Povo. Muitos militares são de nobre índole, mas os que dão as ordens na caserna, para valer e em sua maioria, não valem o peso que defecam, não passando de porta-vozes dos covis iluministas radicais (acima de qualquer coisa). Mas, vejo que não sobrará pedra sobre pedra desta saraivada de escândalos ao ventilador. Ninguém estaria apto a governar. Poderia apostar que a soma dos votos de todos os possíveis candidatos não chegariam a superar o montante de votos nulos e em branco. Não sobrará quem conte a história e o STF não assumirá o governo.

Palpite para o final desta novela: as Forças Armadas serão invocadas pelo STF para presidir o país, ao passo que o Mundo segue célere em direção de uma guerra nuclear e de uma ditadura global pós-apocalíptica. Há um certo padrão de desmonte da civilização de faz-de-conta vigorando no formigueiro humano da crosta terrestre. O que virá depois? Estaremos livres? Não é que o buraco seja mais embaixo, é a alfafa que está sempre muito à frente do burro. O Burro está chipado, vigiado, cagado, faminto e pagando para trotar fantasiado como boneco de posto.

Game over!

Anúncios

5 thoughts on “Apocalipse tupiniquim

  1. PARABÉNS, MANO! EXCELENTE! É ISSO AÍ! AINDA BEM QUE DEUS EXISTE! FORTE ABRAÇO!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ainda bem… Forte abraço, querida! 😀

      Curtido por 1 pessoa

  2. Queria muito o livro Brasil colônia de Banqueiros., e muito obrigado por a história secreta Brasil. Abraço

    Curtido por 1 pessoa

  3. Aristarco Pederneiras 14 de março de 2017 — 23:46

    Gostaria muito também do livro “Brasil colônia de banqueiros”

    Curtir

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close