Em meio aos Girassóis


Com gratidão,

Para Jean Karpinejar, que me ensinou a escrever minhas primeiras baladas bucólicas.

***

EM MEIOS AOS GIRASSÓIS

– Bom dia, Sol! – diz certa flor
Ao seu provedor iluminado,
Com olhos ao Céu tornado,
Pintado à mão, em única cor.
– Enquanto move-me o teu calor,
Meu Rei-Sol, és informado
De quão natural é este Amor
Por meu Senhor e meu amado.

– Mas, é o Sol por ti mirado,
Ou é o Sol esse que sou?
De flores te terei ornado
Dos jardins por onde vou.
Nem um deles sequer secou,
Pois o Sol te há brilhado
Pela Via em que me achou
Aquela pela qual sou amado.

Seguem ambos, lado a lado,
Em meio a tantos girassóis.
Par em perfeito bailado;
Do gramado, seus lençóis.
Desde o solo, assim, decorado,
Entoam vivas alguns caracóis,
Que fazem coro, a uma voz,
À voz da que me tem amado.

Registro, aqui, o chamado
Daqueles milhões de sóis
Que invejam nossos girassóis,
Por terem eles mais brilhado
Quanto mais se têm amado.

(Ebrael Shaddai, 12 de outubro de 2016.)

Anúncios

6 Replies to “Em meio aos Girassóis”

  1. Há cupidos traidores e há cupidos que sabem amar! E disse sua pessoa a VERDADE, pois o BRILHO é na mesma proporção do AMOR. Lindo poema! Parabéns, meu Irmão! Grande abraço e um 2017 que alcance o máximo possível da sabedoria para sua pessoa e sua família – da sabedoria advém tudo de bom e de bem que todos precisamos para alcançar o equilíbrio perfeito racional – moral, físico e financeiro!

    Curtido por 1 pessoa

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s