Herr Mannelig e outras pérolas


Enquanto garimpava novos estilos musicais que me agradassem (já que os bons estilos sucumbem à fome no Brasil), vim, de sugestão em sugestão, a conhecer alguns grupos da Europa que lutavam para preservar a cultura tradicional de suas pátrias. Saudosista como eu sou, sendo fascinado pela Idade Média e pelo seu imaginário todo particular, encontrei farto alimento para os meus fones de ouvido.

Algumas bandas me chamaram mais a atenção, tais como GarmarnaFaun, In ExtremoEivør Haggard. Podemos considerá-las como arautos da temática gótica, mas seguindo estilos diferentes. Porém, todas procedentes de países nórdicos ou das proximidades (como In Extremo). Entretanto, minha anfitriã neste mundo foi, com honras, a banda Garmarna, da Suécia.

Formação inicial da Garmarna, com destaque para Emma Härdellin, vocalista e violinista.

Fundada em 1990 com foco nas antigas canções folclóricas da Suécia, a banda trazia um frescor revigorante à herança cultural que, antes, jazia já meio adormecida na alma de seu povo. Com a voz doce e sotaque marcante de Emma Härdellin, rapidamente alçou voo como sucesso nos países escandinavos e de língua germânica, levando a musicalidade do idioma sueco a terras distantes.

Garmarna continuou fazendo bastante sucesso até fins dos anos 2.000, quando cadenciou seu ritmo, naturalmente. Por fim, chegaram a lançar um álbum (em homenagem a Hildegard von Bingen) com canções religiosas medievais em latim, de inspiração católica, indicando respeito pela herança tradicional de outros povos do continente europeu (coisa de gente civilizada).

Aqui, destaco algumas canções tradicionais que fazem parte do folclore gótico medieval e que combinam bem, dentro do trabalho de Garmarna, batidas modernas com a solenidade medieval.

Herr Mannelig

A primeira canção que eu encontrei foi Herr Mannelig (em inglês, Sir Mannelig, ou “Senhor Mannelig”), também gravada em vários idiomas por outros grupos (em alemão, italiano, inglês, etc.).

Herr Mannelig conta a estória de uma mulher, conhecida como sendo uma troll, criatura mítica tida como bruxa diabólica pelos medievais, que precisava casar-se com algum digno cavaleiro cristão para livrar-se da maldição de viver na forma de uma troll. Esse cavaleiro escolhido veio a ser Sir Mannelig que, no entanto, recusa suas ofertas de grande dote para que ele a desposasse por não ser ela uma mulher cristã (e, ainda por cima, uma bergatroll, troll da montanha”).

Abaixo o vídeo com a música. Para saber mais sobre esta canção e acompanhar a música com a letra em sueco e a tradução em inglês, clique aqui.

Como Herr Mannelig pertence ao povo sueco e ao Mundo, outros artistas também criaram suas próprias versões musicadas da lenda do Cavaleiro e da bruxa troll. Seguem versões selecionadas:

Vänner och Fränder

Este título significa, aproximadamente, Parentes e Amigos. Refere-se a uma reunião de nobres, parentes e amigos da família de uma princesa, a qual deveria ser dada em casamento a algum rico fidalgo, menos ao pobre Roland (Rolando, nas traduções da novela em português). Deliberam cedê-la a um rico príncipe.

Este, no entanto, não consegue consumar o casamento na noite de núpcias, pois a princesa amava justamente aquele contra o qual estavam seus parentes. Como fariam para persuadi-la? Não sabiam. Quando a dita princesa soube que Roland estava para partir em seu barco, para nunca mais voltar, não deteve-se e fugiu para ir-se embora em companhia do mesmo.

Abaixo, a performance de Garmarna para Vänner och Fränder, em vídeo. Para saber mais, acompanhar a música com sua letra e tradução (em português), clique aqui.

Outras versões:

Hilla Lilla

Segundo um artigo (em inglês), esta balada se baseia na estória de Hilla Lilla (em sueco, “Pequena Hilla”), já contada em várias culturas de forma similar, a respeito de uma princesa (Lilla, que tinha como guarda um cavaleiro, o duque Hillebrand, o qual ela amava). Enquanto planejavam fugir juntos para que ela escapasse de algum casamento arranjado, encontravam-se às escondidas.

Certo dia, caminhavam pelo bosque quando o cavaleiro cai em sono profundo no colo da princesa. Sem terem tido nada que a desonrasse, seus irmãos, seu pai e sua mãe chegam a eles, procurando-a após darem pela falta dela. O cavaleiro a instrui a não pronunciar seu nome, no caso de um embate com seus irmãos ocorrer, já que Hillebrand portava seu elmo. Após ter batido seu pai e seis de seus sete irmãos em duelo, Lilla pronuncia o nome de Hillebrand quando este vencia o sétimo irmão da mesma. Ele se distrai e leva um golpe mortal, cai morto. Lilla é levada dali por seu irmão e sua mãe. Ao fim e ao cabo, ela morre de tristeza (depressão) dentro de alguns dias após a morte de Hillebrand.

Abaixo, a performance de Garmarna para Hiila Lilla, em vídeo. Para saber mais, acompanhar a música com sua letra, clique aqui.

Outras versões:

Outros grandes sucessos

Para conhecer outros grandes sucessos de Garmarna, acesse minha playlist pessoal.

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.