Náufragos sem fronteiras


Sim, essa postagem é uma crítica, além de simples reflexão. Sim, ela se aplica aos seres humanos ansiosos, perdidos e confortavelmente à deriva em meio a esse grande Oceano de gente em que vivemos. Náufragos, de todas as idades, de todos os lugares, de todas as redes.

Se, como cantava Raul Seixas, cada um de nós é um Universo, esses universos não se tocam mais. Um feitiço, inerente à “luz” da tecnologia, parece criar redomas de isolamento, fazendo com que nossas mentes voem em direção ao impensável e esqueçam as pessoas que estão bem perto de nós. Mais nos parecemos com os personagens d’O Feitiço de Áquila, Navar e Isabeau, os quais, quando quase parecem se tocar, percebem que tudo não passa de uma miragem, de um sonho.

Nesta imensa rede virtual, que coleciona nossas mentes tanto quanto nossos rostos; cataloga nossos pensamentos e sentimentos, vemos as dobras do tecido do espaço-tempo se curvarem. Cremos, por alguns momentos, que vamos nos tocar; que nossos universos paralelos, afins pelos Corações e angústias, vão se chocar. Não seria um deleite maravilhoso ver o marasmo da vida cotidiana se transformar em fogo e luz? Acaso, não ficaríamos perplexos com tamanho feito de magia, supostamente unindo pessoas de várias origens, numa realidade verdadeiramente virtual?

Triste é que, não bastassem as aparências mornas que nos anestesiam as frustrações, ainda nos refestelamos nas praias da internet, entre vaidades baratas e monólogos sem importância. Discursos políticos, bandeiras extremistas, bate-bocas corriqueiros, desfilam diante de nossas telas, em cenas que nos lembram o Náufrago, encenado por Tom Hanks. Qual seria a diferença, afinal, entre o Wilson, a bola de vôlei que salvou a sanidade mental do personagem, e essa nossa ilusão de que não estamos sós, irremediavelmente sós?

5 comentários em “Náufragos sem fronteiras

      1. Quando a pessoa sente e desperta a verdadeira LUZ INTERIOR, que é o TUDO que mantém todas as dimensões vibratórias SUPERIORES e inferiores, a pessoa fica em sintonia com tudo e com todos, compreendendo o porquê de cada dimensão e sentindo um elevadíssimo amor pelo TODO EXISTENTE, visível e invisível. Aí, passa a ter cobertura e amparo e respeito de todas as FORÇAS do UNIVERSO, e finda-se a solidão, por a pessoa não se sentir mais nem superior, nem inferior a nada nem a ninguém. Aí a pessoa se completa. Neste ponto, o raciocínio está completamente desenvolvido e evoluído. E isso se consegue tão somente através do conhecimento completo e verdadeiro da VIDA, que é o SIMPLES DOS SIMPLES!
        Abração para você também!

        Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para nalub7 Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.