Categorias
Bizarro Brasil Comportamento Política

Bolsonarismo e Neonazismo


Não dá mais para disfarçar e dizer que é apenas maluquice de alguns seguidores bolsonaristas. Não, não é. Obviamente, a imensa massa dos que votaram em Jair Bolsonaro e em seu programa demagógico segue alienada e subjugada pelo abuso ideológico do Macunaíma moderno.

Mas, aqui estamos para escavar fundo nesse lodo macabro do Neofascismo brasileiro. Reserve algum tempo para tomar conhecimento dos fatos.

Nos meses mais recentes, as falas e ações de Jair Bolsonaro e de sua militância trouxeram à luz o ranço ideológico que eu mesmo nunca tinha presenciado, a saber, do fanatismo do que eu entendia ser a lendária extrema-direita, importada da Europa e dos Estados Unidos. São características inconfundíveis manifestadas, não sei se conscientes, da parte de Bolsonaro, ou não.

Antecedentes

Bolsonaro é, sim, racista. Não percebe, mas é. Fala como racista, e age como tal. E é por sua política de controle de natalidade (leia-se: esterilização em massa e legalização do aborto) um dos motivos de eu me posicionar sempre contra o aborto, não mais por motivos religiosos. Afinal, ele entende o controle de natalidade como uma forma de evitar que mais pobres nasçam. Obviamente, as feministas negras, que apoiam o “direito” ao aborto, não conseguem perceber que o aborto legalizado visará, em última análise, conter a “reprodução” (nas falas de Bolsonaro) de negros.

Apesar de eu sempre ter sido crítico do uso político da militância LGBT a favor do que eu entendo como privilégios, da homofobia, é algo evidente a aversão que Bolsonaro tem a gays. Quando lhe é conveniente, Bolsonaro finge não ter problemas com a sexualidade alheia. Mas, basta que lhe perguntem o que ele faria caso seu filho fosse gay para que ele deixe aflorar seus traumas do passado e mostre toda sua truculência.

Enfim: apoio às ditaduras militares, defesa de torturadores, incitação a execuções em massa, intenções de golpe, aberto apoio ao uso da violência, corporativismo inveterado, tendências eugenistas, autoritarismo e recurso à demagogia. Não bastasse todos estes indicativos, testemunhamos os reiterados casos de uso de retórica, por ele e por integrantes de seus assistentes, que coincide com a nazifascista, como veremos à frente.

Características neofascistas

Como podemos ler em outra matéria, o Fascismo não nasce de uma ideologia específica dentro do espectro que vai da Esquerda à Direita. Este é um fenômeno de massas, decorrente de um mal-estar na civilização e de algumas condições pré-dispostas.

Considerando que, em minha opinião, nunca tivemos uma sociedade que fora, de fato, socialista (considerando as condições que Lênin delineou), o Fascismo de dois séculos para cá se resumiu em tentativas locais (sempre, locais) de controlar e conduzir as massas em vias de sublevação. Ou seja, o líder fascista se apropria do discurso de insatisfação e encarna, como um ídolo, os ideais reprimidos de uma parcela da população. Conseguido isso, conduz o Povo a um destino muito diferente daquele que o emanciparia, de fato.

O líder fascista sempre ascenderá ao Poder segundo os ritos políticos aceitos para, logo em seguida, baseado no culto à sua personalidade e apoiado por uma militância fanática, tentar dissolver as instituições políticas e mudar, conforme sua vontade (ou de outrem), as Leis. Ele nunca se dirige aos seus oponentes, senão com ameaças, deboches e desprezo. Quando faz promessas, o faz para seu rebanho, como um messias. Não arma seus oponentes, nem lhes dá a chance de usarem a Lei contra si. Para os fascistas, vale o que Maquiavel disse: Para os amigos, tudo; para os inimigos, a Lei.

Nazifascismo bolsonarista

O neofascismo da militância bolsonarista lembra, claramente, o supremacismo branco de tendências neonazistas, inspiradas em movimentos norte-americanos, como a alt-right (Direita Alternativa), e sua estética. Os sinais catalogados, que dão, conta dessas tendências no Bolsonarismo, são vários, mas vou expor, aqui, os principais.

  1. Milícias paramilitares: Bolsonaro sempre disse que queria “armar o Povo”. Mas, de que Povo ele fala? Sempre que ele diz que vai “metralhar a Esquerda”, extirpar o Comunismo do Brasil, ele deixa claro que ele quer armar seus apoiadores, não seus opositores. Mais: estes últimos serão “comunistas”, quaisquer críticos ou acusadores. Hitler fez o mesmo: dizia que queria armar o Povo contra os “opressores”, mas só a SS permaneceu armada após sua ascensão, tendo Hitler desarmado todos os opositores.
  2. Pseudo-legalismo: o fascista utiliza os meios eleitorais convencionais apenas para viabilizar sua ascensão, abjurando a Constituição tão logo tenha condições de conduzir um Golpe de Estado, subjugar os Poderes e instalar uma ditadura de fato. Paralelos: Hugo Chávez (e Nicolás Maduro), Francisco Franco, Benito Mussolini, Josef Stálin e Adolf Hitler.
  3. Estímulo ao culto à personalidade do líder: no caso de Bolsonaro, isto é mais do que explícito. Bolsonaro explora a fraqueza racional de religiosos apegados à ilusão e momstra-se como o messias esperado, como única e urgente alternativa de salvação nacional. Bolsonaro engana, igualmente, todos os cristãos, há muito tempo oprimido por laicistas, e arma pessoas que esperam poder vingar-se daqueles que julgam párias. Idolatrado por seres humanos contaminados por algum vírus da irracionalidade, Bolsonaro explora o que de mais reacionário (recalcado e reprimido) há nas mentes frustradas dos brasileiros e se faz adorar como um avatar.
  4. Nacionalismo subserviente: a independência que prega o fascista é sempre em nível nacional, nunca internacional. A subserviência de Bolsonaro ao governo Trump é ridículo, e nada tem de nacionalista.

Alvim e o discurso de Goebbels

Há muitos meses que os sinais de presença ideológica de extrema-direita (racista, eugenista, fascista), nos discursos da Seita Bolsonarista, se fazem notórios. A bandeira do Estado de Israel. em mãos de bolsonaristas, não lhes serve como disfarce, tendo em vista que até comunidades judaicas já protestaram por essa apropriação espúria de símbolos dos judeus.

Foto/Reprodução: vista em Congresso em Foco.

Onde estava o respeito ao povo judeu, tão propalado pelos bolsonaristas, quando Roberto Alvim, então secretário da Cultura, veio a público com vídeo reproduzindo, quase na totalidade, discurso de Joseph Goebbels (ministro da Propaganda Nazista)? Sobre esse episódio, outras representantes da comunidade judaica se manifestaram sua indignação (saiba mais).

Manifestações bolsonaristas e símbolos neonazistas

Recentemente, manifestantes da Seita Bolsonarista ostentaram bandeiras de um movimento neonazista (preta e vermelho, na imagem abaixo) da Ucrânia em plena Avenida Paulista (São Paulo, SP). Quando perguntado sobre o caso, em programa da CNN, o embaixador da Ucrânia no Brasil negou que fossem símbolos neonazistas, dizendo que a bandeira, em questão, era um símbolo do Povo Ucraniano. Não é de surpreender tal fala, já que o atual governo daquele país chegou ao poder por influência dos EUA, que deram suporte e treinamento, através de agentes da CIA, ao radical e neonazista grupo Pravyy Sektor.

As imagens abaixo não me deixam mentir, nas quais podemos ver que a bandeira ostentada por bolsonaristas estão presentes no site oficial do grupo extremista ucraniano e em desfiles nazistas em homenagem a Hitler. A conclusão é óbvia. Só a CNN finge acreditar no contrário.

Sara Fernanda Giromini, conhecida como Sara Winter (inspirada na homônima ativista nazista), ativista alegadamente ex-feminista e acusada, no passado, de expor símbolos nazistas, supostamente conservadora, está para ser presa por associação com grupo que promove fake news contra figuras públicas, ameaçar pessoas, além de outros ilícitos.

Sara Winter e seu grupo fetichista neonazista, os ‘300 do Brasil’, em manifestação golpista diante do STF, em 29/05/2020.

Recentemente, em Brasília, ela e seu grupo dos 300 (que mal contavam vinte) se manifestaram com tochas, máscaras e outros elementos estéticos bastante semelhantes aos adotados por grupos neonazistas.

“O trabalho liberta”

Não faz muito tempo e a Secretaria de Comunicação do Governo Federal (Secom) criou um determinado programa de emprego que utilizava uma frase que, vinda de um governo reconhecidamente autoritário, não tardou em ser vista como mensagem neonazista.

Como vemos abaixo, em tweet reproduzido, podemos ler, em trecho, que “o trabalho, a verdade e a união libertarão o Brasil”, muito semelhante ao lema constante na entrada do campo de concentração nazista de Auschwitz, onde lia-se, em alemão, Arbeit macht Frei (ou seja, “o Trabalho liberta”).

O leite e a estética neonazista

Sobre o leite na estética neonazista e supremacista branca, há muitos materiais na internet, que explicam porque políticos neonazistas e racistas usam o leite em sua estética como forma de sinalizar sobre sua ideologia (ou daqueles que os apoiam), em especial a Alt-Right norte-americana e a extrema-direita europeia.

Em resumo, a tolerância à lactose é considerada como um avanço evolutivo dos indo-europeus (arianos brancos) em relação aos outros povos, o que justificaria, em seu entendimento, as vantagens intelectuais e fisiológicas (incluindo, a cor da pele) das etnias brancas.

Abaixo, imagens que retratam esse fenômeno nas artes, nas manifestações políticas, entre grupos supremacistas e, claro, também no Brasil.

Opinião

Pode ser que Jair Bolsonaro não saiba, mas ele se porta como neofascista. Pode ser que não se lembre, mas deve carregar traumas que justifiquem essas suas tendências ditatoriais e violentas. Pode ser que ele não se dê conta, mas é ridículo enquanto Chefe de Estado e apela para o que há de pior e mais primitivo nas pessoas. Não tenho dúvidas de que não apenas ele, mas também seus três filhos mais velhos precisam de tratamento psiquiátrico, quem sabe até compulsório.

Ele precisa ser parado, imediatamente, ou levará milhões de outros brasileiros, que entregaram suas mentes a essa complexa rede neurótica e autoritária de Bolsonaro, à loucura ou à morte. Precisa ele ser preso, julgado e sentenciado pela Justiça e pela História por atentar contra a coletividade.

Deixo, abaixo, disponível para download, o livro em que Freud explica os mecanismos que levam à ascensão de indivíduos como Bolsonaro ao Poder.

Por Júlio [Ebrael]

Blogger, amateur writter, father of one. Originally Catholic, always Gnostic. Upwards to the Light, yet unclean.

// Port.: Blogueiro, poeta amador, pai. Católico, casado. A caminho da Luz, mas sujo de lama.

8 respostas em “Bolsonarismo e Neonazismo”

Ok! Supondo que o Bolsonaro não seja está “figura” que o povo brasileiro imagina… Também acho muito estranho algumas atitudes, ou melhor ..”não atitudes” ,parece que ele se porta como César quando disse “lavo Minhas mãos”, como por exemplo, no caso o Bolsonaro “jogou a responsabilidade pra cima da liberdade de decisão quanto a “quarentena do COVID “jogando nas mãos do governo de cada município”- nesta,se fazendo passar por “binzinho”a favor do bem e da economia do país, mas nenhuma atitude de desvincular se do poder Poder da OMS(NOM/ China)
Mas, convenhamos que , uma vez que o povo não tem “cultura” ou conhecimento de seus “Direito naturais”(no sentido divino) – da Lei natural , onde ele é capaz de ser o “seu próprio governo-” infelizmente”, seria conveniente no momento apoiar o Bolsonaro, para que não ocorra “um impitimam” do Presidente do Brasil, e de margem ao poderio total chinês.
Na minha opinião “Todas as bandeiras são falsas”..Tenho o pressentimento de que é exatamente está a Real ” o povo sempre enganado por sua expectativas dependentes!
Melhor seria não ter nenhum Governo e que o povo resgatasse o seu próprio Governo de Si!

Curtir

Sobre Poder Chinês: se nem EUA conseguiram, com suas sanções, acha que Super Bozo consegue deter? Por favor, a China está comprando a África em lotes. Acostume-se!

Sobre Bolsonaro: ele é, sim, FASCISTA. Talvez, você não consiga mais entender o que isso significa. Mas, devo alertar que esse é a bestialização de qualquer ditadura possível, se apresente ela como liberal ou socialista. Bolsonaro quer, sim, um Golpe. Suas falas antigas, de 25 anos atrás, não mudaram de lá para cá. Ele tem sérios problemas mentais. Ele precisa ser deposto, sim, que seja via renúncia ou impeachment.

Curtir

A considerar que Bolsonaro pretende armar o povo (dele) como Chávez; que Mourão já mencionou a possibilidade de reformar a Constituição através de um “conselho de notáveis”; que, progressivamente, continua a política clientelista de praxe; que traiu suas principais promessas de campanha; que ele apoia e incita um Golpe de Estado, vc acha mesmo que, com Bolsonaro, o Brasil já não caminha pra se tornar uma ditadura à moda chavista?

Aliás, outras duas características aproximam Maduro e Bolsonaro: ambos insistem na receita da hidroxicloroquina, quando a Ciência insiste que não é medicamento seguro pra pacientes de Covid-19; e ambos têm familiares metidos com o crime organizado.

Curtir

Qto a Cloroquina, a OMS acabou de reconhecer o erro: https://youtu.be/_TEJ79ik5_w

Qto ao Bolsonaro…quando ele entrou no governo , já haviam decisões aprovadas e reformuladas na constituinte pelo STF, além do mais , e os projetos não dependem do dele!
Mas o que estou dizendo aqui, o fato para o qual eu chamo a atenção…- não é o Bolsonaro, ou partido político-, o que estou dizendo é que , “no momento, não seria favorável para o Brasil um impitimam , mesmo porquê, levaria um tempo até que as providências fossem retomadas, e durante este “tempo”, poderia dar margem a consequências piores no plano da economia, que já sofremos com esta quarentena…E a outra questão é…, considerando, qualificação que você se refere ao Bozo : “facista”, e “nazista – devido as “palavras que ele disse ao longo do tempo que não mudam”- Qual a solução para o Brasil neste momento…,adianta tirar um “nazista do poder”, e colocar um “jesuíta”, (socialista, capitalista, ditadores…) Não dá no mesmo resultado?!
O que eu quero dizer é que o Povo tem que ter conhecimento da Lei Natural, do seu direito divino “direito natural”, ser o seu próprio governo! Porque na verdade, o mau está na mente e na ignorância das pessoas (do povo) que continuam alimentando está “Farsa Globalista”.

Curtir

Sim, armar o povo dele, sim. É óbvio que, para ter uma arma regular, o cara precisa fazer curso de tiro e ter mais grana ainda para comprar munição, renovar licença, fazer psicotécnico, etc, etc.

Vai dizer que “qualquer um” pode ter uma arma, hoje em dia? Agora, com Bolsonaro se voltando para os mais pobres para os enganarem também (pois a classe média não o tolera mais), parou com o papo de arma. Agora, ele é “paz e amor”.

Bolsonaro só pensa nele e nos filhos dele. O resto, no qual você está incluído, que se dane.

Manipulador é você. Pare de ficar repetindo clichê do maluco da Virgínia!

Curtir

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.