Cinismo geral


O mundo passou da hipocrisia leve ao fingimento teatral. E todo mimimi é teatral e narcísico. É certo que, para manter uma convivência social sem precisar usar armas de fogo, o sujeito precisa usar de certo fingimento; mas, apenas circunstancial, não em tempo integral (inclusive, durante o sexo).

Continuar lendo “Cinismo geral”

Empreendedorismo para poucos


Vão me chamar de demagogo, eu sei. Mais: serei insensível, para uns; populista, para outros. Mas, à parte a velha disputa entre o liberalismo selvagem e o paternalismo social, devemos buscar o verdadeiro sentido do espírito dito empreendedor. Venha comigo!

Continuar lendo “Empreendedorismo para poucos”

Cada povo tem o governante que merece


Quando digo, acima, sobre merecer um governante, não o faço aludindo a uma tal punição por tê-lo aceito, eleito e legitimado. Falo, sim, pela ressonância entre a natureza do governante e aqueles que o apoiam (se constituírem a maioria).

Continuar lendo “Cada povo tem o governante que merece”

Lula, espantalho de Bolsonaro


Ao contrário da postagem anterior, esta será breve e direta. Sim, as ideias a seguir podem parecer improváveis. Mas, a improbabilidade, no Brasil, é algo corriqueiro. Do primeiro presidente, após a Constituição, ao último, tudo era improvável.

Continuar lendo “Lula, espantalho de Bolsonaro”