Belo é lutar!


Nós, seres humanos, somos naturalmente falhos. Esta constatação aplica-se, também aos gênios. Podemos não gostar de tudo que eles falam ou já falaram, mas devemos elogiar o que eles, em momentos de inspiração, proferiram ou fizeram de útil.

A seguir, cito falas de Sigmund Freud, médico austríaco e pai da principal corrente psicanalítica moderna. Entre os temas presentes, me tocaram o Coração, principalmente, o que menciona a Felicidade, a Luta por esta e o olhar que devemos manter para o nosso interior.

Comentários meus: em itálico, com recuo.

Continue lendo “Belo é lutar!”

Despertos


A seguir, colo textos selecionados a respeito dos chamados seres humanos despertos, no que toca aos relacionamentos com esses seres especiais. Os despertos não vieram a passeio ou para ser vaquinhas de presépio. (Os devidos créditos subscrevem-se aos textos.)

Continue lendo “Despertos”

A Morte não carrega seus ídolos


Como eu me acostumei a reunir os recortes de coisas que deixo espalhadas por aí, resolvi colar mais esse no mural onde me junto às pessoas pelas quais nutro mais do que simples estima, mas Amizade, e genuína.

Ontem, ainda, me peguei identificado com Valéria, a qual como que conseguia visualizar surfando lágrimas de mercúrio (aquelas que pesam mais do que o impossível), ao descrever sua dor de Morte. Aliás, sobre a Morte:

“Hoje penso que a morte é o maior aprendizado que tenho. É ver de perto as miudezas que me deixam com jeito arrogante, as impaciências que me distanciam da essência, dos dias que nem me perfumo, das risadas que não dou, sempre quando levo as coisas a sério demais.”

Então, eu lhe respondi:

Continue lendo “A Morte não carrega seus ídolos”