Ajudem a Venezuela!


Acho que, após tanta persistência dos venezuelanos em nos informar a lastimável situação de opressão em que se encontram e a nossa em divulgar essas informações, a mídia resolveu romper o silêncio e… deformar completamente as informações.

Ainda assim, mesmo sabendo a grana que rola solta na mídia para que Maduro não seja visto como ditador e seus opositores sejam pintados como golpistas, agora o mundo pode saber que lá o povo, desarmado, está sofrendo sob as botas de policiais truculentos, morrendo por tiros disparados por milícias do governo e sendo calado, sem apelação, pela “Justiça” bolivariana.

Falta tudo na Venezuela: liberdade de expressão, dignidade, direitos humanos, alimentos básicos e até papel higiênico.

Tendo em vista toda essa calamidade causada por um governo comunista, corrupto e brutal, resolvemos, eu e mais alguns amigos do Facebook, criar uma iniciativa para que, na esperança de que o regime de Nicolás Maduro caia, possamos levar assistência humanitária na forma de alimentos, artigos de higiene pessoa e medicamentos.

Claro, isso no momento ainda é inviável, mas nos preparamos fazendo o papel de difusor dos apelos que os venezuelanos, muitos desesperados, enviam ao mundo. As comunicações são totalmente censuradas na Venezuela, tanto a TV, como rádio e internet.

Para fortalecer essa iniciativa voluntária, acesse a Página do Grupo “Ajude a Venezuela” no Facebook. Para melhor divulgação, criamos uma Página de Fãs que, por uma extensão dos objetivos, convencionamos chamar de Venezuela Livre. Por favor, CURTAM!

Brasil: tem Pão e Circo? Não, apenas Circo!


Poderíamos dizer que, enquanto assalta os cofres do Tesouro Nacional e faz cortes na Saúde e Educação dos brasileiros (com sua Tesoura Mortal), a política brasileira, principalmente do PT, se resume ao velho estilo romano do Panis et Circus (Pão e Circo).

Em Roma de 2 mil anos atrás, era assim: enchia-se o bucho dos plebeus e escravos de pão (geralmente trigo em espécie) e anestesiava-se a mente (já assustada) daquele povo, já desmoralizado, com diversões cruéis nas arenas ou prostíbulos financiados pelo Estado. Ao menos isso – o Pão – os Patrícios concediam ao povo.

Hoje, nada é de graça, nem o pãozinho, que está cada vez mais caro. No Brasil, um voto pode valer uma esmola mensal do Estado, o mesmo que retornará uma carta branca para a quadrilha governante corromper a tudo e todos e roubar bilhões em obras distribuídas entre empreiteiras amigas (dos quadrilheiros), bem como entregar outros centenas de milhões de reais de mão beijada, a fundo perdido, a ONGs que não servem para nada.

Olavo de Carvalho sobre a origem maçônica das “igrejas” evangélicas

Olavo de Carvalho, jornalista e professor de Filosofia brasileiro.

Depois de escutar tantas vezes o Olavo de Carvalho, o qual admiro muito, defender pontos-de-vista maçônicos (o que, por si, não é ruim se tomado relativamente), fui surpreendido com uma postagem dele em seu perfil no Facebook, nesta data com mais de 38,5 mil seguidores. Não comentarei o que ele disse. Me reservo a subscrevê-lo.