Esqueceram de mim


No fim das contas, o ser humano é apenas uma criança assustada, sem saber quem são seus pais, esquecida numa estação do tamanho de um planeta, com sua mente alcançando as estrelas do Céu. Sem saber aonde ir, resta-lhe o confinamento num corredor qualquer da Estação Terra. São seus pais as estrelas, os deuses, humanos transformados em cristais de luz?

Continuar lendo “Esqueceram de mim”

Vida, mentira institucional?


Nunca me considerei adepto do existencialismo, mas já me perguntei, por diversas vezes, os motivos que justificariam estarmos aqui. Para quê? De que serve, à evolução humana, todo esse processo de sofrimentos?

Continuar lendo “Vida, mentira institucional?”

Por meus dedos


Dedico minhas penas, palavras e dedos pequenos, à genialidade de Paulo Mendes Campos, um mineiro cujas crônicas me encantaram desde a mais tenra infância. Agora, infância nem mais tenra, nem mais iludida.

Continuar lendo “Por meus dedos”

Medo e covardia


Intuo que as raízes de toda a tragédia humana, sem situarmos, precisamente, a origem (espiritual ou biológica) de nossa espécie, jazem fundas na masmorra daquilo que chamamos medo . E o medo é alimentado pela ignorância.

Continuar lendo “Medo e covardia”