Tango do Drácula


Folheados, Mensagens em PPS, Slides, Publicações Variadas: Tango de Drácula. Excelente!!! Vejam….

Eu vejo tudo e não morro! Talvez a única coisa que os argentinos inventaram de bom, o tango, agora como arma de sua Alteza Vampiresca…

Yerushalayim Shel Zahav (Jerusalém de Ouro)


Bem, para quem me conhece, não é novidade que tenho especial predileção pela língua hebraica, em suas mais variadas facetas. Talvez não poste aqui quase nada que tenha ver com o Hebraico, mas só de ler meu nickname (Ebrael Shaddai), conclui-se que tenho muito apreço por tudo que se relaciona com o hebraico. Com relação à língua hebraica, me interessa muito a Qabbalah, as músicas e as escrituras hebraicas. Não sei explicar o motivo, mas quem sabe não tenha sido eu, por várias existências, um judeu errante?

Deixo pra vocês aqui uma das músicas mais lindas que já ouvi em hebraico, Yerushalayim Shel Zahav (Jerusalém de Ouro), na voz de Leonardo Gonçalves. Logo abaixo do vídeo, a letra (pra quem desejar acompanhar e aprender a cantá-la) e a respectiva tradução.

Shalom Le-Kulkhem! (A Paz esteja com todos vocês!)

Yerushalayim Shel Zahav

Avir harim tsalul k’yayin
Vereiyach oranim
Nissah beru’ach ha’arbayim
Im kol pa’amonim.
U’vtardemat ilan va’even
Shvuyah bachalomah
Ha’ir asher badad yoshevet
Uvelibah – chomah.
Chazarnu el borot hamayim
Lashuk velakikar
Shofar koreh behar habayit
ba’ir ha’atikah.
Uvme’arot asher baselah
Alfei shmashot zorchot
Nashuv nered el Yam Hemalach
B’derech Yericho
Refrão:
Yerushalayim shel zahav
Veshel nechoshet veshel or
Halo lechol shirayich Ani kinor.
Ach bevo’i hayom lashir lach
Velach likshor k’tarim
Katonti mitse’ir bana’ich
Ume achron ham’shorerim.
Ki shmech tsorev et hasfatayim
Keneshikat saraf
Im eshkachech Yerushalayim
Asher kulah zahav.
Refrão:
Yerushalayim shel zahav
Veshel nechoshet veshel or
Halo lechol shirayich Ani kinor.
Jerusalém de Ouro
O vento das montanhas, claro como o vinho
E o cheiro dos pinheiros
É levado pela brisa do crepúsculo
Junto com o som dos sinos.

E no sono profundo da árvore e da pedra,
Presa em um sonho,
Está a cidade solitária
E no seu coração um muro.

Jerusalém de ouro,
de bronze e de luz
porque não ser eu o violino 
Para todas as tuas canções?

Voltamos aos poços de água,
Ao mercado e à praça
O Shofar chama no monte do Templo,
Na cidade velha.

E em cavernas nas montanhas
Milhares de sóis brilham
Descemos novamente ao Mar Morto
Pelo caminho de Jericó.

Jerusalém de ouro,
de bronze e de luz
porque não ser eu o violino 
Para todas as tuas canções?

A Alegria de Um é o Inferno de Outro


É sempre assim: tomar decisões que envolvam pessoas e sentimentos (incluindo a nós mesmos e nossos sentimentos) é vestir a túnica do algoz e empunhar o machado do carrasco!

A liberdade de escolha implica, muitas vezes, a arte de cortar a cabeça a um só golpe, o que nos qualifica ao título “honorífico” de carniceiros. Sempre, e a qualquer momento, muito frequentemente, somos chamados a escolher um caminho, tendo que conviver com a dúvida acerca do que teria sido caminhar pela outra vereda. A Razão fala: prefira o certo! O Coração grita: tente um novo caminho! E nós perguntamos por quê o certo é certo pra nós, e por quê o novo é novo…

Matamos uma opção pra fazer sobreviver outra; soterramos um projeto para reviver um sonho antigo. Cortamos a cabeça de Maria Antonieta para elevar os Jacobinos ao Poder Supremo de nossa fantástica revolução. Afinal, Maria Antonieta é inocente ou criminosa? Os Jacobinos nos salvarão da mediocridade ou nos mergulharão em terror noturno? Não há vencedores ou vencidos; há apenas preferidos e preteridos, e enquanto uns morrem em seus intentos, outros festejam triunfantes, sejam de qual lado forem. O Vencedor vence, e o vencido é renegado. Um aparece em seu brilho ofuscante de Eleito e o segundo é banido, então.

Carrasco de Sonhos
Escolher ou não escolher?? Decida e mate uma opção!

Não há bons samaritanos. Não há meio termo: a Vitória de Um será sempre um golpe na Vida do outro, a Alegria de um se tornará no Inferno do outro, tormento infindável até que renasça o Sol da Esperança.

Se retiro a ti a Esperança, e ela não morrerá jamais, é porque a certeza já cedo aparece, a certeza do Amor sem culpas, sem vencedores nem vencidos, o Amor Livre e sem peso inútil…

Vós sois deuses!


“Eu disse: Vós sois deuses, e todos vós outros sois Filhos do Altíssimo” (Salmos 82, 6).


salmo82-6

“Ani amarthi: Elohim áthem u-vnei Elion kulkhem!”

Eu junto esse versículo dos Salmos àquele em que o Mestre nos declara que o Reino de Deus está dentro de cada um de nós. Ora, devemos manifestar essa natureza divina inerente à nossa Alma, seja por virtudes, pensamentos e palavras.

Ao invés de focarmos com nossos sentidos falhos a turbulência mundana com falta de fé, devemos nos lembrar que o Criador originou tudo, e organizou, a partir do Caos e do Nada. Devemos transformar, com confiança, o que está em desarmonia em uma realidade plena de Ordem, que é o primeiro sintoma da ação do Amor. Devemos manifestar essa filiação divina, colocando ordem no Mundo, com a mesma certeza de quando o Senhor disse: “Haja a Luz”.

Salmo 121 em Hebraico (melodia linda)

Havia dito essas coisas a uma amiga querida, por e-mail, que está passando por problemas, aos olhos dela, insolúveis. Nesse mundo, não se resolve apenas os casos de morte que, por si mesmos, já estão resolvidos. Eu não chamo Morte à cessação da manifestação de uma alma em um corpo físico, mas apenas Transição, como o fazem os Rosacruzes.

O cerne do sofrimento humano é a separação de sua compreensão da presença da Divindade em si mesmos. A essas pessoas, dizem que Deus criou o Universo a partir de seus próprios pensamentos e de sua própria substância. Elas se decepcionam quando, por sua incompreensão e incapacidade de perceber a Divindade, e manifestá-la por efeitos objetivos, não conseguem vislumbrar nada além das nuvens espessas que se transformam em tornados, frente à inércia de suas Vontades.

Quando as pessoas sofrem, elas podem até se abrir com outras pessoas, mas acabam se fechando em si mesmas. Devem, então, parar de focar no sofrimento, para que de sementes boas, surjam soluções para aquele terreno com problemas. Focar o Bem, as pessoas que podem ajudar, o Amor que transforma. Ele (o Amor) colocou tudo em ordem, aquilo que fora criado pela Luz e animado pela Vida, e haverá de renovar todas as coisas do Universo, até que cheguemos à Noite de Deus e tudo volte a dormir em sono profundo. Até lá, o Amor restituirá tudo, as alegrias e as dores, e todas as provas necessárias para passar de Ano na Escola do Universo.

%d blogueiros gostam disto: