Noctívagas (1): Saudade e tédio


* Noctívaga: qualidade de coisas, seres ou ideias que “vagam pela Noite”. Título de uma série temática de postagens, a respeito de ideias e sentimentos recorrentes.

Já parou para notar a reação imediata de uma criança cujo castelo de areia, à beira da praia, desaba? Não importa se o mesmo colapsou por um esbarrão, se por alguém ter passado correndo por cima, se pela ação do vento ou das ondas. A reação é a mesma, de decpção. E esta reação pode redundar, entre tantas outras, em uma saudade e/ou em tédio.

Continue Lendo “Noctívagas (1): Saudade e tédio”

Anúncios

Manipulação nas relações afetivas


Até que você perceba que você está sendo manipulado, vai lá um longo caminho de dúvidas e sentimentos de culpa. É horrível, sim, esta constatação. Ela expõe, diante de nós (senão de outras pessoas também), nossas fragilidades. Todos temos pontos fracos, e as pessoas manipuladoras exploram-nos exatamente porque elas sabem quais são os próprios pontos fracos (antes de nós).

Podemos encontrar vários níveis de manipulação. A seguir, tento expor minha visão e experiência sobre o tema, mostrando, com o auxílio de material de apoio, como identificar e enfrentar pessoas manipuladoras, estejam elas inseridas no seu ambiente social, de trabalho, na sua família ou seja aquela pessoa que você ama. Porém, aqui tratarei do perfil da pessoa manipuladora em relacionamentos afetivos, pois que foi nesse campo que passei pela minha experiência mais traumática.

Continue Lendo “Manipulação nas relações afetivas”

Meu Coração ouviu tua Voz


Uma das grandes fontes de frustração humana é a mania que temos todos de querer controlar o resultado de tudo o que acontece. Quando constatamos que isso se torna, dia após dia, algo inviável, nos decepcionamos e nos deixamos abater. Não importa se o que nos sucede é favorável ou não: precisamos saber que não estamos no controle de tudo.

Continue Lendo “Meu Coração ouviu tua Voz”

Sobre a inquietude após a Mudança


Entre uma e outra proposta de trabalho, enviada ou recebida, algo me inquieta nesta madrugada. É como a dor da Nostalgia. Porém, a mesma é por alguém que não se foi. Ou melhor, é por alguém que permaneceu só em forma de perfume e imagem. Mudou-se de mim para uma terra tão distante e, no entanto, sensível aos pelos da face.

Continue Lendo “Sobre a inquietude após a Mudança”

Elogio ao Egoísmo


Boa parte das pessoas se levanta para professar louvores ao chamado “altruísmo” como forma de evolução moral e de caminho para a paz com seus semelhantes. Outros termos aromatizados artificialmente são utilizados como sinônimos, tais como: caridade, amor incondicional, empatia, generosidade, etc.

Mais frequentemente, ainda, confundem aquele mesmo altruísmo com alienação, transferindo aos outros a responsabilidade por suas mazelas e insucessos. Não! Você é o único responsável por seus sucessos e insucessos. Se outros te prejudicarem de forma direta, reaja de forma estratégica ou direta (mas reaja). Mas, então, como sermos felizes by ourselves (por nós mesmos)?

Para responder a essa questão (e a outras) é que proponho este elogio ao egoísmo. Vamos lá?

Continue Lendo “Elogio ao Egoísmo”