O Sol da meia-noite


Há quase um mês, em 21 de Junho, começou o Inverno, oficialmente, para os países do Hemisfério Sul, ao passo que, para os povos do Norte, teve início o Verão. Nos locais próximos ao Polo Norte, mais precisamente dentro da área do Círculo Polar Ártico, ocorre um fenômeno que sempre atiçou minha imaginação bem como me enlevava à inspiração poética. É o Sol da meia-noite. Vocês já ouviram falar a respeito ou sabem o que é?

.

O fenômeno ocorre nas proximidades dos pólos terrestres, durante o verão, quando o Sol pode ser visto 24 horas por dia. Isso acontece porque a inclinação do eixo da Terra em relação ao plano da sua órbita faz com que a luz solar incida quase perpendicularmente sobre os pólos, durante seis meses de cada ano. Entre outubro e março, o Sol da meia-noite ocorre no Pólo Sul; de abril a setembro, no Pólo Norte – pode ser presenciado, portanto, nos países da Península da Escandinávia (Noruega, Suécia, Finlândia e Dinamarca), além do norte do Canadá e da Rússia, em dezembro; e na Antártida em julho. Nos pólos propriamente ditos, tanto o dia solar quanto a noite duram um semestre inteiro.

Durante o verão, nunca anoitece completamente na costa da Noruega

Luz total

A cada seis meses, o eixo da Terra em relação ao Sol se inclina para um lado e depois para o outro. Isso faz com que, nos pólos, durante cada verão, a noite praticamente deixe de existir.

Fonte:http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-que-eo-sol-da-meianoite

.

Coletei algumas lindas imagens numa pesquisa que fiz no Google para mostrar a vocês a beleza de tal fenômeno. Tais imagens são, especificamente, de locais na Noruega, Islândia e Lapônia (província da Finlândia), onde o fenômeno é melhor observado. Imaginem-se em locais como esses onde, por alguns dias, não anoitece, as pessoas podem sair para curtir a paisagem e apreciar o insólito curso do Sol sem que ele se ponha!

Imaginaram? Então apreciem as imagens abaixo e acessem esse link da Real Embaixada da Noruega no Brasil para mais informações e dicas de viagens.

Carpe noctem!

.

Místicas Memórias do Cristianismo


Sabem daquelas imagens que nos transmitem “odor” de santidade tão logo as contemplemos? Tais imagens podem ser de pessoas exemplares por suas vidas na Terra, de olhares significativos ou de locais que, a cada um de uma forma particular, nos “arrojam” à transcendência desse mundo concreto. Quanto aos locais físicos, não falo aqui daqueles que são obras da Natureza, mas dos que são construídos por seres humanos, obviamente, inspirados por Deus.

16690915_v2kJO

Nesta postagem, apresentarei algumas fotos de igrejas da época primitiva (no sentido cronológico) do Cristianismo. São templos simples, de pedra bruta ou não, situados em locais significativos para nossa Fé cristã.

A fascinante ilha de Mont-Saint-Michel


A fascinante ilha de Mont-Saint-Michel

Esta é a ilha de Mont-Saint-Michel (França), que une um incrível monumento natural à Arquitetura medieval, inspirando-nos a conhecer a lenda sobre a aparição de Miguel Arcanjo nesse lindo lugar (clique na imagem pra ler mais).

Palhoça, SC: Minha Terra


A princípio, criei esse blog para postar minhas memórias, que estavam sendo comidas pelo tempo e pelas traças entre pilhas de cadernos. Mas, pelo entusiasmo, acabei diversificando demais os temas das postagens, fugindo assim do objetivo principal. A partir de agora será diferente…

Eu nasci a 25 de Outubro de 1980, às 23h15min, na Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis, SC. Meus pais moravam, naquela época, em Palhoça, distante 13 km de Florianópolis. Minha mãe continua morando no mesmo terreno em que foi criada, em Palhoça. Meu pai mora agora em Balneário Camboriú, SC. É sobre a cidade de Palhoça que vou falar agora, e citar também alguns locais dela que me marcaram.

Localizada entre o litoral e a Serra do Mar, Palhoça é hoje uma das cidades que mais oferecem alternativas de lazer para os turistas. Entre as praias mais conhecidas destacam-se Enseada de Brito, Guarda do Embaú, Pinheira e Praia do Sonho.

Praias e ilhas paradisíacas, morros que revelam maravilhosas vistas e parques ecológicos onde é possível sentir a natureza em sua plenitude. Tudo isso está localizado no município de Palhoça SC a apenas 13 km de Florianópolis. A exuberância natural do lugar fez com que a cidade fosse reconhecida pela Embratur como polo turístico.

As tradições, costumes e arquitetura deixados pelos colonizadores de origem portuguesa, açoriana, italiana e alemã ainda hoje estão presentes no dia-a-dia de Palhoça SC. Outro aspecto relevante do município é o seu artesanato diversificado, destacando-se entre eles o artesanato indígena, que resgata os valores e a cultura daquele povo. No município ainda existem engenhos e alambiques que produzem artesanalmente a farinha e a cachaça.

Palhoça possui um dos maiores mangues de toda a América do Sul. Quase 70% de sua área é composta pela Mata Atlântica, que pertence ao Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. Considerado a maior unidade de conservação do Sul do Brasil, com 90 mil hectares, o parque é destino obrigatório de quem visita Santa Catarina. O local ocupa área de nove municípios, sete ilhas e apresenta grande diversidade de ecossistemas, incluindo campos de altitude, mata nebular, floresta de araucárias, restingas e manguezais. Isso, sem falar no território de Palhoça se concentram 87% da área do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, a maior área preservada de mata nativa de SC, e que abriga centenas de espécies atualmente em extinção em seu ecossistema.

Fotos Selecionadas:


Essa é minha cidade, minha terra, e cujas histórias contarei, em outras oportunidades, mescladas às minhas próprias, pois que tudo que vivi de mais significativo se encontra marcado no chão dessa terra.

%d blogueiros gostam disto: