Resolvi me debruçar sobre esta possibilidade, logo de início, por considerá-la a mais inadequada para a entidade em questão (aquela que ocupa o topo do puleiro de Brasília atualmente). Por que inadequada? Simples como pão com margarina!

O trabalho é uma vocação inerente ao ser humano, assim como o destino do joão-de-barro é morar no alto de postes de energia. Variadas habilidades físicas, criativas e intelectuais legaram ao ser humano a obrigação ao trabalho. Como respirar é essencial aos pulmões, o trabalho é fundamental à realização do ser humano como tal.

Assim, sendo todo homem e mulher propensos ao trabalho, soa totalitário pretender uma facção política representar (leia-se, neste caso, comandar) todos os cidadãos de bem (que trabalham), como se todos achassem o sindicalismo algo que antecede o mesmo trabalho. Aquele que não trabalha, ou está enfermo (tem o direito a tratamento digno, longe de filas), é excepcional (que corre o risco de ser desamparado pelo Estado), criança ou idoso (corrompido e mal recompensado pelo Estado) ou bandido (apadrinhado pelo Estado).

Conclusão do que temos visto atualmente: a facção PT corrompe as crianças, relega idosos à humilhação (até mesmo póstuma), estimula os bandidos a se graduarem em Administração Criminosa (nos presídios, Faculdades do Crime), para melhor poder explorar, martirizar, espremer os cidadãos de bem até que saia sua última gota de dignidade, lançando-os no ostracismo de uma paz sem voz, de uma pseudo-liberdade imoral e irracional

Como acreditar que o PT é Partidos dos Trabalhadores se seu ícone mais conhecido, Lula, saiu da fábrica, onde estava empregado, aos 29 anos e nunca mais trabalhou na vida? Ser agitador político, participar de piquetes, arruaças, invasões, dali em diante, para depois se alçar ao poder, utilizando-se do drama do povo sem água de sua terra natal, montar sua quadrilha para assaltar o Brasil à luz do dia e com aval de um povo sem memória – nada disso indica o passado de um trabalhador. No máximo, denota uma mente psicótica, obcecada pelo poder e corroída pelo ranço comunista e imoral. Chorar pela sua infância pobre ele sabe, canastrão de circo como é.

Na equipe deste “trabalhador”, a pessoa que mereceu sua predileção como filhote de criação fora, nada mais, nada menos, uma assaltante de banco, cuja única especialidade foi sua cara-de-pau e seu especial talento para fazer a contabilidade de um grupo terrorista. Falo de Dilma Vanda Rousseff. O restante dos “trabalhadores sofridos” de Lula nem necessita de menção. Embora inomináveis pelo asco que me suscitam, José Dirceu, José Genoíno, João Paulo Cunha, Antônio Palocci, Carlos Minck, Franklin Martins & Cia. têm seus lugares de honra garantidos no rol d’Os Miseráveis de Moliére.

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s