Em primeiro lugar, devemos parar com essa ingenuidade de pensar que um partido político pode governar para toda a sociedade, de forma imparcial. Isso jamais aconteceu na História da República, tanto no Brasil como em qualquer outro rincão do planeta. Talvez, a única instituição que seria capaz de governar sem seguir interesses de apoiadores seria a Monarquia Absoluta, mas somente com monarcas totalmente neutros e com formação moral ilibada, o que, na realidade humana, soa como lenda.

Sabendo que um partido só pode ser assim chamado porque representa interesses segmentados, devemos ainda mais preferir a rotatividade nos Poderes da República para que todos os estratos sociais tenham a chance de levar as demandas de seus representados a uma visibilidade pública para que, então, pudesse ser avaliada por todos. A única maneira de um partido representar toda uma sociedade é no Fascismo-Comunismo, num regime de partido único, onde o mesmo se confunde com o Estado, chegando mesmo a suplantá-lo. Pois, com poderes totalitários e sem alternativas de representação, o povo seria, pouco a pouco, levado a calar-se diante do cerceamento de liberdades por leis impositivas e da avalanche alienadora da mídia que apoia maciçamente projetos para desmoralizar a maioria que tem alguma voz ativa.

E é por isso que é tão temerário (e isso é evidente para qualquer pessoa bem informada) que se permita ao PT ou a algum outro partido que partilhe de sua ideologia — de forma declarada, tácita ou velada — governar por tanto tempo um país com tamanha diversidade de interesses coletivos. Temerário, principalmente, pelos efeitos a longo prazo de reformas sociais e políticas claramente de viés socializante que são levadas a cabo pelo PT e pela mídia, ambos a serviço de elites internacionais interessadas no desmantelamento do projeto brasileiro de democracia.

De um partido como o PT, que escancara suas intenções totalitárias a todo momento, sob pretextos como “justiça social”, “fim de preconceitos” e “continuidade das reformas”, só se pode esperar traição. A mentira institucional, a calúnia e o jogo sujo passam a ser conhecidos como expedientes de praxe. Sabem que não há forma melhor de desmoralizar toda a sociedade do que fazê-la rejeitar propostas ditatoriais travestidas de “ajuda aos pobres”. Por sermos parte de uma sociedade fundada nos princípios cristãos da Caridade, sabem que é fácil chantageá-la a dar-lhes mais poder por pretenderem representar os “pobres” e trabalhadores, usando-os sempre como reféns para suas extorsões.

O totalitarismo socialista, invariavelmente, nutre-se da corrupção, pois o ser humano é chamado a ter livre iniciativa e esta, para que seja uniformizada conforme os interesses do partido, precisa que altas somas sejam distribuídas de modo a ser anulada diante da covardia dos representantes que a deveriam defender. De suborno em suborno, de chantagem em chantagem, o povo vai perdendo voz, dignidade, patrimônio e liberdades mínimas, até que perca o direito a agir de forma alternativa. E por que? Simples: por não haver mais alternativas!

Quando não há mais alternativas, toda e qualquer conduta dissonante da imposta pelo partido passa a ser considerada imoral e repugnante, como se olhassem para um conservador como um alienígena pestilento. Aqueles que tiverem defendido, um dia, a democracia e a liberdade, mas cedido aos apelos de benesses e fruição de prazeres modernos, serão os primeiros a manifestar a síndrome zumbi que acomete os que sofrem lavagem cerebral, hostilizando ferozmente tudo que não se alinhe com a identidade proposta para o povo pelos socialistas.

Imaginem um grupo de pessoas submetidas a confinamento em um barco, amontoadas em condições precárias, rumo ao alto mar. O estresse psicológico e a tendência ao conflito farão com que os que detiverem algum poder busquem uniformizar a conduta dos outros exilados no barco. Qualquer crítica, suspeita ou tentativa de destoar do discurso do mestre deverá ser tratada com repressões preventivas, às vezes brutais ou apenas intimidatórias, sempre com o pretexto de manter o “bem comum”. Em situações de caos e instabilidade, carência ou conflitos, é que floresce o totalitarismo, caracterizado por medidas de exceção sob o pretexto de manutenção da sociedade, com conivência do aparato “legal”.

O PT nos traiu, pois seus mandatários prometeram governar para todos, mas concederam privilégios a criminosos e sectários para que esses ultrajassem a ordem social e violassem, impunemente, a Constituição. Exemplos dessa realidade são o MST e as ONGs gayzistas. Esses recebem, todos os anos, via repasse de verbas, milhões sobre milhões de reais para promoverem ativismo socialista pelo país, tudo com dinheiro dos que não concordam com eles.

O PT nos traiu, pois compraram parlamentares no Congresso para aprovarem medidas antidemocráticas, facilitarem a usurpação do poder pelo PT e patrocinarem o assalto do Estado por esse e seus quadrilheiros. Claramente, me remeto ao Mensalão e outros escândalos memoráveis de corrupção.

O PT nos traiu, pois, diante de um país majoritariamente cristão, prega a laicidade do Estado mas faz ativismo pró-islâmico. O Estado não tem religião? Então que não defenda nenhuma. Se é pra combater o preconceito a um grupo, que o faça com relação a todos. Milhares de cristãos (de religião da maioria dos eleitores brasileiros) são perseguidos e trucidados nas mãos de radicais muçulmanos em todo o Oriente Médio, mas Dilma Rousseff não expede nenhuma nota de pesar. Mais: surpreendentemente, prefere repudiar o “preconceito” contra muçulmanos, justamente os menos perseguidos e que mais têm conquistado direitos (dominado, na verdade) na Europa e EUA.

O PT nos traiu, pois quando disse que pagou a dívida externa, o fez aumentando a dívida interna, essa comprada por bancos e credores internacionais. A mentira tem pernas curtas, e está nos bolsos de todos os petistas.

O PT mente quando diz que não é socialista (com medo de ser associado aos soviéticos, chineses, etc), mas basta vermos o que bradam seus seguidores malucos para vermos que apoiam sim o regime político responsável por 150 milhões de pessoas em menos de um século. Ademais, como não ver que o mesmo Partido dos Traidores é socialista-marxista tendo em vista as amizades e exemplos de seus governantes: Che Guevara (assassino), Fidel Castro (outro assassino, responsável por 1 milhão de mortes em Cuba), Hugo Chavez (que censurou a mídia na Venezuela e calou violentamente os opositores).

O PT mente (e nos trai, por isso) quando diz que seus mandatários (como Dilma, José Genoíno, Zé Dirceu, etc.) não eram terroristas. Eram sim, e iniciaram suas atividades anos antes da Revolução de 1964, essa mesma para coibir a infiltração comunista no Brasil. Bombas, atentados, chacinas, sequestros, “justiçamentos” e guerrilha: crimes contra a Segurança Nacional, levados a cabo por vagabundos celerados, muitos treinados em… Cuba. Zé Dirceu sabe bem do que falo aqui. Se eu fosse comandante militar, com certeza, não teria sobrado nenhum deles vivo, caso tivessem caído em minhas mãos. Não há crimes de assassinato de guerrilheiros quando estes estão em guerra contra o Estado e a Nação, procurando-a tomar de assalto e corromper a juventude. Guerra é guerra. os guerrilheiros desistiram das armas. Hoje, sua única arma é a mentira e a chantagem!

Por fim, devo alertar que, quando um presidente brasileiro, seja ele do PT ou de qualquer partido, segue ditames da ONU (cujos integrantes não são eleitos pelos brasileiros) e impõe medidas compulsórias ao povo, está também traindo a Nação. Sejam essas medidas de cunho econômico ou social, de saúde ou de conformação das leis nacionais às de outros países, há crime de lesa-pátria. Este também deveria ser punido de forma severa e com pena máxima (prisão perpétua) para que o réu fique exposto como exemplo para outros criminosos enrustidos. Para que reflitamos sobre fatos, podemos citar:

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s