1. INTRODUÇÃO 

Do Código AUG, as únicas personalizações feitas por mim são as adaptações às nossas necessidades ortográficas e de sofisticação, bem como sua denominação. A autoria do código, no entanto, seria do imperador romano Augustus, isso segundo o livro Eu, Claudius, Imperador, de Robert Graves.

Apaixonou-me o tal sistema de codificação pela sua sofisticação. Enquanto outros códigos utilizam-se de padrões decifráveis (seja por substituição, adição, mescla ou interpolação de letras e/ou números), o código utilizado por Augustus usava de chaves privadas, a saber, quaisquer combinação de letras e/ou números, palavras, frases imagináveis. Logo, as possibilidades de codificar um documento eram infinitas, tornando-se vedadas aos que não tivessem acesso a tais chaves.

Tão logo entendam como funciona o método, saberão que é virtualmente impossível, até mesmo para supercomputadores, desvendar um texto codificado em AUG, pois os padrões se aplicam às chaves em relação ao texto, e não somente ao texto, ficando assim inviável a identificação da chave, se a mesma permanecer secreta. Além do mais, a própria chave, numa via inversa, serve para que o receptor da mensagem ou documento proceda à sua decodificação.

.

2. CONCEITOS 

Lidaremos, no transcorrer desse tutorial, com alguns termos técnicos, justamente para tratar o Código AUG de forma inequívoca e única. Vamos a eles:

* Máquina (abrev. Eng.) – É como denomino o método usado no código, ou seja, o conjunto de leis que regem a codificação e a decodificação, a ser exposto mais à frente.

* Codec – Abreviatura para codificar/decodificar. Descreve o processo em detalhes.

* Matter – Do inglês, matéria. O texto a ser codificado ou decodificado. Atributos: C-Matter (texto a ser codificado) e D-Matter (texto a ser decodificado).

* Target – Do inglês, alvo. É o resultado codificado ou decodificado. Atributos: C-Target (texto codificado) e D-Target (texto decodificado).

* MK – Abreviatura do inglês para Master Key (chave-mestra). É a chave de código que guiará tanto a codificação como a decodificação. Recomenda-se que não seja compartilhada e tenha-se uma para cada contato.

3. TABELA DE VALORES ALFA-NUMÉRICOS  

AA

11

II

99

QQ

117

YY

225

BB

22

JJ3

110

RR

118

ZZ

226

cC

33

KK

111

SS

119

ÇÇ

227

DD

44

LL

112

TT

220

 ?

228

EE

55

MM

113

UU

221

 !

229

FF

66

NN

114

VV

222

 ,

330

GG

77

OO

115

XW

223

;;

331

HH

88

PP

116

XX

224

 Novo parágrafo.

332

Palavras e números não são separadas por espaço, por segurança. Frases são separadas por “/”.

4. CHAVE-MESTRA (MK) 

Quem viu a tabela acima, poderá ainda estar pensando que o Código AUG trata de mais um daqueles códigos que os adolescentes e namorados usam para esconder e criptografar coisas de seus pais. Ledo engano, pois a tal MK é utilizada justamente para tornar a seqüência incompreensível. Logo, um A no começo da frase não valerá (ou poderá não estar representado pelo mesmo valor numérico.

Recomenda-se que se usem frases ou sequência de palavras não associadas diretamente a você pelas pessoas, que sejam facilmente reconhecíveis apenas pelo emissor e receptor. Ou alguma outra sentença, ou até mesmo um texto inteiro (caso você tenha-o decorado PRECISAMENTE, com rigor) pode ser usado, desde que você tenha como se reportar de alguma forma ao local original de onde você o extraiu (livros, música, etc.).

Obs.: Para efeito de exemplos neste manual, será usada a MK= (Eu amo muito voce), tanto para números como para frases.

5. MÁQUINA (Eng.) 

O funcionamento da Eng é dado das seguintes formas:

* Codificação:

Sendo a, b, c e n (enésimo termo) as sequências de letras de uma frase, e a1, b1, c1 e n1, as sequências de letras ou números de uma chave, o C-Target é dado por:

C-Target= /a-a1.b-b1.c-c1…n-n1/

Ou seja, considerando um exemplo:

Considerando que a chave seja, por exemplo, Deus é brasileiro, e a frase a ser codificada, Eu amo muito você (lembrando que os espaços não são contados), teríamos, então:

C-Matter: /E.u.a.m.o.m.u.i.t.o.v.o.c.e/

MK :/D.e.u .s .e.b.r.a.s. i .l.e. i.r/

Letra embaixo de letra, procede-se à subtração de seus valores (verificáveis na tabela acima), conforme a tabela, usando-se apenas as letras suficientes. Acabadas as letras da MK, repete-se a sequência, o que resultará em:

C-Matter: /5.21. 1. 13.15.13.21. 9.20.15.22.15. 3. 5/

MK : / 4. 5.21.19. 5. 2. 18. 1.19. 9.12. 5. 9. 18/

C-Target: /1.16.-20.-6.10.11. 3. 8. 1. 6.10.10.-6.-13/

Reparem que o “e” de Deus e o “e” de brasileiro resultaram em valores diferentes no texto codificado (16 e 10). Isso, por si, já basta para verificar que o código não se trata de mera substituição, e que quantas forem as chaves possíveis (infinitas) tantas serão as combinações possíveis (também infinitas).

* Decodificação:

Para a decodificação, segue-se o processo inverso. Ao texto codificado (C-Target), soma-se, letra a letra, os valores da MK vigente, respeitando a sequência destas. Em seguida, convertemos os valores numéricos resultantes em letras, símbolos ou numerais romanos correspondentes. Vejamos o que acontece com o texto codificado /1.16.-20.-6.10.11.3.8.1.6.10.10.-6.-13/, no processo de decodificação, segundo as instruções das linhas acima:

C-Target: /1.16.-20.-6.10.11. 3. 8. 1. 6.10.10.-6.-13/

Adicionamos (leia-se: somamos os valores), então, a MK vigente        MK: /4.5.21.19.5.2.18.1.19.9.12.5.9.18/, item por item, e teremos:

/5.21.1.13.15.13.21.9.20.15.22.15.3.5/

Substituindo os valores numéricos por seus correspondentes, temos a frase original:

/E.u.a.m.o.m.u.i.t.o.v.o.c.e/ è Eu amo muito você.

.

6. CODEC DE NÚMEROS

A codificação de números segue a orientação do sistema de numeração dos antigos romanos, pois números romanos são representados por combinações de letras, lembram? Por isso, usa-se a tabela de substituição de letras para tal tarefa. Logo, na parte de exemplos, saberão como funciona. Vamos a um exemplo:

C-Matter: /25/10/1980/ é igual a C-Matter: /XXV/X/MCMLXXX/

Procedendo à conversão das letras em números, segundo nossa famosa tabela, teremos C-Matter: /24.24.22/24/13.3.13.12.24.24.24/

Aplicando nossa MK ao alvo, teremos:

C-Matter: /24.24.22/24/13.3.13.12.24.24.24/, subtraímos:

MK : / 4. 5. 21.19. 5. 2.18. 1. 19. 9.12/ (se sobrar caracteres da MK, desconsidere-os).

O resultado é: /20.21.1/5/8.1.-5.11.5.15.12/ . Essa é minha data de nascimento, codificada segundo a chave-mestra descrita acima. Resultaria diferentemente se a chave-mestra fosse outra. Portanto, o que importa é criar uma boa chave-mestra e seguir o processo de forma precisa. Para a decodificação, proceda como instruído na seção 5.

Para fazer download deste documento, clique abaixo: 

http://www.scribd.com/doc/68133197/Manual-de-Codigo-AUG .

Escreva abaixo seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s