Hitler teria sobrevivido à Segunda Guerra?


Adolf Hitler, idealizador do Nazismo.

Nas minhas andanças pelos portais de notícias, cada vez mais raras por conta da falta de tempo (e da proliferação de notícias negativas e lixo midiático), por esses dias li um interessante artigo num grande site bem conhecido (vide link nas fontes) que falava sobre o lançamento de um livro por um escritor argentino.

O livro trata de algumas teorias que alegam ter Hitler sobrevivido à capitulação de Berlim, em 1945, ao fim da 2ª Guerra Mundial. Conta como, com a ajuda de setores dos próprios aliados, Hitler teria, acompanhado de uma reduzida comitiva de refugiados do III Reich, fugido da Alemanha, tomando como direção a vizinha Argentina.

Não seria novidade para quem estudou História Contemporânea do séc. XX que a Argentina era o pilar forte do nazismo na América, juntamnete com outros governos de menor importância, tendo sido apoiado, inclusive, pelo regime do presidente Perón. Mas não custa lembrar, não é mesmo?

Fico pensando: recentemente, nas últimas décadas, presenciamos os EUA financiando os terroristas fundamentalistas do Talebã, no afã de combater os soviéticos, tendo como frente o Afeganistão. Depois, derrubaram o mesmo Talebã, como se fosse um fantoche, e perseguem, até hoje, um tal Osama Bin Laden, que parece ter sido premiado com o desaparecimento. Daí, me lembro que os famigerados nazistas foram também financiados pelos EUA para fazer frente aos comunistas, que já se preparavam, com Stálin, para avançar sobre a Europa. De pintor fracassado e morto de fome, transformaram Adolf Hitler num líder mundial. Ele serviu, enquanto pôde, aos interesses anti-comunistas das potências ocidentais, mas… Logo foi tirado de cena, por já ter cumprido seu papel. Foi premiado com a vida eterna.

Será que fomos todos enganados durante todo esse tempo?? Será que milhões de vidas, ceifadas por todos esses anos, serviram apenas para resguardar a Liberdade nos moldes americanos, ou seja num jogo global Capitalismo X Comunismo?? Não serão todos esses fatos apenas peças de um grande jogo, de um Teatro macabro, em que somos apenas palhaços, espectadores e números manipulados??

Decidi não transcrever nenhum trecho da reportagem, aqui, no blog, pois a mesma é deveras extensa. Deixo a vocês o link. Sigam, leiam atentamente e tirem suas próprias conclusões.

Fonte: http://noticias.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=25197747&page=0

*******

Gotan Project: Tango para o século XXI


Este post não tem nada a ver com algum sentimento de remorso pelo sarro que todos nós, brasileiros, tiramos, com justiça, dos malfadados torcedores argentinos, pelo fiasco maior da seleção argentina, em relação à Seleção Brasileira na Copa 2010.

Se tem algo admirável, comum, aos povos brasileiro e argentino, este é o orgulho de suas raízes populares e culturais. Assim como o samba, o futebol e a religiosidade são para o brasileiro suas marcas maiores, entre tantas outras, o tango, Maradona, o patriotismo e o churrasco o são para o argentino. Dentre estes últimos exemplos, o que para mim é mais encantador (talvez o único) é o tango.

Não vou fazer uma descrição histórica do tango, nem versar sobre a biografia de Carlos Gardel, argentino mundialmente reconhecido como sendo o próprio ícone do tango. Tango para mim: ritmo musical popular, melódico-sensual, despertador de extrema e embriagante luxúria e de uma cadência única e original. E como eu aprecio coisas originais!! Tudo o que é original – talvez isso seja um paradoxo –, também é versátil e evolui harmoniosamente. É chegado o século XXI, o século de mudanças, culturais e de consciências, muito velozes e avassaladoras.

O Gotan Project é um projeto que busca mesclar e adaptar o Tango e suas vertentes clássico-populares aos novos tempos e ritmos. Ao meu ver, os criadores do projeto têm conseguido ótimos resultados nesse sentido. No site do projeto, linkado acima, há discografia e biografia do Projeto. A seguir, alguns vídeoclipes relacionados ao Gotan Project, que achei muito interessantes, tanto pelo som gostoso de ouvir como pela arte em si. Confiram: