Santander, bancos digitais e seus fãs


Talvez, o apego emocional a tudo que seja novidade no Mercado não seja exclusividade do brasileiro. Me causa horror que norte-americanos passem dias em filas para comprar aquela nova versão do IPhone ou que brasileiros invadam lojas, como zebus enlouquecidos, em manhãs de liquidação.

Liberdade econômica é uma balela


(Aos liberais que vierem me trolar, quero dizer que o que segue são apenas apontamentos, comentários. Prometo, a qualquer hora dessas, dedicar uma ou duas horas a sistematizar meus argumentos.)

Não se enganem: nada disso que vem acontecendo no Brasil nos últimos anos – nem os escândalos de corrupção, nem as denúncias que os escancararam – foi à toa. Todos os partidos agem sob uma mesma batuta estrangeira, com auxiliares fiéis e mercenários deste solo, tanto da chamada Esquerda como da Direita. A estratégia é: a Esquerda escandaliza o povo com leis e gestão bizarras, a Mídia prepara um clima de instabilidade (e lucra com os dois lados) e o povo, anestesiado e faminto, exige a volta das quadrilhas engravatadas e liberais da Direita.

Brasil: Antecedentes e Prognósticos


Desde o início, aviso: quem gosta de ler apenas amenidades, é melhor que feche essa página. Aqui, não suavizo ou mitigo qualquer crítica, bem como não economizo em elogios quando estes são merecidos. Portanto, se você pretende gastar alguns minutos aqui, por favor, sem chororô!

O sistema financeiro, a falsa liberdade e a marca da Besta


Eu sou muito resistente a certos sensacionalismos, principalmente aqueles que se baseiam em profecias, depois de já ter me iludido por muito tempo com eles. No entanto, hoje em dia, os governos e políticos a nível mundial só têm vindo a querer confirmar o que muitos religiosos pregam acerca do Apocalipse.

Um dos temas apocalípticos mais polêmicos é o que se refere ao aparecimento do Anticristo e da “marca da Besta”. Segundo o livro do Apocalipse, o Anticristo reuniria todas as nações da Terra para destruir Israel (no sentido próprio, não simplesmente o Estado de Israel) e os que confessam o nome de Jesus Cristo. A tal “marca da Besta” seria um sinal posto à testa e na mão direita de todos aqueles que não seguissem a Lei de Deus e renegassem o nome de Cristo, para sua escravização e condenação de suas almas, sem a qual não seria possível a ninguém comprar ou vender coisa alguma.