Deus e os bêbados


Dia desses, resolvi entrar em alguns grupos (no Facebook) que promovem o que teimam em chamar de debates “filosóficos”. Eis que são espaços ótimos pra verificar como nós, seres humanos, somos frágeis, ingênuos e orgulhosos, e tudo pela mesma receita.

Esqueceram de mim


No fim das contas, o ser humano é apenas uma criança assustada, sem saber quem são seus pais, esquecida numa estação do tamanho de um planeta, com sua mente alcançando as estrelas do Céu. Sem saber aonde ir, resta-lhe o confinamento num corredor qualquer da Estação Terra. São seus pais as estrelas, os deuses, humanos transformados em cristais de luz?

Vida, mentira institucional?


Nunca me considerei adepto do existencialismo, mas já me perguntei, por diversas vezes, os motivos que justificariam estarmos aqui. Para quê? De que serve, à evolução humana, todo esse processo de sofrimentos?

O Homem, o Templo e o Universo


Segundo a Lei das Correspondências, “o que está acima é como o que está abaixo, e o que está abaixo é como o que está acima”. Assim, tudo, seja superior ou inferior; nos altos Céus, na Terra ou abaixo desta, reflete uma única Verdade, uma Lei viva, que permeia todas as coisas.