Contradição e Autonomia


A contradição nas palavras proferidas pelas pessoas em seus discursos, hoje em dia, daria um filme, no mínimo, engraçado. Demonstra, mais do que hipocrisia ou má fé, uma ignorância digna de pena. Pessoas conseguem defender valores totalmente incompatíveis entre si em um curto espaço de tempo. A ignorância anula a maioria das ideologias como vazias de sentido e como reflexos distorcidos dos processos naturais que ocorrem ao nosso redor.

Continuar lendo “Contradição e Autonomia”

Apocalipse tupiniquim


O Brasil está perdido. O povo está perdido por ser desprezado e mal instruído. O Circo foi bem montado, a plateia se divertiu entre pipocas e gororobas ao longo desses últimos dois séculos. De repente, parece que a fumaça dos ilusionistas está a provocar um incêndio no Circo. Será o Apocalipse deste regime fraudulento, chamado República?

Continuar lendo “Apocalipse tupiniquim”

As revoluções enquanto negócios


Nesses tempos em que as manifestações populares deixaram de surgir em favor de  uma causa e se tornaram fenômenos meramente midiáticos, ou mesmo da moda, seria útil nos perguntarmos até que ponto tais eventos são realmente espontâneos. Pois, um povo que diz exigir o cumprimento da lei não pode, ao mesmo tempo, se arrogar o direito imediato de infringir a própria lei.

Serão, então, essas manifestações um teste de para nossa percepção a fim de percebermos quão irracionais e incoerentes podem ser tais manifestantes? Hoje, estar do lado dos “oprimidos” é conveniente para aqueles que precisam de salvo-conduto para sair vandalizando tudo. Me perguntarão se, acaso, defendo os bancos e a integridade de suas agências bancárias? Não, o que eu defendo é a ordem pública e a não proliferação de maus exemplos aos jovens. Pois, se esses “manifestantes” vandalizam por “justiça”, o que não fariam se tivessem carta branca de verdade?

Continuar lendo “As revoluções enquanto negócios”