A ingratidão e a ira ainda imperam


Muitas religiões, ao longo dos últimos séculos, foram úteis no processo de refinamento moral (apesar de lento) da espécie humana. No entanto, no Ocidente, embora deficiente em muitos aspectos e auxiliada por conceitos do Oriente, a ritualística católica conseguiu imprimir no vulgo o imperativo hermético do equilíbrio entre as necessidades físicas e espirituais. Mais: eu não temo ser rotulado como coroinha por anticatólicos, nem como herege pelos católicos.

Continue lendo “A ingratidão e a ira ainda imperam”

Lúcifer


Muitos terão chegado a essa postagem e a descartarão, de antemão. Alguns, por falta de interesse ou preconceito; outros, por medo subsconsciente. Lembram de quando nos metiam medo, na adolescência, dizendo que a menina poderia engravidar através de um simples beijo na boca? Pois então, assim foi com o nome Lúcifer.

Mas, afinal, quem (ou o que) é Lúcifer? Será o rei dos diabos? Um anjo, uma força, um símbolo, um planeta? Vejamos abaixo.

Continue lendo “Lúcifer”

De Sacro Officio (Sagrada Arte)


Daqueles que chamam o deus deste Mundo de Tributo, aprendemos que a Vida na Terra é um grande Mercado de trocas. Trocas de socos e beijos; comércio de valores e quinquilharias inúteis; intercâmbio de sensações.

Acaso, haveria algo de sagrado em meio a essa barganha diária entre os animais humanos e seus míticos criadores imaginários? Que há de superior na religião nutrida por nossos Corações?

Continue lendo “De Sacro Officio (Sagrada Arte)”

Sophia entre nós


Quantos de nós, ao escutar o nome Sophia em nosso meio, aplicado a crianças, adultos, lugares, templos, etc., não pararam para admirar, pensar a respeito dele? O que nos inspira a Filosofia, a catedral de Santa Sofia? Será, apenas, seu significado apresentado, o do equivalente grego para Sabedoria, que nos chama a atenção?

Continue lendo “Sophia entre nós”