A abelha, a coruja e a vara


O menino era ladeado, à média distância, por seus dois preceptores, Merum e Nagad. Os três permaneciam na praça deserta da pequena cidade há mais de um mês. Graves testes deveriam assaltar o garoto em preparação para voltar ao seu país nas montanhas do Leste do Rio, onde esperavam-no para assumir o trono no lugar de seu regente atual. Assumiria ou não?

No âmbito das provas morais e espirituais, bem como da práxis mística que deveria exercitar, seus dois preceptores assentaram-se, lado a lado, diante do menino vestido com uma túnica azul e coberto com malha fina de ferro. Calçava sandálias de couro cru. Merum, então, propôs ao garoto um súbito enigma, apontando para a palmeira solitária no meio da praça:

Tempo propício


O Rei dispensa a Coroa, mas a Coroa não existe sem um Rei. Só existe um Rei para cada Coroa e um momento certo para que seja apoderada por seu legítimo dono. Esse momento certo é, sempre, a quinta-feira. Ninguém chega a realizar nada de grande na vida se já não estiver pronto para isso ao anoitecer de quinta-feira.

(Júlio César Coelho, a.k.a “Ebrael”).

Florianópolis, 19 de maio de 2014.

Loucos e Santos (Oscar Wilde)


Oscar Wilde (1854 - 1900)

Loucos e Santos

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam …

Grande Pessoa


Escorpião, por Fernando Pessoa

GRANDE PESSOA

Para Fernando Pessoa, com admiração.

Grande Pessoa, o Fernando!
Quem me dera, pessoalmente,
aprender como um Graduando,
A transcender o que se sente!

Sob o Céu que me apreende,
E sob as nuvens, dançando,
Quero o Lume que ascende
E desce, à moda de Fernando!

(Ebrael Shaddai, 9 de Outubro de 2011, 13:04)

%d blogueiros gostam disto: