Maçonaria, a mão que balança o berço


A Maçonaria, como ninho incubador do Socialismo Ateísta e de outras aberrações, mune-se do Utilitarismo elevado à enésima potência. Por isso, sem poder discordar de nada, sem poder questionar as regras, sem nem poder respirar sem que o malhete soe na mesa do Venerável, ela configura o oculto e prodigioso ninho de todo o totalitarismo vigente hoje em dia no Mundo.

 Sem contar que, para quem já estudou a respeito do conceito de seita, a Maçonaria se encaixa perfeitamente no perfil sectário, cínico e “brainwashing” dos que defendem a “democracia” como necessária aos outros, mas não dentro da Loja. Dentro da Loja, ou você entra na espiral silenciosa de progressiva despersonalização, ou você terá sérios problemas (sérios mesmo!).

 Defendem que a apologia ao Crime deve ser severamente punida, mas que não podem ser censurados se seus rituais de admissão incluem um juramento de sangue em que o “irmão” neófito jura sigilo de tudo, sob pena declarada de morte ignominiosa e cruel. O pessoal mais antigo e informado deve se lembrar bem da vingança maçônica aplicada ao banqueiro Roberto Calvi em 1982, na Inglaterra, por obra daLoja maçônica P2. Claro, este foi morto por bem mais que violação de sigilo…