Leão XIII e o Exorcismo de São Miguel Arcanjo


O primeiro nome citado no título refere-se a Vincenzo Gioacchino Raffaele Luigi Pecci Prosperi Buzzi, nascido em Carpineto Romano, Itália, a 2 de março de 1810, tendo sido ordenado sacerdote católico em 31 de dezembro de 1837. Foi eleito Pontífice da Cristandade em 20 de fevereiro de 1876, assumindo o nome de Leão XIII, assim permanecendo até sua morte em Roma, a 20 de julho de 1903.

Leão XIIIConhecido por seu intenso zelo católico e apostólico, notabilizou-se também por sua austeridade e devoção a São Miguel Arcanjo, bem como por suas encíclicas, nas quais aponta, de forma inequívoca, as falhas fundamentais do Capitalismo liberal e o aspecto intrinsecamente satânico do Comunismo. Dentre tantas obras de apostolado e catequese escritas por Sua Santidade, Leão XIII, destaco uma que me é muito cara e preciosa: o Exorcismo sob a invocação de São Miguel Arcanjo, Príncipe da Milícia Celeste e Servo dos Servos de Deus.

Em certa manhã, estava S. S. Leão XIII em contemplação diante do Altar da Eucaristia quando, repentinamente, mudaram-se suas feições bruscamente, segundo testemunhas que acorreram ao então Papa. Este fechou-se em seu gabinete particular e escreveu, sofregamente, o texto do Exorcismo que segue abaixo, que está contido no documento Acta Sanctæ Sedis, vol. XXIII, da página 743 à 746.

Segundo alguns, este Exorcismo pode ser rezado tanto por leigos como por sacerdotes. Na verdade, estes últimos deveriam-no saber de cor, já que Leão XIII havia determinado que ele deveria ser executado logo antes de realizarem-se as celebrações do Santo Sacrifício da Missa como forma de afastar a influência de Satanás e seus anjos rebeldes.

Abaixo, o texto original em latim e, em seguida, sua tradução em português (versão e adaptação de minha autoria):

Continue lendo “Leão XIII e o Exorcismo de São Miguel Arcanjo”

A Cruz invertida e a retórica do escárnio


Dentre as táticas preferidas da Sinagoga de Satanás para a desmoralização de seus opositores (dentre eles, o principal é a Igreja), está o escárnio. O escárnio é a forma vil de ridicularizar algo, alguém ou algum grupo de pessoas, usando-se do que esses tenham de característico, não se preocupando se se está fazendo alusão a fatos reais, meias verdades ou folclores. O escárnio é o que dá origem à popular fofoca de comadres.

Sabendo já do que é essencial para este artigo, reproduzo a solicitação de uma amiga cristã protestante, dirigida nesses termos por e-mail:

Escreva um artigo em seu BLOG, tipo pegadinha.  Ou seja, chame atenção para um título sobrenatural, ligado ao Anticristo e esclareça de uma vez por todas que a Cruz Invertida não significa satanismo para os católicos, desde sempre, e sim faz uma referência ao apóstolo Pedro, mártir da Igreja  que quis morrer dessa forma, de cabeça para baixo.
Mesmo não sendo católica, tais comentários me soam ignorantes e tendenciosos.  É necessário que um católico esclareça.Embora muitos já o tenham feito.  Agora, com O ROCK IN RIO, novamente essa cruz foi apontada como SATÂNICA.

Entre tantos exemplos de escárnios, esse supracitado é um dos que mais me irritam, por dois motivos: pela malícia amadora dos que espalham essas lendas e a burrice dos que dão ouvidos a elas. Ah, falta de Fé? Fé passa longe dos que sentem dúvidas em relação a essas “pérolas”. É falta mesmo de prática do raciocínio!

Vamos delinear os fatos:

.

A Igreja e a Cruz

Desde os primórdios da Igreja, organizada em bispados e presbitérios, a Cruz sempre foi o símbolo e penhor de nossa Salvação pela Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. É fácil atestar isso pela leitura das cartas de São Paulo e pela mesma fala de Jesus. Alguns perguntarão: “Mas, não era o peixe o signo com que se identificavam as comunidades cristãs na Igreja primitiva?” Era sim, mas por motivos de segurança, pois o peixe era um signo comum e não ligava diretamente os cristãos perseguidos à doutrina do “Nazareno”, evitando assim a identificação das pessoas mais simples, que facilmente entregariam, por falta de preparo, os presbíteros e bispos. Aí arremesso outra pergunta: quantas vezes encontramos, nas cartas de Paulo e após o início da pregação apostólica, o peixe como símbolo da Doutrina? E por aí vai…

A Cruz sempre foi o pilar da vida do cristão, em toda a História, desde o início da Era Cristã. Todos os delatores e críticos pagãos daquela época escandalizavam-se contra os cristãos pela forma com que entregavam sua vida, se fosse preciso, pela prática da virtude altruísta e pregação da Palavra do Nazareno, renegando os prazeres fáceis deste mundo e refutando o caminho da Iniquidade. E que símbolo melhor se coadunava com a entrega a esse martírio que a Cruz? Resposta: NENHUM!

Abraçando a Cruz do dia-a-dia, suportando uns aos outros na Fé, na vitória sobre as tentações e os pecados, chegariam à tão almejada vida de Graça aqui neste Mundo e à vida eterna na presença de Deus após ter lutado o Bom Combate contra os principados e potestades, que odeiam os batizados e os escarnecem desde aquele tempo, de todas as forma possíveis. Hoje, claro, com mais ardor do que nunca antes!

Papa na Cathedra e São Pedro crucificado de cabeça para baixo.
Papa João Paulo II na Cathedra e São Pedro crucificado de cabeça para baixo.

No entanto, com o passar dos tempos, a Igreja, fundada na Sé de Pedro (comunidade de Roma) e sob o Magistério dessa, adotou como um de seus símbolos a Cruz invertida, não como negação de Cristo, mas por alusão à forma com que Pedro decidiu entregar sua Vida na cruz (de cabeça para baixo). Afinal, se São Pedro, legítimo líder investido pelo Senhor, se achou indigno de morrer como Cristo, de cabeça para o alto por sua Supremacia espiritual, como seus filhos na Fé poderiam desejar outra morte?

Continue lendo “A Cruz invertida e a retórica do escárnio”

Regina Coeli e Anima Christi


De todas as litanias (ladainhas) compostas em dois mil anos da Santa Igreja como peregrina na Terra, essas duas abaixo estão entre as mais belas que já ouvi em minha curta vida. Transmitem não apenas a beleza e transcendência da Fé na salvação que vem do Alto, mas certezas inabaláveis amalgamadas numa receita de Paz e Harmonia indescritíveis a essa pobre alma que vos fala.

.

Regina Cœli

Regina Cœli (Rainha do Céu), é a oração rezada por nós, Católicos, às 6 h, 12 h e 18 h no Tempo Pascal, em substituição ao Angelus, rezado no restante do ano naqueles mesmos horários.

História: Há um conto medieval que narra assim a criação da litania Regina Cœli:

Era o ano 590, em Roma. A Cidade Eterna havia sido devastada por um transbordamento do rio Tibre, sendo alagada e reduzida  à fome, sofrendo com uma terrível peste. Para aplacar a cólera divina, o Papa S. Gregório Magno ordenou uma litania septiforme, isto é, uma procissão geral do clero e da população romana, formada por sete cortejos que confluíram para a Basílica Vaticana.

Enquanto a grande multidão caminhava pela cidade, a pestilência chegou a um tal furor, que no breve espaço de uma hora oitenta pessoas caíram mortas ao chão. Mas S. Gregório não cessou um instante de exortar o povo para que continuasse a rezar, e que diante do cortejo fosse levado o quadro da Virgem que chora, do Ara Cœli, pintado (segundo a lenda) pelo evangelista S. Lucas. Fato maravilhoso: à medida que a imagem avançava, a área se tornava mais sã e limpa à sua passagem, e os miasmas da peste se dissolviam.

Junto da ponte que une a cidade ao castelo, inesperadamente ouviu-se um coro que cantava, por cima da sagrada imagem: “Regina Cœli, lætare, Alleluia!”, ao qual S. Gregório respondeu: “Ora pro nobis Deum, Alleluia!”. Assim nasceu o Regina Cœli.

Após o canto, os anjos se colocaram em círculo em torno do quadro. São Gregório Magno, erguendo os olhos, viu sobre o alto do castelo (de Sant’ Angelo Escabelo-para-os-Pés) um anjo exterminador que, após enxugar a espada, da qual escorria sangue, colocou-a na bainha, como sinal do cessamento do castigo.

.

Letra:  Continue lendo “Regina Coeli e Anima Christi”

Novo vídeo: Povo, Igreja Católica e Maçonaria


De volta à carga nas mensagens semanais do Canal no YouTube, peço desculpas pela tosse, pois ainda estou gripado.

No alvo do Ebrael desta semana, temos os padres covardes e traidores misturados com a Maçonaria, com uma preleção acerca desta última. A mensagem é extensa, mas eu realmente tinha muito a DESABAFAR! Peço a todos que COMPARTILHEM esse vídeo, que contém um apelo sincero, alertas para a população e uma mensagem aos jovens!

E não se esqueçam de se inscrever no meu Canal, o façam! Assim, vocês podem ajudar a divulgar mensagens que vocês achem importantes!