Dilma, a mandioca e seu desequilíbrio mental


Após oito anos de PSDB cimentando o caminho para os subsequentes doze anos de depredação pelo PT, o Brasil, finalmente, pode chegar à conclusão de que Rui Barbosa estava certo: neste país, o que campeia é a politicalha mais delirante.

Sim, passaram-se 26 anos desde as primeiras eleições diretas das quais me lembro como ser humano. Após tão breve tempo, afetado pelo inferno astral não mais de origem sideral do que dos projetos politiqueiros de assalto, o Brasil vive seu próprio Apocalipse.

Continue Lendo “Dilma, a mandioca e seu desequilíbrio mental”

A pedofilia reclassificada e a cortina de fumaça


No artigo anterior, discorri sobre o relatório da União Europeia acerca dos “Padrões para a Educação Sexual na Europa”, seu consequente estímulo à corrupção de crianças, à anulação velada da autoridade dos pais e a preparação, orquestrada pela ONU, para a aceitação da pedofilia como “orientação sexual” e fonte de “direitos” nos países signatários de resoluções da ONU com relação à moral sexual.

No fim do supracitado artigo, denunciei a retirada da pedofilia da lista de desordens mentais da APA (American Psychiatric Association — Associação Americana de Psiquiatria). Surpresos com a repercussão que o anúncio desta medida teve mundo a fora, a mesma APA, no dia 31 de outubro de 2013, de improviso, lançou uma nota para tentar esclarecer em que consistiu essa medida e convencer as pessoas de que esta não figurava como abono ao crime de abuso sexual de crianças, mas tão-somente se referia à reclassificação do “interesse sexual” por crianças (sem aludir á prática do crime de abuso sexual).

Abaixo, a imagem incorporada do documento (clique sobre ela para acessar a página no site da APA):

Continue Lendo “A pedofilia reclassificada e a cortina de fumaça”

O que é o Gayzismo?


Liberdade de expressão apenas para os Gayzistas!

Obviamente, um artigo que trate do Gayzismo, essa vertente do Movimento Revolucionário, precisaria também abordar aspectos secundários, tamanha é a gama de assuntos correlatos. No entanto, tendo em vista a escassez de publicações genéricas acerca do assunto, resolvi elaborar, via estrutura de tópicos, um artigo esclarecedor e o mais possível abrangente.

Entretanto, devo agradecer a todos os escritores e blogueiros honestos que, via de regra, escreveram de forma particularizada sobre o Gayzismo acerca de suas mais variadas formas de manifestação. Literalmente, mãos à Obra!

***

Continue Lendo “O que é o Gayzismo?”

Ninfomaníacos – Viciados em Sexo


A ninfomania é também conhecida por outros nomes, como erotomania ou Desejo Sexual Hiperativo (DSH). Caracteriza-se, basicamente, pelo desejo sexual exagerado, viciado, contínuo e compulsivo. Pode afetar tanto homens como mulheres. É tratada como doença psiquiátrica. O ninfomaníaco apresenta grande desejo sexual e inclinação a práticas extravagantes de sexo, principalmente no que diz respeito à frequência e ao número de parceiros (promiscuidade).

Pode ser considerada um vício, pois a simples diminuição voluntária, por esforço, da frequência do sexo, causa imenso sofrimento psicológico (ansiedade, sintomas físicos – boca seca, palpitação, dores de cabeça, etc.), comportamento anti-social (assédio sexual, pedofilia, violência, crimes passionais).

O ninfomaníaco sente um imenso prazer e satisfação a cada orgasmo, e ainda mais, a cada vez que seu “recorde” é batido. São reações típicas de uma pessoa viciada, que não consegue mais viver sem aquele hábito, não importando o quão exposto socialmente tal hábito lhe deixará.

Hoje em dia, com o maior acesso aos meios de comunicação como internet, encontramos uma nova modalidade deste tipo de hipersexualidade: compulsão sexual virtual (sexo virtual), atingindo mais de 2 milhões de pessoas mundo afora.

O que causa??

O Desejo Sexual Hiperativo é uma síndrome que pode se originar de diferentes causas. Por vezes, é visto como um problema de vício e dependência do sexo, similar às dependências de cocaína, álcool ou heroína. Pode ser encarado como um problema de comportamento mal adaptado, onde o ato repetitivo de busca de prazer sexual foi aprendido ao longo da vida como tranqüilizante, diminuindo sentimentos de ansiedade, medo e solidão. Também podemos compreender esse distúrbio como uma doença, com alterações anormais no balanço de substâncias cerebrais (neurotransmissores).

Nas teorias psicanalíticas, a hipersexualidade pode ser entendida como uma fixação nos níveis pré-edípicos do desenvolvimento sexual, na fase anal, mais especificamente, onde as ansiedades são deslocadas para comportamentos compulsivos.

Tem tratamento??

Normalmente é o psiquiatra ou o terapeuta sexual que é procurado ou indicado para esse tipo de transtorno.

As linhas de tratamento podem ser empregadas isoladas, mas tem se recorrido muito a tipos de tratamentos combinados, como o uso de medicação concomitantemente à psicoterapia cognitivo comportamental ou focal. Os grupos de apoio tem demonstrado grande utilidade como terapia adjuvante.

Algumas drogas podem ser utilizadas nos casos em que a compulsão ao sexo é predominante, como os Inibidores da Recaptação da Serotonina.

Para aquelas pessoas que apresentam sintomas de voyeurismo ou exibicionismo, a psicoterapia de orientação analítica é a mais indicada, exigindo maior tempo de tratamento.

Em casos mais graves, onde a compulsão coloca outras pessoas também em risco (como abuso sexual ou estupro), pode-se fazer uso de algumas medicações a base de hormônios (progesterona) que inibam o desejo sexual. Em alguns casos, a internação do paciente se faz necessária para contenção de riscos.

Fonte: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?10

Vote na nossa Enquete sobre Ninfomaníacos:

[polldaddy poll=3700971]

___________________________________________________________________

Siga-me no Twitter!    Adicione-me no Facebook!   Assine nosso Feed RSS!    Clique e inscreva seu e-mail para receba nossos artigos!

O que é o RSS?