A inquietude do Sábado


É justamente no fim da noite de sábado que decido escrever sobre o sábado. Estava irrequieto. O sábado tem um quê de premonição acerca da segunda-feira, pela qual passaremos aflitos durante todo o domingo. Ah, o Sábado e sua malemolência, a ressaca pela semana que se acrescentou à conta da idade, tendo nós a alma lavada pelo ritual de passagem que é a noite de sexta-feira, e isso até para aqueles que trabalham sábado.

Deus descansou de sua Criação no Sábado. Nós, no entanto, reclamamos do sábado, pois ele é único. Quando criança, ficava pensando em como seria bom que a semana só contasse com dias indo da quinta-feira ao Domingo: na quinta-feira, teríamos o cheiro do sábado; no Domingo, a lembrança do cheiro.

Continuar lendo “A inquietude do Sábado”