Cada povo tem o governante que merece


Quando digo, acima, sobre merecer um governante, não o faço aludindo a uma tal punição por tê-lo aceito, eleito e legitimado. Falo, sim, pela ressonância entre a natureza do governante e aqueles que o apoiam (se constituírem a maioria).

Continuar lendo “Cada povo tem o governante que merece”

Modernidade em dissolução


— Trecho citado a partir do artigo The Unspeakable is spoken again (“O indizível é dito novamente”), em The Chrysalis. Tradução livre, para o português, de Ebrael Shaddai, logo abaixo da citação.

You may have noticed it. What was once unspeakable has become speakable again.  Even if not respectable or decent it has gained some measure of “legitimacy”. Continuar lendo “Modernidade em dissolução”