Sobre o Amor Líquido


Líquido, por se esvair pelo ralo do chuveiro ou sumir em meio ao barulho de uma balada noturna; e doce, como uma champagne francesa, plena de ilusões entre suas bolhinhas que nos fazem cócegas no Ego. O Amor Líquido é a expressão que distingue esta era de imbecilidade.

Continuar lendo Sobre o Amor Líquido

Achados e Perdidos


Os mares amam as garrafas com bilhetes e seus pedidos de socorro. Estes, por sua vez, são sinais de que há alguém, ainda vivo, esperando ser resgatado por aquela que os lerá. O ideal romântico traz, quase sempre, esse afã de redenção e apoteose, quase uma abdução por um ente alienígena, porém doce e pacífico.

Continuar lendo Achados e Perdidos

Sobre a Maturidade


Alma nua e sem palavras vãs, sem armaduras de desculpas, sem explicações para o avião que voa e para a lágrima que, travessa, atravessa o vale do rosto marcado pelos acidentes de percurso.

Continuar lendo Sobre a Maturidade

Ventos do Tempo


Há uma história que não pode ser contada pelos dedos ou pela boca. As flores, lágrimas, ventos insanos e estradas mal desenhadas é que descrevem o quão louco é o Tempo de nossas vidas.

Continuar lendo Ventos do Tempo

Tudo é vice-versa


Um palito de fósforo,
Uma sombra na mata:
Lá se vai alto,
Pelos ares da Noite,
Todo o trabalho do Dia.

Continuar lendo Tudo é vice-versa